O Mistério dos Sete Relógios – Agatha Christie

Em mais uma de suas engenhosas tramas, desta vez Agatha Christie põe no centro da narrativa uma morte que desencadeia uma série de suspeitas – e outa morte – a partir de uma brincadeira: despertar o jovem Gerry Wade (que dorme até o meio do dia quase sempre) com relógios despertadores (oito, ao total, todos tocando ao mesmo tempo).

Quando nem os despertadores conseguem acordá-lo aquele dia (uma brincadeira de seus amigos) e apenas sete dos oito relógios sobram no quarto, há que se duvidar do que pode estar acontecendo. Ao se contatar a morte de Wade por uma dose exagerada de um sonífero – que depois se mostra como um crime – tudo começa a sair dos trilhos.

Desta vez não temos o espirituoso Poirot – tão conhecido pelos fãs da rainha do crime – na resolução de todo o caso; nem por menos a narrativa poderia ser melhor. Se por um lado fica a saudade do detetive, por outro somos recompensados com outros tantos personagens dispostos a resolver esse crime e não menos entusiastas.

A jovem Bundle talvez seja, então, a condutora dessa trama. Pelas ruas do interior londrino, Agatha utiliza essa personagem – não exclusivamente, mas de uma forma até determinante – para envolver o leitor em toda a aura de mistério. E o crime contra Wade se mostra muito maior do que parece.

Não diferente dos livros da autora, claro que O Mistério dos Sete Relógios é uma trama surpreendente por si, mas gostei especialmente e principalmente pelo livro rondar um mistério que é muito maior do que apenas esta morte. Claro que, de alguma forma, é a morte de Wade que desencadeia a evolução da narrativa, mas, página a página, os labirintos misteriosos traçados pela autora vão se bifurcando em caminhos difusos, sob prismas de personagens que nem bons, nem maus, se revezam nos papéis suspeitos.

Sem contar com toda a resolução, né? É sempre uma boa e agradável surpresa chegar aos finais dos romances de Agatha porque a carta na manga sempre é revelada nas últimas páginas – e eu quase, quase mesmo, resolvo esse mistério. 

Leitura recomendadíssima! Para os fãs de Agatha, é um prato cheio – de surpresas, mortes, mistérios e até cenas empolgantes de ação. Para os que ainda não conhecem a obra da autora, pode ser uma ótima porta.
Boa leitura!

(Me conta: você já leu outra obras da autora? Vamos trocar indicações.)

Durante uma temporada na distinta mansão Chimneys, um grupo de jovens espirituosos decide dar uma lição ao incorrigível Gerry Wade. Eles compram oito despertadores e os escondem em seu quarto, para que Wade finalmente acorde no horário certo. Mas a brincadeira toma um rumo sombrio quando ele é encontrado morto na cama, vítima de uma aparente overdose.
No entanto, todos se surpreendem quando percebem que apenas sete dos oito relógios estão no local do crime. Uma carta escrita por Wade para sua meia-irmã talvez contenha uma possível pista, envolvendo uma sociedade secreta ligada à máfia. Será que há algum tipo de conspiração internacional por trás da morte do rapaz? Há o risco dessa organização criminosa fazer ainda mais vítimas? É o que Lady Eileen Brent e seus amigos tentarão evitar, desvendando esse mistério com o auxílio do superintendente Battle.



5 comentários:

  1. Já li alguns livros bem antigos da autora, aqueles cheirando a papel velho(amo) principalmente na biblioteca da escola.
    Estou namorando os livros que estão sendo trazidos de volta agora, com capinha nova. Mas ainda não consegui comprar nenhum.
    A diva do suspense sempre conseguiu nos manter presos aos seus enredos!!!
    E olha aí a prova disso!
    Beijo

    Angela Cunha Gabriel/Rubro Rosa/O Vazio na Flor

    ResponderExcluir
  2. Já li muitos dela quando no início da adolescência e alguns reli, este é um dos que reli mais de uma vez! Amo!

    ResponderExcluir
  3. Ola Ronaldo
    Tenho quase todos os livros dessa maravilhosa autora
    Esse eu ainda náo li
    Ja li Misterio no Caribe ,A noite das bruxas ,os crimes ABC e o assassinato de a Roger Ackroyd .esse foi o unico que acertei quem foi o assassino .
    Agatha Christhie tem o poder de pegar a gente nos detalhes .e isso é que me fascina .a maneira engenhosa que ela elabora seus crimes é otimo

    ResponderExcluir
  4. Ronaldo!
    Na adolescência tive oportunidade de ler toda a obra da Dama do mistério e suspense e desde o ano passado, tenho feito a releitura aos poucos...
    Esse ainda não entrou na releitura, mas apesar de amar o Poirot, gosto quando a Agatha traz a descoberta do crime feita por pessoas comuns.
    Quase dá para descobrir mesmo, mas o bom é a surpresa do final.
    cheirinhos
    Rudy

    ResponderExcluir
  5. Olá! Agatha foi uma das minhas primeiras leituras no tempo de escola, mas confesso que isso já faz um tempinho (tempão), estou em dívida comigo mesmo em relação a autora, pois sempre que vejo uma dica de seus livros me proponho a finalmente voltar a ler, mas eis, que isso não vem dando certo, uma vez que até agora não comecei de fato #vergonha. Espero mudar isso de uma vez por todas, pois sei que será uma leitura bem interessante, e que foge um pouco do que eu venho lendo ultimamente.

    ResponderExcluir

Seu comentário é sempre bem-vindo e lembre-se, todos serão respondidos.
Portanto volte ao post para conferir ou clique na opção "Notifique-me" e receba por email.
Obrigada!

Editoras Parceiras

Postagens Recentes

Visualizações

Últimos Comentários

Lançamentos