Louco por você - Jasinda Wilder

Hoje com você mais uma resenha da nossa querida colunista Tícia. Ela nos apresenta sua visão sobre a escrita da autora Jasinda Wilder em seu nome livro, Louco por Você, lançamento do mês da Editora Novo Conceito. Tenho o livro e estava muito curiosa para conhecer um pouco da história sob a visão da Tícia, e claro, eu gostei muito de sua opinião. Mas agora vamos parar de enrolação e vamos ao que interessa: a resenha.

Com vocês...
Louco por você / Jasinda Wilder. Tradução: Leonardo Gomes Castilhone. São Paulo: Editora Novo Conceito, 2014. 269p. Título original: Falling into you. 

Nell e Kyle são amigos desde a infância. Sempre fizeram tudo juntos, então ela nem se lembra de quando se tornaram realmente um casal. Quando Kyle morre da forma mais repentina, o mundo de Nell é lançado em um abismo de incertezas e dor. É quando Nell conhece Colton, irmão de Kyle e até então um completo desconhecido para ela. Estranhamente, é como se Colton a conhecesse há muito tempo... é como se ele a conhecesse por dentro. Ambos passam, então, a lutar para seguir em frente da melhor maneira possível. Nell, sufocada pelo peso da culpa.Colton, lutando contra a força que o arrasta em direção a ela... Cada um à sua maneira, os dois precisam desesperadamente encontrar o sentido da cura e do perdão. Em Entre a paixão e a dor, Jasinda Wilder combina o calor do desejo com a angústia, a perda da inocência, o luto e as tentativas de recomeço. O resultado é uma viagem ao mesmo tempo sensual e melancólica que ficará gravada em sua pele muito tempo depois que esta história terminar.

Aviso: essa resenha pode conter um leve spoiler do início do livro.

Prosseguindo a série “Dê mais uma chance ao autor cujos livros você escangalharia num muro de chapisco”, cá estou eu – novamente – lendo Jasinda Wilder, cidadã com quem eu frequentemente uso uma ampla verborragia do mal, haja vista o trauma adquirido com ‘Alpha’ e ‘Stripper’, dois livros seus ainda não publicados no Brasil, mas já resenhados por mim aqui no blog.

Bem, mediante esse ato irrefutável de generosidade literária, cheguei à conclusão de que sou uma criatura muito boa, do tipo que merece um carregamento diário de brigadeiros e afins. Sabe como é, pra compensar tanto estoicismo.

Mas vamos ao que interessa: Louco por você.
Pra início de conversa, devo alertar que não comecei a ler a história do início, mas da página 70 e poucos. Sim, eu fiz isso e minha cara não queima em admitir, afinal, sou um indivíduo dado a sem-vergonhices literárias.

Pois é, mas eu cometi essa patifaria de pular o início do livro simplesmente para não me apegar a Kyle (o namorado da mocinha que morre) e depois ter que chorar rios por ele. E como a ignorância traz a paz, me recusei a ler tamanha desgraça.

Continuando, a história se desenvolve dois anos depois da morte de Kyle e o que encontramos é uma Nell devastada pela dor e pela culpa. Sim, ela acha que teve sua cota de responsabilidade na tragédia e a forma como lidou com isso foi medonha. Sabe o caminho da autopunição? É.
E quem ajuda Nell a superar a coisa toda? Colton, o cunhadão lindo e ex bad boy, que fugiu de casa aos 17 anos e só voltou para o funeral do irmão Kyle.
E a relação dos dois caminha por aí.

Bem, o que posso dizer? A história é boa, gostei. Sério, gostei mesmo. Porém, achei muito mal feita a transição da condição psicológica, emocional ou sei lá o que de Nell. De ‘absolutamente devastada/quebrada/eterna viúva’, ela vai muito rápido para a condição de ‘apaixonadíssima por Colton’. Não houve justificativas convincentes pra essa mudança, tipo, os dois se ajudando, criando vínculos gradativamente, o sentimento por Kyle saindo e um novo - por Colton- tomando lugar, coisas desse tipo.

