Dublin Street - Samantha Young

Traumatizada pelo seu trágico passado, a americana Joss muda-se para a Escócia, na romântica Edimburgo, onde espera começar uma nova vida. Durante quatro anos tenta negar memórias dolorosas, refugiando-se na escrita, no sonho de um dia, finalmente, pôr os seus fantasmas no papel. Mas de repente tudo muda. Quando vai morar em um luxuoso apartamento na Dublin Street, conhece o desconcertante Branden, um carismático milionário que exerce sobre ela um irresistível fascínio. Joss se vê numa encruzilhada. Sabe que a atração entre ambos é imediata, avassaladora.
Mas os demônios do seu passado a impedem de se entregar ao sensual escocês. É então que ele lhe propõe um estranho acordo, que lhes permitirá explorar a atração entre eles sem se envolverem emocionalmente. Joss aceita. E no início acredita, inocentemente, que o acordo vai dar certo. Mas Branden quer mais, muito mais, quer tudo. Quer desvendar todos os seus segredos - e está disposto a mudar o que for preciso para tê-la por inteiro. Mas será que ela está disposta a ir até o fim?

Por que demorei tanto pra ler esse livro?
Por quê?
Bati cabeça?

É numa hora dessas que eu percebo o quão avançado está meu grau de doidice. Ou minha estranha tendência a escolher leituras de merda porque, puta que pariu, viu? Como Dublin Street pôde ter ficado tanto tempo dando mole na minha estante e eu solenemente o ignorei?
Depois fico reclamando. Sonsa.
Tomara que eu faça cocô na casa dos outros e ele entale.

Dublin Street foi a surpresa do ano, não esperava tanto, sério.
Comecei a leitura sem expectativa alguma porque achei que fosse mais do mesmo, ou seja, mocinho alfa e rico cisma com mocinha que faz rabo doce por incríveis trinta segundos, mas logo arreganha pro sujeito — cuja pujança fálica desafia a ciência —, e o coito ininterrupto desce ladeira abaixo.

Mas não é nada disso.
A história vai muito, muito além. 

Até tem muita pegação, mas não é um troço onipresente como em tantos outros livros; pelo contrário, torna tudo ainda melhor porque faz sentido. E ainda que a história tenha seus clichês (mocinhos que fazem acordo de só sexo, mocinha atormentada, blá-blá-blá), a autora conseguiu tornar a história foda. Romântica. Linda.

E que Braden é aquele? Alguém pode me explicar?
Só eu fiquei meio abestalhada? Num tem um pra mim, não?
Deus! Nunca Te pedi nada...
Tá, eu pedi.
Mas eu fui legal esse ano e...
Tá, num fui legal, não.
Deixa pra lá.

E a mocinha? Que porra foi aquilo?
É, ela tem seus traumas medonhos, mas precisava de tanto chilique? Será que uma pancada arrumada não dava jeito? Eu sei que os mais complacentes e bondosos entenderiam a morrinha, diriam que cada um reage a traumas de maneiras diferentes e etc. Bem, como eu não sou essa flor da compreensão, já teria mandando ela se foder na casa do caralho há tempos.

Bem, é isso. Não vou falar muita coisa, perde a graça.
O livro é realmente lindo, o tipo de história que te pega e fica uma luta pra largar. Ainda bem que estou de folga essa semana porque minha cara de “li a madrugada toda” murchou algumas flores e calou o canto dos pássaros.

Mega, super, hiper recomendado.
;)


10 comentários:

  1. Juro, inicialmente não sabia se você tinha odiado ou gostado muito do livro. Mas confesso que dei boas risadas quando vocÊ comentou que tem um talento pra escolher leituras de merda hahaha. Inicialmente parece mesmo mais do mesmo, porém, é legal quando nos arriscamos e acabamos gostando tanto que é difícil até falar. Recomendação anotada, e gostaria até de ter sabido mais, percebe-se o quão indignada e animada ao mesmo tempo ficou.
    Um abraço!

    http://paragrafosetravessoes.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Eduarda, esse livro é ótimo!
      Que bom que vc se interessou, tomara que goste tanto quanto eu. :D

      bjooo

      Excluir
  2. ahahaha, adorei a resenha conseguiu me deixar curiosa para ler este livro. Gosto deste tipo de capa e o gênero também. Eu estou com um bucado de livros na estante para serem lidos também, quem sabe não encontro uma história radiante. 😃

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Kauana, nem me fala dessa lista enorme de livros. Mas dê uma oportunidade pra esse. é muito, muito bom. :D

      bjooo

      Excluir
  3. Ai Tícia!
    Adoro suas resenhas... gargalho horrores!
    kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk
    Romance é bem minha praia e apesar desse não ser tão clichê no seu ponto de vista, para mim, quanto mais clichê melhor...kkkkk
    Já vi que é um daqueles romances doces e cativantes e quero ler logo.
    “A missão suprema do homem é saber o que precisa para ser homem.” (Immanuel Kant)
    cheirinhos
    Rudy
    http://rudynalva-alegriadevivereamaroquebom.blogspot.com.br/
    TOP Comentarista de NOVEMBRO com 3 livros + BRINDES e 3 ganhadores, participem!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Rudy,
      tb gosto de clichê, desde que seja bom. E esse é e não é ao mesmo tempo. Mas só sei que é ótimo!!!

      bjooo

      Excluir
  4. Oi Tícia! Realmente, suas resenhas me relaxam e me fazem rir muito, quem passa perto na hora fica olhando torto sem saber do que estou rindo em frente ao computador. kkkk Mas, amei sua resenha, tem livros que realmente nos surpreendem, ficam um tempão na estante e quando pegamos nos encantam. Não conheço este, e mesmo com alguns clichês já me deixou curiosa.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Cali.
      uai, se as resenhas fazem bem pra vc, fico feliz, O objetivo é desopilar o fígado mesmo. kkkk
      Pode ler esse, é ótimo. espero que goste tb. :D
      bjooo

      Excluir
  5. Lendo a sinopse, assim como você também achei que Dublin Street fosse mais do mesmo, e confesso que no momento estou fugindo de livros desse tipo, mas que bom que me enganei e que a história vai muito além disso... Também gostei de saber que a história apesar de ter muita pegação não é algo onipresente, sério, a impressão que tenho é que os autores se concentram tanto em criar histórias cheias de pegação que esquecem do argumento e a história acaba algo sem estrutura, rasa... algo que detesto!!
    Mas enfim, valeu pela dica, vou anotar com certeza e colocar uma observação para lê de preferência de dia para não correr o risco de virar a madrugada e parecer um zumbi na manhã seguinte ;)
    Amei sua resenha, como sempre!!
    Bjos.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Any.
      Achei esse livro um dos melhores Tomara que seja assim pra vc tb. :D

      bjoooo

      Excluir

Seu comentário é sempre bem-vindo e lembre-se, todos são respondidos.
Portanto volte ao post para conferir ou clique na opção "Notifique-me" e receba por email.
Obrigada!

Editoras Parceiras

Postagens Recentes

Visualizações

Últimos Comentários

Lançamentos