As Peças Infernais - Cassandra Clare, por Laís

As Peças Infernais (The Infernal Devices no original) é uma nova série de romances escrita pela autora Cassandra Clare, centrando em um número de raças, coletivamente chamadas de Integrantes do Submundo, introduzidos na outra série de sua autoria, Os Instrumentos Mortais. A série tem seu lugar na Londres Vitoriana, dez anos antes da paz travada entre os Caçadores de Sombras (integrantes do Mundo das Sombras responsáveis por livrar o planeta da ameaça dos demônios) e os Integrantes do Submundo (vampiros, lobisomens, feiticeiros e fadas) se iniciar.
Como os Caçadores de Sombras consideram-se mais superiores e puros do que os Integrantes do Submundo ou os demônios, eles podem ter nenhum escrúpulos em querer matá-los. O primeiro livro da série é intitulado Anjo Mecânico e introduz a história de Tessa Gray, uma adolescente órfã que vai até Londres para encontrar seu irmão, Nathaniel Gray. Para isso, terá que forjar uma aliança com os misteriosos Caçadores de Sombras, para sobreviver num inimaginável mundo perigoso.

Nota: Cuidado! Há alguns spoilers de Instrumentos Mortais! Mas não há nenhum spoiler de “Peças Infernais”.

Sou uma fã incondicional da série os Instrumentos Mortais. Portanto, imaginem minha agitação ao descobrir que a Cassandra Clare havia lançado uma nova série, deste vez uma trilogia que se passava no mesmo mundo de Instrumentos Mortais, só que no século XIX. Fiquei curiosíssima, afinal de contas, o que poderia ser melhor do que o Mundo das Sombras na Londres Vitoriana?

E, de fato, essa trilogia não deixou nada a desejar. Vou lhes oferecer alguns dos meus pontos favoritos de Peças Infernais:

1) Árvores Genealógicas: Ela retrata o passado de várias famílias que conhecemos e amamos: os Lightwoods (antepassados de Alec, Isabelle e Max); os Herondales (antepassados de Jace, também conhecido como Jace Wayland, e da Inquisidora Imogen); e sobre os adoráveis Carstairs, a família da Emma, protagonista da nova série de Clare, Os Artifícios das Trevas (o primeiro, Dama da Meia-Noite, já foi lançado, e obviamente está na minha lista de leituras de 2016. Por sinal, é a melhor capa, a meu ver, de todas das séries).

2) Magnus Bane: descobrimos mais um pedacinho do passado de Magnus, o Alto Feiticeiro do Brooklyn de Instrumentos Mortais. Nesta trilogia, ele terá, mais uma vez, um papel essencial na história, tornando-se companheiro de batalhas de Tessa, Will e Jem.

3) Jem & Tessa: conhecemos Jem e Tessa na série Instrumentos Mortais, durante as batalhas e guerras contra o pai de Clairy e seu filho, “Sebastian”, e ficamos muito curiosos sobre suas histórias. Pois bem: aqui é onde tudo começa. E vou admitir: foi bem melhor do que eu esperava.

4) Londres Vitoriana: deu para perceber que a Cassandra Clare fez o trabalho de casa. A descrição dela da Londres dos anos 1840-1850 é simplesmente impressionante: você de fato se sente na cidade naquela época. A sensação foi de uma deliciosa viagem no tempo para um lugar e época que sempre tive um grande desejo de conhecer. Bem, Os Instrumentos Mortais, além de livros, são também maravilhosas máquinas de viagem no tempo.

5) Triângulo amoroso: aqui alguns podem pensar “Ih, a autora repetiu a mesma coisa que fez com Clary-Jace-Simon...”. Mas o triângulo entre Tessa-Jem-Will é absolutamente diferente e, a meu ver, infinitamente mais interessante. Há muitos mistérios e segredos que circundam esses três personagens, e muitas coisas não ditas entre eles. Amei como a autora desenvolveu os sentimentos de cada um deles, transformando-os em histórias de amor sem clichês e viciantes para o leitor.

