Magia do Sangue - Nora Roberts

Há muitos anos, Branna O’Dwyer entregou seu amor a Finbar Burke. No entanto, o romance durou pouco. Uma maldição ligada ao sangue de suas famílias os proibiu de ficar juntos.
Branna tentou preencher esse vazio com amigos e familiares, mas sabe que, sem Fin, sua vida nunca estará completa. Ele, por sua vez, passou os últimos doze anos viajando pelo mundo, focado exclusivamente no trabalho.
Atormentados pela forte atração que nem a distância pôde aplacar, nenhum dos dois acha que um dia se entregará de novo ao amor.
Entretanto, em meio às sombras que ameaçam destruir tudo o que eles consideram mais precioso, esse relacionamento sem futuro pode ser também a última esperança que lhes resta.

Um livro da Nora para fechar as leituras do ano de 2015 e, consequentemente, para ser a primeira resenha de 2016. Infelizmente, apesar de ter gostado da leitura, em minha humilde opinião, esse não foi o melhor livro da autora em questão de encerramento de trilogia.

Temos em Bruxa da noite o melhor início de uma trilogia, com um enredo instigante que deixa o leitor preso à trama e doida pela sequência. Eis, então, o segundo livro, Feitiço da sombra, e mais um capitulo delicioso de acompanhar. Cresceu, então, a expectativa do leitor para o gran finale que nos aguardava em Magia do Sangue, livro que conta o desenrolar da história entre os protagonistas Branna e Fin, dois personagens que criaram uma expectativa danada, porque eles têm tudo para ficarem juntos, mas, ao mesmo tempo, têm algo que os distancia e que pode mudar o rumo da história.

Porém, eu senti certo desânimo na autora, um enrolar demasiado em toda a história, um enchimento de linguiça sem fim. Tudo parecia caminhar para um final eletrizante, mas durante toda a narrativa fica aquela mesmice dos personagens tentando descobrir um dia certo para atacar o mal que os espreita, uma poção capaz de funcionar e que os livre de vez de Cabhan, e o romance propriamente dito se desenrola de forma maçante, lento, quase parando.

Certo que Nora quando escreve passa uma realidade quase palpável à trama, e apesar do desenrolar de Magia do Sangue ter sido lento — como eu disse no parágrafo anterior —, deu para sentir que ela vai até o fim, mesmo com o notável cansaço ela chega a um final aceitável, por assim dizer.
Mas eu esperava bem mais! Só para constar.

Um dos pontos positivos da história é a cumplicidade entre os personagens. Dá para sentir o toque de Nora quando trata de amizade, de amor entre os protagonistas e os “coadjuvantes” — que nesse caso são os parentes: primos, irmãos e seus amores — estão presentes em toda a trama. O envolvimento com os animais guias também é bem intenso e o mal que espreita chega a dar medo em alguns momentos.

Nora Roberts conseguiu passar a mensagem, demorou um pouco, mas deu para fechar a trilogia bem. Em minha opinião não foi o melhor dela, mas deu para gostar no geral.

12 comentários:

  1. Leninha!
    Já li por ai que essa série não é uma das melhores da Nora, embora goste demais do tema bruxaria.
    Gostaria de ler ainda assim porque é um tema que muito me agrada.
    “Um brinde cheio de entusiasmo e sensibilidade com aquele brilho nos olhos de criança descobrindo o mundo por todos os bons sentimentos que fazem bem a alma ,um brinde exatamente aquelas emoções mágicas que nos tornam melhores,um brinde a beleza de ser um eterno aprendiz .” (Giovanni Dulor Chagas)
    cheirinhos
    Rudy
    http://rudynalva-alegriadevivereamaroquebom.blogspot.com.br/
    Participe do TOP COMENTARISTA de Janeiro, são 4 livros e 3 ganhadores!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. A trilogia é boa, mas não é ótima. Sendo Nora dá para ler e gostar bastante, mas esse último livro me deixou querendo algo mais.
      Bjs

      Excluir
  2. Ai, este livro me decepcionou bastante. Esperava muito mais. Pra mim, Fin e Branna eram o melhor casal da trilogia e tinham tudo para um livro incrível mas, sei lá, fiquei com a impressão de quê Nora estava com preguiça.
    Achei tudo muito chato e repetitivo. Era só conversa e cozinha. Gosto bastante da autora mas acho que ela precisa se reeinventar.

    bjs!