Tá, ela deu umas choradas, soltou uns berros acima dos decibéis recomendados e etc. Porém, me pareceu mais remorso do que dor/saudade por um amor perdido. Acho que Kyle não merecia isso.
E Colton? Foi outro que se apaixonou muito rápido. Mas o que mais lamento é a autora ter explorado tão superficialmente o problema dele.

Mas, fora isso, gostei. Foi um livro mediano, dei três estrelas no Skoob e Jasinda precisa comer muito angu pra se tornar minha escritora favorita. Aliás, já nem espero isso. Contudo, depois de Louco por você, acho que ainda vou persistir na série “Dê mais uma chance ao autor cujos livros você escangalharia num muro de chapisco”. Vai que eu me apaixono por mais um de seus livros, como foi com Fallingintous, o livro posterior a esse? Aliás, já estou aqui, esperando impacientemente a publicação dele.

Recomendo?
Até que sim.
;)

21 comentários:

  1. Jesus, Maria, José! De todas as bizarrices literárias, eu jamais havia escutado alguém confessar que pulou mais de 70 páginas, logo no começo de um livro!
    Mandei suspender toda a sua cota de brigadeiros até 2015!
    Complicada essa coisa de se apaixonar pelo cunhado... Sei lá, acho estranho, mas se você gostou já é um bom começo.
    Bjks, e parabéns por mais uma resenha top!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Sueli!!!!!
      Não faça isso! Me tirar o chocolate é um desastre pq a visão da minha pessoa com abstinência de cacau não é uma coisa bonita de se ver. Medonho.

      Ela se apaixona pelo cunhado, mas ele não convivia com a família do ex. Dessa forma, deu pra aceitar tranquilim.
      Obrigada, gentil, como sempre. :D

      bjooooo

      Excluir
  2. Oi Ticia! Tambem sou adepta da filosofia "quanto menos você sabe, mais feliz você é", e não tenho pudores em pular partes que não me interessam nos livros. Te entendo perfeitamente! Kkkkkk
    Se aparecer nas promos da vida, vou dar uma chance pro livro. Bjos!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Cris,isso aí!
      A filosofia do "Quanto menos você sabe, mais feliz você é" traz a paz, com certeza.
      Vc tb pula as partes? Bom saber que não sou eu que comente tal patifaria. kkkkkkkkkkk
      Dá uma chance sim, vai que vc gosta, né?

      bjooooooooo

      Excluir
    2. Conhece os 10 direitos do Leitor do autor Daniel Penac? Eu sou fã e pratico todos! KKkkk

      10 Direitos Imprescritíveis do Leitor.

      n° 1: O direito de não ler
      n° 2: O direito de pular páginas
      n° 3: O direito de não terminar um livro
      n° 4: O direito de reler
      n° 5: O direito de ler qualquer coisa
      n° 6: O direito ao “bovarismo”
      n° 7: O direito de ler em qualquer lugar
      n° 8: O direito de ler uma frase aqui, outra ali
      n° 9: O direito de ler em voz alta
      n° 10: O direito de calar

      Por Daniel Penac em “Como um romance”

      Excluir
    3. kkkkkkkkkkkkkkkkkkk
      Adorei!!!!!
      Vou falar isso com a Sueli, quem sabe ela deixa de suspender minha cota de brigadeiro??? rsrs

      bjooooooo

      ps: O direito ao bovarismo é ótimo! kkkkkkkkk

      Excluir
    4. Pra quem não sabe bovarismo = se colocar no lugar do personagem do livro durante a leitura, como a Madame Bovary fazia.

      Excluir
  3. Olá!

    Apesar de ainda não ter lido nada da autora, eu também não me interessaria muito por este título. Achei sua resenha uma graça e pelo visto o livro é bem água com açúcar mesmo.

    Beijos,

    Samantha Monteiro
    http://www.wordinmybag.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Samantha.
      O título não tá legal mesmo não. O original (Falling into you) é mais bonitim.
      Sobre a autora, pra quem gosta de uma super pitada erótica, é uma boa pedida. Mas não costumo gostar muito de seus livros não, só os dessa série.

      bjooooo

      Excluir
  4. Oi Tícia também não gostei de Alpha e peguei birra até da capa de Stripper,mas amei Falling into you parece de foram escritos por uma outra autora,incrível a diferença,estou ansiosa para ler Falling into us,amei seus comentários beijos

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. O Alpha é medonho, né, Leninha?
      Stripper é outro que Deus me livre, tb não gostei. mas ao contrário de mim, muita gente adorou, questão de gosto, tem jeito não.

