Em Cartaz – Um Amor de Filme: O Sol da Meia-Noite

Nikolay Rodchenko (Mikhail Baryshnikov) é um bailarino soviético radicado nos Estados Unidos que fugiu do seu país para escapar do regime comunista. Durante uma viagem, e devido a uma falha mecânica do avião em que voa, é obrigado a permanecer na União Soviética. Ali conhecerá Raymond Greenwood (Gregory Hines) um bailarino de sapateado desertor da guerra do Vietnã, que o governo soviético utilizará para conseguir que Nikolai não volte a sair do país. 

Lendo a sinopse desse filme você pensa: "Deve ser apenas mais um filme sobre dança!" Você vai se surpreender com tudo que o filme passa além da dança, começando pelos protagonistas. 

Baryshnikov é mais que um bailarino, ele é a luz do filme. Sua dança impressiona, cativa, hipnotiza, nos tornando reféns do filme do início ao fim. A trama fala de guerra de interesses, mas acima de tudo de limitações impostas por um poder maior, que massacra as pessoas: a proibição de ir e vir. 

Um bailarino que para poder dançar seus sentimentos precisa pedir asilo em outro país, por que o seu o proibiu de ser quem ele é realmente. Mas um acidente o lança novamente nas garras de um país ditatorial e feroz que o quer como objeto de seus interesses. 

Eis que surge outro personagem da trama (Gregory Hines). O seu caso foi o inverso, desiludido com sua Pátria e pensando em uma vida melhor (ao lado de sua esposa russa), fugiu dos Estados Unidos e pediu asilo na União soviética, passando a viver uma liberdade assistida e chantageada. 

O filme impressiona pela força dos personagens em colocar para fora seus medos e terrores num mundo sitiado. O que eles buscam?! Liberdade, mas não apenas a liberdade de estarem onde desejam, mas de expressarem com suas danças tudo que reprimem em seus íntimos. 

Tocante, pulsante, emocionante, mas acima de tudo lindo de se ver! Sem falar no teor político existente, o filme é de uma beleza impar, com atuações belíssimas e um balé expressivo e de muita sensibilidade, com atores super inspirados. 

O tema do filme (Say You, Say Me), interpretada por Lionel Ritchie, merece palmas, só peca por aparecer apenas no final do filme, a meu ver deveria ser a música/dança entre os protagonistas, mas com certeza mereceu o Oscar com louvor. 

Preciso falar mais?! Assista, emocione-se e depois me diga o que achou.

8 comentários:

  1. Se você imaginasse por um segundo o impacto que você traz a quem ama cinema com essa coluna, você seria imensamente mais feliz ainda!
    Eu sou uma apaixonada por cinema e este filme é daqueles que nos cortam por dentro. Dilaceram a alma, não somente pelo enredo baseado na dança sim, mas também no drama destes homens que sentem tanto que precisam colocar pra fora de qualquer jeito.
    E se encontram na dança, na fuga, na busca pela liberdade. Mas nessa liberdade da alma, do que são lá dentro.
    A trilha sonora é outro ponto fundamental em todo o enredo e acrescento, a fotografia também é perfeita!!!
    Um ícone do cinema mundial!
    Amei, amei!!!!
    Beijo

    Angela Cunha Gabriel/Rubro Rosa/O Vazio na Flor

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigada, Angela. Essa coluna me faz muito bem, também. Ao fazê-la eu relembro tudo que vivi na época de quando assisti o filme pela primeira vez, realmente é uma viagem no tempo.
      Esse filme em especial me marcou demais, sem contar na minha paixão adolescente pelo Mikhail Baryshnikov e aqueles olhos lindos.
      Beijokas!

      Excluir
  2. Assisti a este filme há alguns anos atrás, lembro bem pouco, gostaria de assistir novamente. Sabe o que imaginei aqui comigo? Um livro dessa história, será que existe? Seria um baita livro né? Eu adoraria poder ler.

    Beijo amiga 😘😘

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Como é um filme que tem dança eu acho que um livro iria pedir muito da nossa imaginação, não é?!
      Mas o enredo geral seria bem interessante ler sim.
      Beijokas!

      Excluir
  3. Olá! Eita que temos aqui mais um filme que eu não conhecia, mas esse pedacinho (ainda mais com uma baita música de fundo) já foi suficiente para eu querer ver o filme e me emocionar! Amei saber que temos aqui uma história que vai além da dança e traz também outros temas fortes e importantes para época e que sempre despertam meu interesse! Uma ótima pedida em tempos de quarentena ❤️

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Co certeza, Elizete. E já que você não assistiu vai ser uma descoberta.
      Assista e se impressione.
      Bjs

      Excluir
  4. Leninha!
    O filme é um dos melhores de todos os tempos para mim. Amo musicais,ainda mais com Lionel Ritchie e tendo como protagonista o fabuloso Mikhail Baryshnikov, é de se assistir todas as reprises que passar.
    cheirinhos
    Rudy

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Esse filme é perfeito mesmo, quem assiste ama e quem não assistiu não sabe o que está perdendo.
      Bjs

      Excluir

Seu comentário é sempre bem-vindo e lembre-se, todos serão respondidos.
Portanto volte ao post para conferir ou clique na opção "Notifique-me" e receba por email.
Obrigada!

Editoras Parceiras

Postagens Recentes

Visualizações

Últimos Comentários

Lançamentos