Nem preciso dizer que considero esta leitura obrigatória para qualquer fã de Instrumentos Mortais! E se você nunca leu a série original, acredita que possa ler essa trilogia sem problemas!
*************************************


Laís é autora do livro Primeiras Impressões, uma adaptação moderna de Orgulho e Preconceito.


14 comentários:

  1. Já assisti ao filme de instrumentos mortais e gostei bastante, pelo fato de achar a estória surpreendente, com personagens cativantes, com mistérios a serem desvendados, fiquei muito triste por não terem lançado a continuação. Nunca parei para pensar que se gostei tanto do filme poderia dar um chance aos livros, pois poderiam ser muito melhor, e agora apareceu essa trilogia que eu não conhecia, e achei uma boa oportunidade de ler algo parecido, e que tenho certeza que vou gostar, pois através da sinopse já me senti atraída a leitura, e sei que essa autora não peca em seus livros de fantasia.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Lana!

      além de escrever muito bem, dando atenção aos detalhes dos locais em que estão os personagens, a Cassandra sabe desenvolver super bem seu enredo e personagens. Assim, não passamos um momento sequer entediados. É adrenalina do começo ao fim! E já adianto que a série Instrumentos Mortais também vale super a pena!!!

      Beijos,
      Laís

      Excluir
  2. Oiii
    Eu já disse o quanto amo essa serie?
    Ate o triangulo amoroso foi perfeito e ela teve um final perfeito.
    Eu amo todo o mundo que a Cassandra Clare fez e as peças infernais e meu preferido <3
    Bjs

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Lari!

      Nossa, sou viciada nesta e todas as séries da Cassandra sobre o Mundo das Sombras. Espero que venham muitas mais! Já comecei a ler a Dama da Meia-Noite e estou AMANDO!

      Bjs,
      Laís

      Excluir
  3. Mana essa trilogia foi perfeita ao meu ver, destaque para o triangulo amoroso que se diferenciando dos outros teve um final tão perfeito que não tenho palavras para descrever, esses livros são maravilhosos e devem ser lidos por todo fã da Cassandra Clare pois eles iram encontrar uma ótima história.

    ResponderExcluir
  4. Oi Lais tudo bem flor?!

    Então pelo visto essa trilogia deve ser muito boa,pois você teceu muitos elogios á ela! De cara posso dizer que achei essas capas divinas,e apesar de não ter lido os livros,creio que a capa remete bastante ao enredo. Realmente um trabalho artístico maravilhoso nessas capas,meu amigo da escola tinha esses livros e eu ficava babando nelas!

    Olha,serei bem sincera,por tudo o que já ouvi falar dos livros eu não leria,pois realmente não faz meu estilo,mesmo acreditando que para quem curte o gênero eles sejam uma boa pedida!

    É muito difícil algum livro com temas mais fantásticos,relacionados á demônios e/ou mundos paralelos me agradar sabe,poucas exceções para mim quando se trata desses temas,então eu não leria essa trilogia.

    E outra coisa,triângulo amoroso: você não têm ideia do quanto eu odeio isso,e realmente é o que mais pesa na minha decisão de não ler os livros,pois eu não gosto quando um personagem fica indeciso e/ou dividido entre dois amores,odeia essa indecisão!! Ou ama um,ou ama outro,ou não ama ninguém rs É sou bem radical nesse quesito,e exigente também,por isso sei que não daria certo eu ler ,mesmo achando que a autora soube trabalhar bem esse triângulo amoroso sem ficar clichê....mas de qualquer forma eu continuo não gostando disso :/
    Mas sua resenha está muito boa,pois você caracterizou bem a história dos livros,fazendo quem é fã de Instrumentos Mortais se interessar ainda mais por esse livro e/ou quem é fã desse gênero querer ler para ontem rs Ainda mais que você cita,que o livro foi bem contextualizado em relação á época que é retrado,pois isso é super importante,a autora ter gabarito para caracterizar uma época ao ponto de quando lermos,podemos sentir que estamos em tal lugar e em tal época retratado no enredo. Fantástico isso =D

    Enfim,eu também tenho um certo receio de o livro pender muito para o lado juvenil,será que é esse o caso?

    Bjão e ótima resenha :)

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Dani!

