Ponto Cardeal - Léonor de Récondo

Ponto Cardeal é sobre a vida dentro da vida. É sobre a vida escondida, sobre a vida impedida de ser vivida, sobre encontrar a única maneira de vivê-la - e de ser feliz com ela, de aceitá-la com tudo.

O livro me foi uma verdadeira surpresa. Acompanhando a trajetória de Laurent, embarcamos em sua jornada pessoal em busca de um encontro consigo mesmo, enfrentando o que há pra se enfrentar no meio de um caos interior que beira o inglório destino de quem se atreve a ser o que se é.

Com uma esposa e dois filhos adolescentes, Laurent, na verdade, é tudo aquilo que construíram a respeito dele. E isso começa a ruir quando, mesmo doendo, ele se dispõe quem é de verdade: uma mulher.

A partir disso, a autora desenvolve uma história sobre empatia, respeito e sobre a crueldade de estar em um lugar no mundo que lhe oferece perigo. Por ser uma mulher habitando um corpo que lhe é estranho, Laurent vive todo esse dilema.

E seu Ponto Cardeal gira em torno disso. Não é mais suportável pra ele ser apenas a Mathilda, nos fins de semana, sua persona feminina. Ela sabe ser mais que Laurent, sabe ser mais que Mathilda. Ela é Lauren e não importa mais o que precisa enfrentar, ela sabe que essa é a única maneira de estar e ser assim.

Quando aceita isso, quando expõe isso, algo se desconfia naquela tão bem construída edificação. Como lidar com o filho que não aceita ter duas mães? Como lidar em ocupar o espaço de "esposa da esposa"? Como ser mulher nascendo em um corpo físico masculino?

Embora a transexualidade, no livro, tenha sido tratada de maneiras até problematizáveis - e, certamente, as vivências de pessoas trans estão muito além da realidade da personagem - é abordado de maneira responsável até onde se pôde (por uma autora cis).

Acho que o cerne da questão está ali, no fim das contas. A sensibilidade da escrita, do olhar, a dureza também. A relação que se dá através disso e o rumo que a própria narrativa toma dão ao leitor um belo retrato, um retrato particularizado, de uma "vida a partir da vida", "existência a partir da existência".

Boa leitura!

Dentro de seu carro, num estacionamento, Mathilda retira com cuidado a maquiagem do rosto, o vestido apertado, o sapato de salto altíssimo. Veste um abrigo de ginástica e então já não é Mathilda, mas Laurent, marido de Solange e pai de dois filhos.
Quando percebe que incorporar uma persona feminina uma vez por semana já não é mais o suficiente, decide completar a transição. E abrir o jogo para a esposa e os filhos é só o começo dessa busca por sua verdade interior.

4 comentários:

  1. Gente!!!Que fascinante um enredo assim,mas posso ser sincera?? Deu uma tristeza ao ler a resenha e ver nitidamente a dor de Mathilda/Laurent.
    Fiquei aqui lendo e tentando me colocar no lugar dele/dela.Na angústia quando o pouco que fazia já não era mais suficiente. Quando as dúvidas bateram forte na alma. Na dor, decepção as vezes, com ele mesmo.
    Na família.
    Já quero demais esse livro em mãos e penso que obras assim, deveriam chegar a tantas pessoas que ainda julgam sem saber.
    Beijo e obrigada por apresentar algo tão lindo!

    Angela Cunha Gabriel/Rubro Rosa/O Vazio na Flor

    ResponderExcluir
  2. Ronaldo!
    Acho que o autor (ou será autora?) foi bem corajoso em abordar o tema da transsexualidade de maneira mais visceral, de forma nua e crua, sem romantizar muito essa passagem e mostrando os problemas e dramas pessoais pelos quais a/o protagonista passa.
    Acredito que finalmente ele tenha se encontrado.
    cheirinhos
    Rudy

    ResponderExcluir
  3. Olá! O livro conta a história da Mathilda, mas acho que reflete bem mais que a história dela, acaba também, contando a história de milhares de Joãos e Marias que hoje se encontram na mesma situação e no mesmo dilema que ela. Atualmente vem se falando bem mais sobre isso nas mídias em geral, mas sinceramente, ainda há um grande preconceito e pré-julgamento em relação a história de cada um, por isso, livros assim são essenciais para acabar de vez com isso, espero que mesmo não tendo sido escrito por alguém que de fato entenda profundamente as dores e consequências dessa escolha, a autora tenha conseguido passar seu recado!

    ResponderExcluir
  4. Que livro mais atual hein!!! Parabéns á quem escreveu está história e teve a ideia de abordar o tem da transexualidade. Vamos derrubar tabus e isto inclui a literatura também! Gostei bastante da premissa, a gente consegue sentir a mesma angústia que a personagem está sentindo. Com certeza deve ser uma grande história.

    ResponderExcluir

Seu comentário é sempre bem-vindo e lembre-se, todos serão respondidos.
Portanto volte ao post para conferir ou clique na opção "Notifique-me" e receba por email.
Obrigada!

Editoras Parceiras

Postagens Recentes

Visualizações

Últimos Comentários

Lançamentos