      O Falling into us é lindo, gostei muito. É de longe o melhor dela.

      bjooooooooo

      Excluir
  5. Oi Tícia, ainda não li, mas uma pena que você não tenha gostado de tudo. Aliás, não conheço o trabalho da autora, vou anotar este livro que você citou dela.
    Bjs, Rose.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Pois é, Rose.
      A Jasinda é do tipo que muitos amam e muitos odeiam. Acho que só lendo mesmo pra vc ter uma ideia. Essa série que tá sendo publicada aqui, com o Louco por vc sendo o primeiro, é boa. Dá uma chance, vc pode gostar. ;)

      bjoooooo

      Excluir
  6. Tícia!
    Sabe que amo suas resenhas e a forma como as faz, porém hoje, terei de discordar um pouco de você...
    Não sei se foi pelo fato de não ter lido o grande amor entre Nell e Kyle, e diga-se de passagem é um fofo, mas ela sofreu muito com a morte dele sim, se auto flagelou, mudou de cidade e na forma de pensar, tentava 'esconder' a culpa que sentia pela morte de Kyle, enfim, sofreu ao modo dela. E quando Cotton entrou na vida dela, parecia que já havia um conhecimento mútuo através da dor e posteriormente através do sexo que ela passou a conhecer de forma plena com Cotton... Achei o romance muito bom e o que me incomodou foi apenas o fato de ela se achar culpada e não ter superado isso...
    Como não li outros livros da autora, não posso opinar, mas acho que deve sim continuar dando uma chance para ela.
    Semaninha maravilhosa!!
    Cheirinhos
    Rudy
    http://rudynalva-alegriadevivereamaroquebom.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Rudy.
      Brigadim. ;)
      Ôxi! Sinta-se à vontade pra discordar, os debates é que tornam tudo interessante. rsrs

      *Spoiler no comentário*
      Não é que eu tenha achado que ela não sofreu. Sofreu sim, tanto que se autopunia. O que eu achei esquisita foi a transição da coisa toda; pra quem sofria tanto a ponto de se cortar, deveria ter tido um tempo maior pra dor ceder e superar com um novo amor.

      Sei lá, pra mim o que eles tiveram a princípio foi apenas sexo alucinante, mas nada que poderia curar feridas tão profundas. Ainda que Colton tenha sido um amigo.
      Ou seja, é com a rapidez da coisa toda que implico.

      Mas... mesmo assim, achei os dois fofos.
      Ah, e eles aparecem no segundo, tá? Tem até continuação do que aconteceu com eles. *_*

      Não leu outros dela? Bem, os que eu li achei ruinzim toda vida, mas quem sabe vc dá uma chance e gosta?

      Boa semana procê também!

      bjooooooo

      Excluir
  7. Adorei este blog e os comentários! Convido a todos o conhecerem o meu renatacorreaescritora.blogspot.com.br! Boa semana!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigada, Renata.
      Tá anotado. ;)

      bjooooooo

      Excluir
  8. Kkkkk amei, amei, amei... Nunca pulei o ínicio de um livro, mas concordo com "Quanto menos se sabe mais feliz você é". Não conheço a autora, mas até que fiquei curiosa... É sempre bom termos nossa própria visão de um livro. ;)

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Isso aê, Giselle. Nada como nossa própria leitura. ;)

      Excluir
    2. Isso aê, Giselle. Nada como nossa própria leitura. ;)

      Excluir
  9. Sera que alguém tem o livro pra me mandar por email. Tou louca pra ler e nao acho pra baixar :(

    ResponderExcluir

Seu comentário é sempre bem-vindo e lembre-se, todos são respondidos.
Portanto volte ao post para conferir ou clique na opção "Notifique-me" e receba por email.
Obrigada!

Editoras Parceiras

Postagens Recentes

Visualizações

Últimos Comentários

Lançamentos