    Thaís

    Uma Conversa Sobre Livros

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Pois é, também apostei minhas fichas no casal Fin e Branna, mas deixou a desejar em muito.
      Acredito num cansaço demasiado da autora e por isso esse enrolar na trama.
      Vamos aguardar que isso não se repita.
      Bjs Thaís!

      Excluir
  3. Hey Leninha!
    Feliz Ano Novo, que 2016 seja repleto de ótimas leituras para nós :)

    Então, amo a Nora e a forma como ela conta suas histórias me encanta, mas nessa trilogia, especificamente, a achei muito repetitiva. Também achei a batalha final desse último volume bem sem graça e corrida. Espero que tenha sido um caso isolado na carreira da autora, pois ainda pretendo ler muitos livros dela!

    Beijos... Elis Culceag.
    * Arquivo Passional *

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Pois é Elis, acho que nesse final ela deveria estar cansada, desanimada, sei lá.
      Mas com certeza Nora é Nora, e muita coisa boa ainda vem por aí em 2016.
      Bjs

      Excluir
  4. Oi Leninha, eu gostei desta trilogia. Não vou dizer que é a melhor dela, mas é boa. Não senti este "cansaço" citado por você. Uma coisa que não gostei foi a correria da batalha que ocorreu no volume 2, de resto fiquei satisfeita.
    Bjs, Rose

    ResponderExcluir
  5. Olá, Leninha!

    Já tenho a trilogia completa em casa, mas ainda não consegui ler nenhum volume. Mas mesmo assim, pelas resenhas que li por aí desse livro, deu para notar que Magia do Sangue não foi um dos melhores finais de trilogia dela.
    Já li Lírio Vermelho, que tem essa pegada sobrenatural mas que era mais focado nas relações familiares, mas uma comparação mais adequada seria se eu tivesse lido a Trilogia Do Círculo, que tem uma dose maior de magia e sobrenatural na trama e que também tem na trama uma meta para matar o inimigo da trilogia que só é feito no último volume.
    Mas o que a Nora fez de errado e que deixou a trama arrastada é que ela se prendeu aos clichês das histórias mágicas, em que uma coisa deve ser feita em determinadas condições para que ela tenha efeito, o que nesse caso seria destruir Cabhan. Óbvio que a Nora não é uma J. K. Rowling em termos de tramas com magia e acho que nesse livro é que isso é mais evidente segundo o que percebi com as resenhas que li.
    Mas mesmo com esse defeito, a Nora conseguiu torna a trama boa e com um bom desfecho, mesmo que fraco. O que só vou confirmar quando ler o livro, assim como a trilogia como um todo.

    Um abraço!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. pelo jeito foi quase unânime a opinião por aí a fora sobre a Magia do Sangue. Mas Nora é Nora e eu não desisto dela, até porque seu pior é melhor do que muita gente por aí, rsrsrsr

      Excluir
  6. Eu adorei o primeiro livro, tem tudo que eu gosto, romance, bons personagens, magia e uma luta contra o mal. Achei o segundo muito igual ao primeiro e estava um pouco receosa que o mesmo acontecesse aqui, o que infelizmente aconteceu. Achei a conclusão o pior dos três livros, ultimamente tenho achado que a Nora perdeu a mão.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ruim quando algo assim acontece, né Del?! Mas não vamos perder a esperanças de que esse tenha sido apenas um deslize e que em breve ela nos dê um grande respiro em outra série. Bjs

      Excluir

Seu comentário é sempre bem-vindo e lembre-se, todos são respondidos.
Portanto volte ao post para conferir ou clique na opção "Notifique-me" e receba por email.
Obrigada!

Editoras Parceiras

Postagens Recentes

Visualizações

Últimos Comentários

Lançamentos