Ligeiramente Pecaminosos - Mary Balogh

Em meio à Batalha de Waterloo, lorde Alleyne Bedwyn é ferido e dado como morto pela família. Ao acordar, ele se vê no quarto de um bordel sem lembrar quem é ou como foi parar ali. Sua única certeza é que deseja conquistar o coração do anjo que cuida dele todo dia. Contudo, assim como ele, Rachel York não é quem parece. Depois de enfrentar uma situação difícil, que a levou a viver numa casa de pecados, agora a bela e inteligente jovem precisa recuperar seu dinheiro e as economias das amigas prostitutas, roubados por um falso clérigo. E o belo soldado de quem vem cuidando parece perfeito para se passar por seu marido e ajudá-la em seus planos.
Porém, apesar de ter perdido a memória, Alleyne não perdeu nada de sua sedução. De volta a Londres, os dois se envolvem em um escândalo pecaminoso e, a cada beijo, esquecem que seu relacionamento é apenas uma farsa e ficam mais perto de se entregar à paixão.

Já faz uns meses que li meu último romance de época, e devo confessar que já estava com saudade. Li em setembro o quarto livro da série de Mary Baloch, e claro, estava morrendo de curiosidade com o final daquela história, até porque Alleyne é um dos meus mais queridos dos irmãos Bedwy's.

O livro começa no momento em que Alleyne cumpre sua missão na Batalha de Waterloo. E o que ficou como uma bruma de mistério no livro anterior da série, aqui é desvendado com detalhes. O que haveria acontecido com nosso herói? Sua família já não tinha esperança de sua volta, mas Alleyne está vivo, desmemoriado, ferido, porém bem vivo.

Nossa mocinha, Rachel, é uma garota doce e ingênua, tanto que foi enganada por um golpista, e mais, acabou sem querer envolvendo suas quatro amigas, que nada mais são do que prostitutas. Juntas elas querem encontrar o falsário e além de pegar seus bens de volta, ainda querem uma vingancinha cruel — adorei as ideias que as quatro desenvolvem para se vingarem, mesmo sabendo que não são capazes de serem cruéis o que culmina em boas risadas.

Rachel precisa de ajuda, e seu paciente lindo e desmemoriado decide ajudar. Ele arquiteta um plano para que ela possa tomar posse de sua herança e assim ter dinheiro suficiente para ir atrás do “vigário” vigarista, e para tanto se faz passar por seu marido, numa empreitada que rende bons e hilários momentos, claro que com a ajuda das amigas de Rachel.

Porém, a farsa cobra seu preço, e como resistir à atração iminente que surge entre esses dois personagens tão intensos e carismáticos?! Como Alleyne irá lidar com as lembranças que aos poucos vão retornando, e como encarar tantas incertezas de um passado que se torna um empecilho para que o amor posso aflorar da forma intensa?!

Personagens apaixonantes, um mote plausível para a expectativa deixada pelo livro anterior, um cenário bem desenvolvido e muito amor transpirando em cada página, foi assim que me senti ao término da leitura de Ligeiramente Pecaminosos. Alleyne e Rachel ganharam meu coração.

Apesar do desenrolar ser lento em alguns momentos da leitura, chegando mesmo a ser um pouco cansativo, em outras partes era tanta ação e emoção que foi impossível largar o livro até seu final, e que final, diga-se de passagem. Eu amei!

Deixo claro aqui a minha ansiedade para que se publique logo o último livro da série, não vejo a hora de conhecer a história de Wolf e rever todos os meus queridos Bedwyn's. Amo de paixão essa série.
Preciso dizer que recomendo a leitura?! Acho que não, não é?!

3 comentários:

  1. Leninha!
    Nossa! Perder a memória e ter que se sujeitar a mentiras para poder receber sua herança é bem impactante; porém, se tem amor, tudo consegue ser superado e no final... tudo dá certo.
    Deve ser uma ótima série.
    “Desejo a você e a sua família um Natal de Luz! Abençoado e repleto de alegrias. Boas Festas!”
    (Priscilla Rodighiero)
    cheirinhos
    Rudy
    http://rudynalva-alegriadevivereamaroquebom.blogspot.com.br/
    TOP Comentarista de DEZEMBRO ESPECIAL livros + BRINDES e 4 ganhadores, participem!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Na verdade Alleyne perdeu a memória e ajuda Rachel a recuperar sua herança, mentir nesse caso nem faz diferença, ele não lembra de nada mesmo, fácil incorporar o personagem, rsrsr
      Bjs Rudy!

      Excluir
  2. Fico imaginando o quão deve ser horrível perder a memória e estar a mercê de pessoas com más intenções desse jeito. Acho que se acontecesse comigo eu iria desconfiar até da minha própria sombra. De qualquer maneira, acho essa coisa de vigaristas em ficção históricas uma coisa muito divertida de ler, mentalmente eu fico gritando "ah fdp!" hahaha.
    Um abraço!

    http://paragrafosetravessoes.blogspot.com.br/
    Participe dos SORTEIOS de Natal que estão rolando lá no blog!

    ResponderExcluir

Seu comentário é sempre bem-vindo e lembre-se, todos são respondidos.
Portanto volte ao post para conferir ou clique na opção "Notifique-me" e receba por email.
Obrigada!

Editoras Parceiras

Postagens Recentes

Visualizações

Últimos Comentários

Lançamentos