Um Acordo Pecaminoso - Lisa Kleypas


Sabe um livro que vai muito bem até a metade, depois dá uma descompensada, aí melhora de novo e termina meio bosta? Aliás, ainda nem decidi se taco umas 3 estrelas e não se fala mais nisso ou se dou-lhe logo umas 4 com pezim em 3 e 1/2.

E você pode estar se perguntando qual o encosto da vez, já que geral gostou da história e eu tô aqui, semeando a discórdia. Bem, o que posso dizer em minha defesa é que sou dada a chilique literário e isso é uma condição miseravelmente crônica. 

O que deu ruim em Um acordo pecaminoso foram os mocinhos.
Pois é. Garrei implicância.
Achei o Gabriel muito indulgente em vários momentos quando deveria ter sido firme. Ele não foi romântico e sensível, foi é frouxo mesmo.

Véi, qualquer mulher forte atropela um cara que não for determinado e cabra macho. E depois de passar por cima feito rolo compressor, dá a ré, passa de novo e ainda perde o respeito pelo caboclo.
Não é uma suposição, é um fato.

Já a mocinha foi um protótipo mal sucedido de mulher à frente do seu tempo. Querer independência financeira e autonomia é bão, mas fazer exigência sem noção em troca de aceitar o pedido de casamento é mimadice e imaturidade. Começar as núpcias golfando intransigências? Forte indicativo pra dar merda. Pelo menos no mundo real.

Quem achou que foi “empoderamento” dela, ache de novo.
Sim:
Ache.
De.
Novo.
 
Mas, porém, contudo, entretanto... eles até tiveram seus bons momentos. 
Até vou dar 4 estrelas com pezim em 3 e 1/2 pra você ter certeza de que eu não bato bem, depois que golfei desaforo contra o livro.
Porque sou dessas.
😉

Lady Pandora Ravenel é muito diferente das debutantes de sua idade. Enquanto a maioria delas não perde uma festa da temporada londrina e sonha encontrar um marido, Pandora prefere ficar em casa idealizando jogos de tabuleiro e planejando se tornar uma mulher independente.
Mas certa noite, num baile deslumbrante, ela é flagrada numa situação muito comprometedora com um malicioso e lindo estranho.
Gabriel, o lorde St. Vincent, passou anos conseguindo evitar o casamento, até ser conquistado por uma garota rebelde que não quer nada com ele. Só que ele acha Pandora irresistível e fará o que for preciso para possuí-la.
Para alcançar seus objetivos, os dois fazem um acordo curioso, e entram em uma batalha de vontades divertida e sensual, como só Lisa Kleypas é capaz de criar.


2 comentários

  1. Ah Tícia!
    Dá um desconto, né?
    Naquela época havia mocinha a frente de seu tempo de várias formas.
    Não dá para exigir muito, vá... Você anda pegando ranço muito fácil.
    Não dá só para curtir a leitura?kkkkkkkkkk
    cheirinhos
    Rudy

    ResponderExcluir
  2. Olá! Ahhhh que eu estou bem nesse grupo de quem gostou da história, para ser mais exata, amei, acho até que depois dessa resenha vou ter que ler outra vez, mas bem sei, que minha opinião não há de mudar muito (risos) eu gosto muito da escrita Lisa e confesso que esse livro tem um lugar especial aqui no meu coraçãozinho, pois me identifiquei com várias características da Pandora (principalmente porque também tenho uma irmã gêmea!). De fato, gostei mais da Pandora do que do Gabriel, mas de modo geral, curti os dois juntos e também rever personagens de outra série da autora.

    ResponderExcluir

Seu comentário é sempre bem-vindo e lembre-se, todos serão respondidos.
Portanto volte ao post para conferir ou clique na opção "Notifique-me" e receba por email.
Obrigada!