Mais Que Amigos - Lauren Layne

Será que vale a pena arriscar uma grande amizade em troca de um amor inesquecível?
Aos vinte e dois anos, a jovem Parker Blanton leva a vida que sempre sonhou. Tem um namorado inteligente e responsável, um emprego promissor e a companhia de seu melhor amigo, Ben Olsen, com quem divide um lindo apartamento.
Parker e Ben são tão grudados que muita gente duvida que eles morem sob o mesmo teto sem nunca ter vivido um caso, mas eles não se importam com o que as pessoas pensam. Sabem que não foram feitos um para o outro — pelo menos não para se envolver.
Por isso, quando um acontecimento inesperado faz com que Parker se veja sem namorado e com o coração partido, ela sabe que pode contar com Ben para ajudá-la a sacudir a poeira e partir para outra. Afinal, ninguém seria mais ideal do que seu melhor amigo para lhe mostrar os prazeres da vida de solteiro… certo?
Mais que amigos é uma comédia romântica irresistível!

Mas, gente...
Adorei!
Justo eu, que não posso ver um livro com cara de mais ou menos pra desandar numa implicância horrorosa sem ao menos ler. 

Porque eu realmente não esperava muita coisa dessa história, afinal, esse negócio de amigos que se apaixonam já foi tão medonhamente desenvolvido por aí que lá estava eu golfando pessimismo. 
Ainda bem que existe a boa e velha quebração de cara.

Imagina um livro muito fofo, bem humorado, com personagens reais; Ben não é um mocinho com auto-estima tão etérea que a sociedade não está preparada e nem Parker é uma mocinha cuja benevolência só existe no mundo das ideias. Nem é uma pamonha, do tipo que a gente torce pra se foder.
Sim, eu torço.

E a autora manda bem. Tem o tipo de escrita que adoro, enxuta, rápida, sem aquele monte de reflexão introspectiva dos personagens a cada duas linhas. Porque essa porra de blablablá interno só serve pra fazer eu me jogar num bacanal gastronômico pra fugir do tédio. Adivinha a pança de quem se agiganta?

A história:
Tudo começa quando Parker leva um pé na bunda do namorado almofadinha.
Emputecida, ferida e concluindo que os caras são tudo uns bosta, ela decide que o negócio é arreganhar e ser como Ben, seu amigo e roommate: passar o rodo geral.
O fato é que ele não gosta muito da ideia porque sabe que uma versão feminina de si mesmo não combinada com Parker, mas mesmo assim, tenta ajudar.
Com o tempo, ela conclui que foda sem sentido não rola e desvia sua atenção pra Ben: gostoso, disponível e seguro, por que não mandar ver com ele?
E as coisas vão por aí.
E depois não vão mais.

Adorei o livro porque ele foi bem realista. Achei tão fofo como a ficha dos dois foi caindo devagar, como começaram a se ver com outros olhos gradualmente, sem aquele negócio de “te comi, te amo pra sempre”. 
Clichê? Óbvio, mas também tem suas peculiaridades. E isso faz toda a diferença.

Sobre a capa... 100% Bem e Parker. Não fisicamente, mas a vibe do casal. Adorei também.

Super recomendado.
;)

P.S.: Para quem não sabe a Tícia criou uma página lá no face, passa lá.
Link AQUI.

Um comentário:

  1. Tenho namorado este livro desde que vi a capa pela primeira vez. Sim, sou o tipo romântica demais, que acha o amor esse troço meloso e que surge nas mais improváveis relações. Tá, entre amigos não é tão improvável assim.rs Mas mesmo assim, um baita clichê!
    Mas até que ponto isso pode estragar a amizade? Ou será possível continuar amigos mesmo se for apenas um "sexozinho" casual?
    Complicado...(só fazendo pra saber)
    Espero ler o livro em breve.rs(sem pança crescendo por favor.)
    Beijo

    ResponderExcluir

Seu comentário é sempre bem-vindo e lembre-se, todos são respondidos.
Portanto volte ao post para conferir ou clique na opção "Notifique-me" e receba por email.
Obrigada!

Editoras Parceiras

Postagens Recentes

Visualizações

Últimos Comentários

Lançamentos