      Apesar de ser um livro para o público YA (Jovens Adultos) os fãs de fantasia de todas as idades vão adorar, pq a escrita e enredo da Cassandra são de excelente qualidade!
      Acho que vale ler os capítulos iniciais, pq é o tipo de leitura que, se não te agarrar no começo, não vai te conquistar.
      Devo admitir que desde as primeiras páginas fiquei viciada! hahahahahaha

      Também não curto muito triângulos amorosos cheios de clichês entediantes, mas a forma como a Cassandra desenrolou essa história me prendeu demais!

      Beijos!!!!!
      Laís

      Excluir
  5. Estou lendo o último dessa trilogia e realmente são maravilhosos! ainda não li a saga de Cidade dos Ossos, mas agora sei que comecei certo. E agora em diante vou absorver e entender melhor o mundo Cassandre Clare e seus caçadores de sombras rsrs. Amei essa trilogia!!

    Beijo
    • Senhorita Inspiradora

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Pois a Senhorita não pode deixar de ler a série Instrumentos Mortais! ;-)
      Vc tb vai amar!!!
      Beijos,
      Laís

      Excluir
  6. Eu ainda estou lendo os Instrumentos Mortais e morro de vontade de ler essa trilogia das peças infernais principalmente para saber mais sobre o Magnus e porque eu gosto de histórias ambientadas na era vitoriana.
    Abraços

    ResponderExcluir
  7. Depois de assistir ao filme Instrumentos Mortais fiquei com uma pequena curiosidade em relação ao desfecho da série, ainda mais depois da estréia da adaptação da série esse ano na tv, mas o triângulo amoroso acaba com qualquer curiosidade minha, detesto triângulo amoroso, e como é algo também presente em As Peças Infernais, dificilmente lerei essa trilogia...
    Mas achei interessante essa nova série da Cassandra Clare ser ambientada no século XIX, e essa parte em relação as árvores genealógicas é também pra mim um ponto bastante positivo... Contudo, essas qualidades não me convenceram a ler essa trilogia, mas não tenho dúvidas que essa é uma ótima dica pra quem curtiu Instrumentos Mortais.
    Bjos!

    ResponderExcluir
  8. Olá, Laís!

    Mesmo nunca tendo lido Instrumentos Mortais ou As peças infernais, já li várias resenhas sobre a série. E é incrível saber que mesmo sendo uma série para jovens, a Cassandra Claire consegue ligar as histórias do passado e do presente dos Caçadores de Sombras. Parece até ela criou um mapa na mente, no quarto, ou onde quer que ela tenha escrito esses livros para que não haja erros de continuidade entre os personagens das Peças Infernais e de Os instrumentos mortais e ela deve ter mantido essa mentalidade toda para Os Artifícios das Trevas.
    O triangulo Tessa-Jem-Will não é só um triangulo baseado na disputa de um amor, há também o peso da amizade de Will e Jem e o fato de serem Parabatais e de um se sacrificar pelo outro, até mesmo no amor.
    Mas o que achei impressionante é que um pouco das dificuldades dos Caçadores de Sombras dos dias de hoje vir do fato que os Caçadores de Sombras do passado se sentirem como déspotas e preconceituosos, se achando melhores e mais merecedores da vida que os Integrantes do Submundo, que deveriam em um certo ponto serem seus aliados, alimentando a vingança no pai da Claire.
    E no ultimo volume de Instrumentos Mortais, ela une esses dois grupos e mostra, como já falei antes, como tudo está conectado no mundo dos Caçadores de Sombras.

    Um abraço!

    ResponderExcluir
  9. Eu amei, super indiquei para Tícia, desafiei ela não gostar mesmo com um tipo de "triângulo amoroso". Mas na boa, aquela abordagem de amor de Cassandra superou qualquer história que já li até hoje! amei, amei e amei!

    ResponderExcluir

Seu comentário é sempre bem-vindo e lembre-se, todos são respondidos.
Portanto volte ao post para conferir ou clique na opção "Notifique-me" e receba por email.
Obrigada!

Editoras Parceiras

Postagens Recentes

Visualizações

Últimos Comentários

Lançamentos