A Escolha - Nicholas Sparks

Para Travis Parker, felicidade é estar com a irmã e os amigos, viajar, andar de moto e praticar esportes radicais. Ele nunca teve um relacionamento amoroso sério, mas não sente falta disso. Para ele, sua vida já está completa. Pelo menos até conhecer Gabby Holland, a bela médica que acaba de se mudar para a casa ao lado em busca de felicidade e independência. Mas, conquistá-la não será tão simples. A jovem tem namorado e fica muito confusa com os sentimentos que o vizinho lhe desperta. E, depois de um fim de semana em especial, ela terá que tomar uma decisão.
Mostrando que sentimentos imprevisíveis levam a caminhos surpreendentes, Nicholas Sparks mais uma vez constrói personagens sensíveis e cenas emocionantes que trazem tanto sorrisos como lágrimas num espaço de poucas páginas.
A Escolha levanta uma das questões mais difíceis da vida: até onde você iria em nome de um amor verdadeiro?

Gente, eu já estava com saudades de ler Nicholas Sparks, digo “ler Nicholas Sparks” porque é notório que o autor se encarna em tudo que escreve e aqui não podia ser diferente. Mais uma vez, ele me deixou apaixonada por uma história, com os quatro pneus arriados.

Acabo de ler um super drama (Como eu era antes de você, de Jojo Moyes), mas ler um livro do tio Nick me dá a sensação de porto seguro, tudo que ele escreve, eu, com certeza, irei amar, e indicar, não apenas por ser fã de sua escrita, mas porque consigo encontrar em suas histórias — por mais simples ou mais complexo que possa ser —, algo que me apetece, que me agrada deverasmente, e que me deixa sempre esperando mais, porém com um gosto de satisfação na boca.

Sim, Nicholas Sparks escreve histórias repletas de clichês, e em A Escolha não poderia ser diferente. Aqui encontramos um casal que se conhece por um acaso do destino — nesse caso o encontro é feito por intermédio de seus cães —, e claro que a mocinha tinha que ter um impedimento, e Gabby tem: um namorado, quase noivo e propenso a marido. Mas ao encontrar Travis ela sente uma segurança, um afeto, um carinho que seu coração necessitava há muito tempo, desde que se mudou e ficou longe de seus amigos e família.

Cada página da história é cheia de emoções, de conversas simples, de sorrisos sinceros, de carinhos verdadeiros. Um encontro entre pessoas que se gostam e que deixam os sentimentos crescerem ao longo da narrativa. Mas antes de falar o que não devo sobre alguns fatos, quero deixar bem claro que Nicholas Sparks já me laçou no prólogo. Ele inicia o livro com um futuro entre os protagonistas que dá a certeza de que tudo ficará bem, mas ao longo da leitura você percebe que cada página virada é uma surpresa, e Nicholas Sparks deixa o coração do leitor em batidas suspensas quanto mais se aproxima do final, e, diga-se de passagem, que final.

E é óbvio que ele ataca de novo, me deixou em constante sobreaviso a cada virada de página, e meu coração palpitava com medo, receio, dúvidas, certezas e incertezas de que o final ia ser novamente aquele drama, mas então... Não vou contar, você precisa ler para descobrir.

E agora eis-me aqui deveras apaixonada por mais uma história do autor, e quem me conhece sabe que mesmo os finais mais tristes ou pungentes me deixam assim, então você não tem como saber — a não ser lendo —, o que esperar do final do romance.

Já estou ansiosa para assistir ao filme, baseado nesse livro, que está nos cinemas, ou estava, não sei ao certo. Mas mesmo que ele tenha saído de cartaz eu irei à caça e assistirei esse, que, com certeza, será mais um sucesso do autor nas telonas.

Acho que não preciso dizer mais nada, não é?! Até porque, Nicholas Sparks, eu recomendo sempre!

4 comentários:

  1. Esse livro do tio Nicholas ainda não li, mas ja fiquei suspirando ao ler a resenha, adoro esses livros dele (fã é fogo), mas convenhamos que essa capa é horrorosa, a amarela berrante é menos ruim.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Nesse caso Jessica nem olhei para a capa. Tenho o livro com a outra capa também e acho bonita.
      Espero que você leia e goste da história.
      Bjokas!

      Excluir
  2. Olá, Leninha!

    Como comentei na resenha de Como Eu era Antes de Você, mal você lê um livro que vai virar filme e você vai ler em seguida um livro do Tio Nick que virou filme agora! Que timing cinematográfico é esse!
    Mesmo com os clicjes, o Nick consegue tocar e envolver o leitor, mostrando que o importante não é ter ou não o clichê, mas sim saber desenvolver a história.
    Aproveitando o que a Jessica falou da capa, esses dias vi que em um folheto da Avon da campanha 06, estava a venda o A Escolha, mas estava com uma capa diferente da do filme, mas que é bem bonita. Até perguntei à Arqueiro se realmente lançaram na Avon com uma capa diferente, mas não me responderam nada. Mas fica a dica para quem odeia capas de filme.

    Um abraço!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Tô numa fase meio estranha mesmo, mas não foi coincidência, resolvi ler os livros para poder comparar aos filmes em seguida.
      Como disse para a Jessica, tem outra capa sim, porque esse livro foi lançado anteriormente por outra editora, deve ser essa capa que você viu na Avon.
      Bjs

      Excluir

Seu comentário é sempre bem-vindo e lembre-se, todos são respondidos.
Portanto volte ao post para conferir ou clique na opção "Notifique-me" e receba por email.
Obrigada!

Editoras Parceiras

Postagens Recentes

Visualizações

Últimos Comentários

Lançamentos