Você viu a Melody? - Sophie Hannah


Melody Chapa: uma garotinha que foi assassinada pelos próprios pais há mais de dez anos. Cara Burrows: uma mulher que decide deixar seu marido e filhos e passar algumas semanas em um hotel de luxo. O que essas duas personagens poderiam ter em comum?

Um hotel. Uma falha no sistema. E a possível aparição da primeira - em um cenário nebuloso, mas inegavelmente real. Afinal, Melody está viva? Está morta? Se está morta, não é possível que esteja no hotel, mas se está viva, quem a viu?

A premissa do livro é interessantíssima. Embora a autora revele logo de cara alguns segredos que poderia ter como importantes para o desenrolar da trama, reserva algumas revelações para o leitor ir descobrindo do longo do mesmo - de modo que não há uma catarse literária, mas pequenos que seduzem e instigam (mesmo que não todas as vezes).

Gostei como a obra pautas assuntos como opinião pública - todo o julgamento e culpabilização dos assassinos está agendado por uma necessidade midiática de clamar e fazer justiça, interferindo diretamente no resultado final do processo - e alienação parental.

Mas, ao mesmo tempo, a obra tem seus baixos. Algumas coisas simplesmente acontecem sem explicação, outras parecem um tanto apressadas, e a mudança narrativa também vira um incômodo - a princípio, temos um enredo narrado apenas por Cara, depois um segundo narrador é inserido, o que causa certa confusão na voz e tom.

No geral, acho que a autora se perde e se encontra inúmeras vezes ao longo de toda a história. Não é um livro que agradará todo mundo ou que tem uma resolução surpreendente (não tem!), mas entretém. Acho que ir sem expectativas fará a experiência ser melhor.
Boa leitura!

Ao chegar ao seu limite após se decepcionar com a família, a britânica Cara Burrows deixa sua casa, o marido e os filhos e foge para um resort cinco estrelas no Arizona, nos Estados Unidos. Ela não sabe bem como vai pagar a conta e escolhe um serviço de aluguel de carros duvidoso, mas, por fim, chega ao hotel tarde da noite, exausta e desesperada. Após o check-in, ela acaba entrando por engano num quarto já ocupado por um homem e uma adolescente.

O que não deveria passar de um equívoco da recepcionista se transforma em um grande mistério quando Cara se dá conta de que a jovem que viu naquele quarto talvez seja alguém que ela jamais poderia ter visto: a vítima de um dos mais famosos crimes do país, Melody Chapa, cujo assassinato, arquitetado pelos próprios pais, os levou à prisão perpétua.

O crime aconteceu muitos anos atrás, e o corpo da criança nunca foi encontrado, mas há rumores recorrentes sobre o avistamento de Melody, inclusive no próprio hotel em que Cara está, o Swallowtail.

Cara não sabe em quem confiar. Tudo o que ela lê (na internet) ou ouve (no hotel) sobre o caso parece contradizer as evidências diante de seus olhos. Ela viu mesmo Melody Chapa? E está preparada para responder a essa pergunta com sinceridade, ainda que isso signifique arriscar a própria vida?



5 comentários

  1. Tenho este livro no Kindle, morro de vontade de conhecer a narrativa da autora. Já vi uma vídeo resenha dele e a menina comentou praticamente os mesmos pontos que você, e admitou ter gostado mesmo assim. Preciso ler e descobrir logo se vou me identificar com a escrita dela ou não.

    ResponderExcluir
  2. Olá! É praticamente impossível não ficar tentada e curiosa com esse enredo, e as ressalvas e o conselho ajudam a não ir com tanta sede assim ao pote, ou melhor ao livro (risos), mas confesso que já fiquei meio assim com a Cara, como assim largar os filhos desse jeito?! Só lendo para entender né.

    ResponderExcluir
  3. Não conhecia ainda, achei a premissa interessante, mas mal desenvolvido eu passo rs.

    ResponderExcluir
  4. Ronaldo!
    Uma pena o livro não ser bem desenvolvido, porque todo enredo parece muito interessante.
    Imagina ver um mistério e assassinato de tantos anos, ser desvendado sem querer?
    cheirinhos
    Rudy

    ResponderExcluir
  5. Eu já tinha visto sobre esse livro, mas nunca surgiu o interesse de lê-lo honestamente. Eu já não sou muito fã de trilher e autora ainda peca entregando pouco mais deixando soltas algumas coisas, eu fico super chateada e desapontada. Acho falta de responsabilidade pra quem se propôs perder um tempo lendo a história. Eu desistiria se achasse esses pontos que você mesma mencionou na sua resenha, Ronaldo. Cheirinhos de livro novo.

    ResponderExcluir

Seu comentário é sempre bem-vindo e lembre-se, todos serão respondidos.
Portanto volte ao post para conferir ou clique na opção "Notifique-me" e receba por email.
Obrigada!