Não era pra ser uma história de amor - Sarah Adler


Quem me conhece sabe que sou uma grande fã de comédias românticas. Descobrir um romance ao estilo dos filmes da Sessão da tarde, com a mistura perfeita de humor, sensualidade e doçura, tudo na medida certa, foi uma experiência super agradável. 

Este romance narra duas belas histórias de amor. Desde o início nos deparamos com um clichê — nossa protagonista Milli, depois de ter seu voo cancelado, acaba pegando uma carona com Hollis, um amigo do seu ex-namorado. Daí em diante, inicia-se uma aventura cheia de diálogos divertidos, visitas a lugares inesperados e situações aleatórias que prendem a atenção! 

Durante essa jornada, somos apresentados à história da Sra. Nash, uma mulher que se permitiu amar em tempos difíceis. Apenas lendo para compreender melhor.

A narrativa se desenrola alternando entre os dois casais, revelando progressivamente como épocas tão diversas podem nos presentear com amores tão simples, delicados e apaixonados. Esta foi minha primeira experiência na escrita de Sarah Adler e fiquei satisfeita com o que encontrei. Um romance singelo, adequado para quem busca uma leitura leve e prazerosa. Difícil é largar, tanto que o devorei numa tarde, entre as páginas de outras leituras. Sim, costumo ler mais de um livro simultaneamente.

Fiquei encantada com a autenticidade de Milli, embora em certos momentos tenha achado Hollis um tanto chatinho – sim, situações assim podem ocorrer durante qualquer leitura, mesmo as mais deliciosas. Admirei a coragem da Sra. Nash ao permitir-se amar em meio a uma época tão moralmente complicada. E, por fim, apreciei como a autora concluiu a narrativa. Confesso que me veio lágrimas aos olhos com a emocionante despedida entre Milli e a Sra. Nash.

Então para encerrar essa resenha só posso recomendar essa bela comédia romântica que cumpriu a que veio e deixou sua marca. De uma maneira primorosa, Sarah Adler deixou uma bela sensação de dever cumprido com sua história de amor, como já disse anteriormente, bem no estilo Sessão da Tarde.
Apenas leia!

Millicent Watts-Cohen tem uma missão a cumprir. Determinada a reafirmar o poder duradouro do amor, ela decide levar as cinzas da Sra. Nash, uma idosa de 98 anos que se tornou uma grande amiga, de Washington até a Flórida. Seu objetivo: reuni-la, ainda que simbolicamente, ao grande amor de sua vida, oitenta anos depois.

Mas as coisas não saem como previsto por Millie. Depois que uma pane geral no sistema de aviação cancela todos os voos, ela acaba pegando uma carona com Hollis Hollenbeck, um antigo colega do seu ex, que está indo de carro até Miami. Ele é um escritor enfrentando um bloqueio criativo e certamente não acredita no clássico “felizes para sempre”.

Ao longo de muitos quilômetros de estrada, enquanto os dois discutem sobre a playlist ideal para a viagem e lidam com restaurantes exóticos, uma pousada de gosto duvidoso, um festival de brócolis e um cervo histérico, Millie começa a suspeitar que seu relutante parceiro pode gostar mais da companhia dela do que deixa transparecer.

E, quanto mais perto eles chegam do destino, mais ela se vê forçada a admitir que essa viagem não é apenas sobre a história de amor da Sra. Nash – talvez seja sobre a dela também.


2 comentários

  1. Leninha!
    Amor é amor em qualquer época, nós é que complicamos algumas situações.
    Amo comédias românticas também e até pensei em comprar esse livro, agora tenho mais um incentivo.
    cheirinhos
    Rudy

    ResponderExcluir
  2. Olá! Ahhh que eu também amo uma leitura bem no estilo sessão da tarde e já fiquei encantada com a resenha e com o livro, não estava entendo a parte das lágrimas, mas depois de ler a última linha, acho que também ei de precisar de alguns lencinhos quando chegar minha vez.

    ResponderExcluir

Seu comentário é sempre bem-vindo e lembre-se, todos serão respondidos.
Portanto volte ao post para conferir ou clique na opção "Notifique-me" e receba por email.
Obrigada!