Estação Atocha – Ben Lerner

Estação Atocha é um livro sobre fazer um livro. Não. Melhor dizendo, é um livro sobre fazer uma poesia – e ainda assim não consigo precisar de forma justa. Vou dizer então que Estação Atocha é um livro sobre a vida – e você vai perguntar “mas todo livro, afinal, não é?” (e seja ele quando e como for, de qualquer tipo ou gênero, tudo se trata, é verdade, da vida...).

Bem Lerner faz aqui um ensaio sobre como é viver dentro da cabeça de alguém. Mas não de qualquer alguém: de um alguém que sai dos EUA, desembarca na Espanha bancado por uma fundação, consome drogas para tornar tudo “menos denso” e pretende escrever uma poesia – uma longa poesia sobre a Guerra Civil Espanhola.

O romance é, sobretudo, um ensaio de pequenas críticas a respeito das inúmeras representações das artes – plásticas, literárias, enfim. O poeta Adam Gordon, nosso protagonista, a todo momento nos tenta convencer (e se convencer) de que não é esse rotulo de poeta, porque, o que seria isso?

Ao longo da narrativa, todo vista sob seus olhos, vamos nos envolvendo com a trama que, a princípio, parece difícil e complexa. De fato é. Com lapsos temporais por vezes absurdos, num movimento que causa estranhamento num primeiro momento, Estação Atocha é mesmo essa busca do Adam por um sentido – e um sentido que está além de qualquer coisa que lhe seja palpável.

O livro em si não dá conta de grandes acontecimentos. Sua beleza está nas pequenas coisas: na rotina de Adam, em suas reflexões acerca da arte, em sua falta de esforço para fazer parte daquele todo espanhol, em sua recusa em aprender a língua, em suas invenções para imprimir possibilidade a essa mesma língua, em suas mentiras.

Controverso, o personagem é daqueles que causam certo desconforto. Por isso a leitura não é das mais fáceis. Com poucos diálogos, ela se passa quase inteiramente dentro da cabeça de Adam, sendo o leitor absolutamente manipulado por sua narrativa – com todos os seus méritos e deméritos.

Há passagens inegavelmente bonitas, trechos inteiros que nos levam por caminhos imprecisos e, em muitos momentos, o leitor é levado a se perguntar o que é ou não real. Tudo parece inventado, ele vivendo uma vida ali que não se sabe ser sua.

Li muito a respeito da obra e ela divide muitas opiniões: tem gente que ama e gente que odeia. Eu fico mais do que para o meio do caminho dos que amam. E não amo exatamente Adam, amo a forma como o autor constrói seu romance, sua narrativa, nos levando a inúmeras e precisas considerações sobre o mundo.

Isso, por si só, significa muito, muito mesmo!
Boa leitura!

Adam Gordom é um jovem poeta norte-americano que, graças a uma prestigiosa bolsa de estudos, muda-se para Madri com o objetivo de completar um projeto de pesquisa. Adam é um jovem brilhante, porém muito instável, narcisista e frequentemente tomado por um sentimento de alienação de si mesmo.Viciado em cafeína, usuário eventual de haxixe, comicamente inseguro com as mulheres e com forte tendência a se automedicar, Adam se vê mergulhado em uma busca constante por autenticidade, girando em torno dos limites da linguagem.

4 comentários:

  1. Eu admito que não conhecia a obra,mas gostei muito da premissa de estar dentro da cabeça do personagem, mesmo que isso seja sim, ser manipulada(o) por ele durante todo o tempo.Afinal, só nós podemos mandar e desmandar em nossos pensamentos e sentimentos né?
    Mesmo achando bem confuso e sim, até de difícil leitura, se puder, é uma obra que desejo ler!
    Beijo

    Angela Cunha Gabriel/Rubro Rosa/O Vazio na Flor

    ResponderExcluir
  2. Não consigo ainda me decidir se é um livro que gostaria de ler ou não, sou da turma dos romances e das narrativas fáceis, preciso admitir que o fato de um livro ser assumidamente difícil de acompanhar me tira um pouco a vontade... ☹️

    ResponderExcluir
  3. Olá! Confesso que não conhecia o livro e apesar de parecer ser uma daquelas leituras que tende a não ser fácil, não posso negar que o enredo em si chamou minha atenção, e fica sempre aquela curiosidade em saber o desfecho, ainda mais, com uma história tão diferente das quais eu estou acostumada a ler.

    ResponderExcluir
  4. Okay then...

    What I'm going to tell you may sound kind of weird, maybe even kind of "strange"

    BUT what if you could simply press "Play" to listen to a short, "musical tone"...

    And miraculously bring MORE MONEY into your LIFE???

    And I'm talking about hundreds... even thousands of dollars!

    Sounds way too EASY??? Think it's IMPOSSIBLE??

    Well then, I'll be the one to tell you the news..

    Many times the most magical blessings life has to offer are the easiest to GET!

    In fact, I will PROVE it to you by allowing you to PLAY a real-life "magical abundance tone" I've synthesized...

    You simply hit "Play" and you will start having more money come into your life... starting almost INSTANTLY...

    CLICK here to experience this magical "Miracle Abundance Tone" - as my gift to you!

    ResponderExcluir

Seu comentário é sempre bem-vindo e lembre-se, todos serão respondidos.
Portanto volte ao post para conferir ou clique na opção "Notifique-me" e receba por email.
Obrigada!

Editoras Parceiras

Postagens Recentes

Visualizações

Últimos Comentários

Lançamentos