A revolução dos bichos - George Orwell, por Koudan

Olá pessoal, hoje o gênero escolhido é a fábula, e espero que vocês não sejam daqueles que consideram essa literatura coisa de criança, pois definitivamente, elas não servem apenas para ensinar “a moral da história” para os pequenos, e um bom exemplo disso, é o livro da semana, A revolução dos bichos, de George Orwell.

Gostaria de deixar claro que não estou usando essa resenha para ofender nem A nem B ou C. O que pretendo é mostrar como um livro, aparentemente simples, pode nos dizer tanto sobre dada sociedade e se prolongar no tempo de maneira tão atual. Dito isto, vamos lá!

A fábula é o gênero literário em que se utiliza das características dos animais, de maneira alegórica, e simples, para explicitar sobre os aspectos sociais e humanos. O ar inocente que os animais podem dar a história é um dos recursos mais sofisticado para se ensinar e criticar. Inclusive, eu considero um dos maiores utilizadores desse recurso, o Padre Antônio Vieira, da época do Brasil colonial; mas continuemos. Desde os gregos, esse estilo é usado com esse propósito e, infelizmente, é muito pouco utilizado hoje em dia.

O livro de Orwell fala sobre a Fazenda Solar, na Inglaterra, cujo proprietário explorava os animais até a exaustão sem compartilhar com eles o quinhão da produção. O que deixava os bichos muito insatisfeitos e zangados. Percebendo isso, o velho porco major, convocou uma assembleia entre todos os animais da fazenda para seu último ensinamento, antes que finalmente se fosse. O velho porco era tido pelos outros animais como muito sábio devido a sua longevidade, e por isso, digno de ser ouvido e porque não, seguido.

O discurso eloquente do velho major levantava questões fundamentais que passavam por todos animais presentes. Por que as galinhas eram furtadas de seus ovos, que na verdade eram seus filhotes, o cavalo explorado em sua força e as ovelhas roubadas de suas lãs e por aí vai. O que o major queria dizer, em síntese, é que os animais precisariam se unir para reverter àquela situação de degradação. Após os bichos se entusiasmarem com as sábias palavras do porco ancião, resolveram que deveriam lutar se quisessem ser livres do flagelo imposto pelo dono da fazenda. Assim, o velho major morreu, após ter ensinado a valiosa lição de que se precisa lutar pela liberdade.

O dono da fazenda foi posto para fora, após os bichos se unirem e fazer sua revolução por liberdade contra a exploração. Houve baixas, então, alguns animais morreram na luta contra a opressão. Como eu disse, não esperem uma história inocente, pois definitivamente, ela não tem nada disso.

Passa-se o tempo e algumas melhorias foram feitas na fazenda e os animais criaram suas próprias regras e hino para celebrar o fim da ditadura humana, e o lema mais utilizado para se lembrarem da época de exploração era, quatro patas bons, duas patas ruins, claro que houve protesto das galinhas e dos patos, mas os porcos se adiantaram e os convenceram de que as asas contavam como patas e assim passou.

O que ocorre é que os porcos, por serem mais inteligentes, passam a gerenciar a fazenda, e os animais vão percebendo aos poucos que toda revolução tem seu preço ou suposto preço. Ou seja, os animais não foram felizes para sempre, e vou parar por aqui, para não estragar sua experiência, caso você ainda não tenha lido o livro.
 
Por ser uma fábula, a leitura é simples, porém muito sofisticada e requintada com belíssimas passagens muito simbólicas, por favor, não deixem de ler. Como eu gostaria que tivessem me cobrado esse livro no vestibular, ao invés de tantos outros.

Vamos para nossa leitura de inferência.

Esse livro foi publicado em 1945, logo após a segunda guerra. Vamos lembrar que no lado vencedor tinha, Estados Unidos, Inglaterra e União Soviética, entre as principais nações. E isso foi considerado um problema na época para sua publicação. Por uma razão simples, porque a fábula era uma alegoria da Revolução Russa de 1917-1918, especificamente do governo ditatorial de Josef Stalin, que é representado pelo porcão Napoleão no livro. As edições chegaram a ser proibidas em muitos lugares, mas logo após polarização do mundo em capitalista e socialista, ele serviu de propaganda para o governo americano contra os comunistas.

É claro que a obra não tinha esse objetivo, o que Orwell propunha, era uma reflexão a cerca de um, entre vários movimentos sociais, que surgiam no início do século XX, que era o socialismo. Importante dizer, que o próprio Orwell era de esquerda, mas não significava que ele concordasse com a revolução russa ou a apoiasse, infelizmente ela foi usada para esse propósito, como propaganda, até mesmo com um desenho animado direcionado não apenas às crianças (ela está disponível no YouTube, mas é apenas um resumo didático do livro).

Essa história continua atual sobre vários aspectos, é um ótimo exemplo de como esse estilo pode ser atraente na mão de ótimos escritores e como suas palavras podem ser tomadas como arma ideológica, talvez não tenha sido utilizada como autor desejou, mas como sociedades são mutáveis, podemos considerar que textos e histórias podem adquirir sobreposições semânticas para qualquer lado, bastando apenas habilidade com as palavras e disposição para isso.

Queria mencionar que o final do livro é excelente e surpreendente e a frase do final, esboça muito bem a relação de poder, quando a regra é dita de cima para baixo, não a mencionarei aqui para não estragar sua surpresa.

A título de curiosidade, esse autor cunhou também a expressão Big Brother, em seu célebre romance, 1984, uma distopia, em que as pessoas eram constantemente vigiadas pelo governo por meio de câmeras de vídeo.

Bom, espero que vocês tenham gostado e o mais importante, tenham interesse em ler o livro, que é fantástico!

See you in space cowboy.
 
Koudan - Professor de História, Orientador Educacional e Contista, foi membro do Núcleo de Literatura da Câmara dos Deputados  e pesquisador em História oral e Mitologia greco-romana. Amante de ficção científica e animação, e leitor ávido de quadrinhos e livros.
 

4 comentários:

  1. Olá,
    que resenha incrível, super completa! Já queria ler esse livro antes, agora mais ainda.
    Grande Beijo.
    Jhe.

    Te indico um romance: Marketing e Amor.
    Uma leitura rápida e sedutora.
    http://estudaodonto.blogspot.com.br/2016/07/livro-marketing-e-amor-autor-rebecca.html?spref=tw

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá Jheinis. Muito obrigado pelo elogio e ainda mais pela dica. Pretendo sim, dar uma olhada nesse link. Até!

      Excluir
  2. Esse livro é incrível, li quando estava no ensino médio e fiquei fascinada pela forma que o autor encontrou para fazer críticas sobre política, ética, sociedade, poder. Fábula é um gênero interessante e tenho muita vontade de escrever, mas acho difícil lidar com alegorias.

    http:/www.umavidaemandamento.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá Bruna. Você tem toda razão. A dificuldade se encontra na simplicidade. Obrigado pelo comentário.

      Excluir

Seu comentário é sempre bem-vindo e lembre-se, todos são respondidos.
Portanto volte ao post para conferir ou clique na opção "Notifique-me" e receba por email.
Obrigada!

Editoras Parceiras

Postagens Recentes

Visualizações

Últimos Comentários

Lançamentos