Desejo Proibido - Sophie Jackson

Primeiro livro de uma trilogia, Desejo proibido é uma história de amor e redenção, de universos distantes que se aproximam e se fundem numa paixão avassaladora. Seu amor é proibido, mas não pode ser ignorado. Katherine Lane nasceu em berço de ouro. Filha e neta de senadores, a bela ruiva de olhos verdes e curvas perfeitas se formou em Literatura e surpreendeu a todos ao decidir dar aulas em uma penitenciária. Mas quando Carter, um detento inteligente e perigosamente sexy, desperta ao mesmo tempo a raiva e o desejo de Kat, ela é forçada a admitir para si mesma que a decisão de lhe dar aulas particulares pode ter sido motivada não pela generosidade, mas sim pela crescente atração entre os dois.
Embora a família e os amigos de Kat temam que a paixão destrua sua carreira e sua vida, tudo o que ela quer é ficar com esse homem que a faz sentir-se completa. Porém Carter guarda um segredo que tanto pode unir seus destinos para sempre quanto afastá-los de uma vez por todas.

Sabe quando você está empacado? Emperrado? Estorvado? Tipo, tudo que começa a ler instiga seu lado xexelento e a leitura não flui? Daí, em meio a esse lamaçal de desgosto literário, um inevitável impasse é criado. Você:

1) abandona a bagaça e tenta outro livro porque essa merda não vai melhorar; ( )
2) vira macho, incorpora o otimismo e prossegue; vai que a coisa toda desenvolve? ( )
3) Fica num estado de inércia e não faz porra nenhuma. (X)

É, há tempos venho passando por essa crise. Já estou até começando a acreditar que me jogaram uma inhaca das braba e esse encosto não sai nem a pancada. Tudo que eu começo a ler, logo desando na implicância, arrumo defeito, espalho a discórdia literária e blábláblá.

E Desejo proibido, coitado, foi a vítima da vez. Mas sabe o que é pior? O livro não é ruim. Meio paradão, com alguns clichês, mas a história é bonitinha, não merecia tanta xexelentice de minha parte. Sabe a velha máxima de “o problema não é você, sou eu.”?
Pois é.

Os personagens são bons, seus conflitos são interessantes e, siiiiiim, a relação entre eles foi inicialmente reconhecida como atração sexual e não alcunhada de amor como tenho testemunhado por aí. Aliás, espero que o amor-instantâneo faça uma boa viagem para a puta que o pariu, fique por lá e não me apareça mais em livro algum.
Essa macumba faz tanta falta quanto a Dilma.

Bem, mesmo achando tudo muito bonitim e conseguindo relevar frases onipresentes como “Me fode duro, fulano” ou “Ela me deixa duro”, agarrei nos 70% do livro. 71, 72, 73% e lá estava eu empacada. Nem uma sessão intensiva de descarrego literário dava conta.
Bem, li um livro daqui, abandonei outro acolá, mas ontem me chamei na chincha: ou eu termino de ler essa merda ou eu termino de ler essa merda. Eu preferi terminar de ler essa merda.

E cá estou.
Gostei. Sério. E queria deixar bem claro que o livro não é uma merda. Meu mau humor é que é um recalcado. A história é bonita, fala de superação, do amor surgindo do improvável, fala de amizade verdadeira, de relações familiares. Algumas cenas são impactantes e Deus me livre passar pelo que a mocinha passou.

Só achei que a autora poderia ter explorado a história por outros caminhos também. Mas como me conheço, se ela tivesse feito isso, eu provavelmente estaria reclamando.
Porrada resolve chilique?

Recomendo?
Ahhhhhhhhh... até que sim.

;)

8 comentários:

  1. No Geral, eu gostei. Achei a história bonitinha e tals, mas, ao mesmo tempo achei tudo muito cor de rosa demais (sim, eu sei que é romance mas um tikinho de realidade cairia bem) e teve umas "soluções " que a autora deu que achei que forçou a amizade.
    De qualquer forma, fiquei curiosa para ler o segundo livro.

    bjs

    Thaís:)

    Uma Conversa Sobre Livros

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Então, Taís, vc deve estar como eu: gostou, mas este não é um livro do tipo inesquecível. ;)
      bjooo

      Excluir
  2. Oiii
    Ainda não li ele,mas quero muito.
    Ja esta na milha lista de leitura(que parece nunca diminuir).
    Bjs

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Leia sim, Larissa.
      A história é bonita, vale a pena.
      bjooo

      Excluir
  3. Olá Tícia ^^

    Você implicou mesmo com o livro rsrs Aina pretendo o livro, me parece ser bonitinho mesmo, amo histórias de superação.

    Beijos,

    http://livrosentretenimento.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. POis é... Quando eu cismo, já era. kkkkkk
      Leia sim, vc pode gostar muito da história. ;)
      bjooooo

      Excluir
  4. Ai Tícia!
    Você me faz rir nas madrugadas ao comentar suas resenhas.
    Triste quando nenhum livro nos agrada, né?
    Ando numa fase de não conseguir ler muito, mas é por falta de concentração mesmo e preguiça acho, acredito que a obrigação de ler alguns livros me trava.
    Tomara que nossas fases passem logo...
    ”Uma vida sem desafios não vale a pena ser vivida.”(Sócrates)
    cheirinhos
    Rudy
    http://rudynalva-alegriadevivereamaroquebom.blogspot.com.br/
    Participem do nosso Top Comentarista, serão 3 ganhadores!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ôxi, Rudy... sei como é esse negócio de leitura obrigatória. Já fiz e ainda faço muuuuuuuito isso.
      Tomara que a má fase passe. ;)
      bjoooooo

      Excluir

Seu comentário é sempre bem-vindo e lembre-se, todos são respondidos.
Portanto volte ao post para conferir ou clique na opção "Notifique-me" e receba por email.
Obrigada!

Editoras Parceiras

Postagens Recentes

Visualizações

Últimos Comentários

Lançamentos