O Colecionador de Memórias - Cecelia Ahern

Em O Colecionador de Memórias iremos conhecer a história de Fergus Boggs e Sabrina Boggs, pai e filha e uma relação um tanto quanto imprevisível. Pra começo de conversa o livro é narrado sob a perspectiva dos dois, alternando passado e presente. Fergus está internado em uma clinica de repouso por ter sofrido um derrame e necessitar de cuidados médicos constantes. Sabrina é casada e mãe de três filhos, porém nota-se que não é uma mulher satisfeita com sua vida, ela não se senti igual aos outros, é como se faltasse algo. 

Sabrina vive uma rotina simples em uma casa de repouso, até que um dia um fato muda tudo. Nesse ínterim ela recebe caixas que estavam empacotadas há muito tempo na casa de sua mãe e que acabaram indo parar na casa de repouso onde o pai está internado, e ao fazer uma inspeção nas caixas para conhecer seu conteúdo ela tem uma surpresa. Daí ela começa a perceber que aquele pai que ela jurava conhecer não é nada daquilo, e um mar de descobertas começa a ser agitado à sua frente.

Sou uma fã comedida de Cecelia Ahern, dos poucos livros que li dela consegui subtraiu a essência e trazer para minha vida lições que nunca esquecerei, porém em O Colecionador de Memórias — que apesar de não ser uma leitura incrível —, pude me dar ao luxo de avaliar o relacionamento profundo que pode existir entre pai e filha, e colocar na mesa o meu relacionamento com meu pai.

Mil perguntas se criaram na minha cabeça: Até onde conhecemos nossos pais?! Até onde um segredo pode revelar da personalidade de uma pessoa e também da nossa?! Como aceitar que quem amamos pode não ser aquilo que sempre pensamos dela?! Essas e muitas outras questões mais íntimas nasceram em mim, e com certeza irão permear a mente dos leitores dessa história.

Cecelia Ahern conhecer criar um suspense numa narrativa fluida, leve e simples, e deixa o leitor preso às páginas da história, criando assim um laço que nos prende à leitura de maneira primorosa. Eu gostei muito de conhecer dois personagens tão bem elaborados em suas caracterizações, e fiquei com sede de mais a cada parágrafo.

Porém, caro leitor, não espere aquele final estarrecedor. Como eu já disse, a autora escreve nas entrelinhas lições que só um bom observador pode captar e levar para a vida. Leia com a mente aberta para que consiga apreciar o livro em sua essência.
Eu amei!

Ahern, CeceliaO Colecionador de Memórias. Tradução: Alice Klesck. Ribeirão Preto, SP: Editora Novo Conceito, 2018. 268p. Título original: The marble collector.

Quando Sabrina Boggs tropeça em uma misteriosa coleção de bolinhas de gude que pertencia ao seu pai, percebe que não sabe nada sobre o homem com quem cresceu. É uma coleção valiosa e incomum – incomum se ela pensar no homem que sempre conheceu. No entanto, há algo real lá dentro, muito verdadeiro sobre seu pai, ou sobre a criança que ele fora.
Sabrina só tem vinte e quatro horas para descobrir os segredos do homem que ela pensava conhecer. Um dia para exumar memórias, histórias e pessoas que não sabia existirem. Um dia que a mudará para sempre.
Fazendo uma busca pelas memórias de seu pai, Sabrina persegue uma busca de identidade; os segredos que ela trará à tona irão mudar tudo o que dava por certo em sua vida. Mas se seu pai não é o homem que ela achou que fosse, quem é a própria Sabrina?

4 comentários:

  1. Acredito que ninguém de nós vai poder afirmar com certeza absoluta que conhece seus próprios pais ou até o outro que está ao nosso lado. As relações,sejam elas familiares ou não, sempre precisam destes segredos, ou não seríamos humanos..rs
    Que não deve ser fácil ver todo aquele modelo de um pai(isso pensando pelo lado de colocar o nosso no enredo) indo por água abaixo assim, de uma vez, é algo que a gente não se imagina vivendo e talvez seja essa a lição que a autora tentou passar.
    O amor sobrevive a segredos?
    Quero muito ler e ter minha resposta.
    Beijo

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Verdade, ninguém realmente conhece outra pessoa de verdade, às vezes penso que nem a nós mesmos nós conhecemos, não é verdade?!
      Se você gostou da premissa do livro , vai gostar de ler.
      Bjs

      Excluir
  2. Leninha!
    Primeira resenha que leio desse livro e estava ansiosa por saber do que se tratava, já que li vários livros da autora e gosto muito, inclusive a forma como escreve, de fácil entendimento, porém sempre trazendo algo inovador.
    Mesmo o final não sendo estarrecedor, sempre traz boas mensagens.
    Bom feriado!
    “O meu objetivo é colocar no papel aquilo que vejo e aquilo que sinto da mais simples e melhor maneira.. “(Ernest Hemingway)
    cheirinhos
    Rudy

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Cecelia Ahern sempre traz um algo a mais na sua escrita, lições primorosas, você vai gostar, Rudy.
      Obrigada por sempre estar aqui no SR. Ainda tô pensando que feriado é esse, mas ta valendo, rsrsr
      Bjs

      Excluir

Seu comentário é sempre bem-vindo e lembre-se, todos são respondidos.
Portanto volte ao post para conferir ou clique na opção "Notifique-me" e receba por email.
Obrigada!

Editoras Parceiras

Postagens Recentes

Visualizações

Últimos Comentários

Lançamentos