Ligeiramente Casados - Mary Balogh

À beira da morte, o capitão Percival Morris fez um último pedido a seu oficial superior: que ele levasse a notícia de seu falecimento a sua irmã e que a protegesse Custe o que custar!. Quando o honrado coronel lorde Aidan Bedwyn chega ao Solar Ringwood para cumprir sua promessa, encontra uma propriedade próspera, administrada por Eve, uma jovem generosa e independente que não quer a proteção de homem nenhum.
Porém Aidan descobre que, por causa da morte prematura do irmão, Eve perderá sua fortuna e será despejada, junto com todas as pessoas que dependem dela... a menos que cumpra uma condição deixada no testamento do pai: casar-se antes do primeiro aniversário da morte dele o que acontecerá em quatro dias.
Fiel à sua promessa, o lorde propõe um casamento de conveniência para que a jovem mantenha sua herança. Após a cerimônia, ela poderá voltar para sua vida no campo e ele, para sua carreira militar.
Só que o duque de Bewcastle, irmão mais velho do coronel, descobre que Aidan se casou e exige que a nova Bedwyn seja devidamente apresentada à rainha. Então os poucos dias em que ficariam juntos se transformam em semanas, até que eles começam a imaginar como seria não estarem apenas ligeiramente casados...

Quem me conhece, sabe da minha predileção por romances históricos e também o quanto gosto de me aventurar nas páginas de uma nova série, ainda mais quando se trata de livros que narram as histórias de uma nova família, ainda mais quando me deparo com um personagem tudo de bom.

Foi com grande expectativa que adentrei nas páginas desse romance para conhecer essa nova autora que a Editora Arqueiro trouxe para as fãs de romances de época. Eu sou uma apaixonada por belas histórias e romances que trazem amores incondicionais, paixões avassaladoras e sempre um humor pitoresco, mas devo dizer que "Ligeiramente casados", a trajetória da Família Bedwyn, em comparação com as outras famílias já apresentadas e publicadas pela editora, ficaram aquém do que eu esperava. Sei lá, parece que a família é mais fria, menos convidativa, mais reservada e, devo confessar, que não me deu aquele vontade esfuziante de conhecê-los em seus respectivos livros. Talvez eu mude de ideia, pois estou apenas iniciando a série, mas se fosse para ler em sequência, com certeza eu colocaria outro livro entre as leituras.

Ligeiramente Casados traz a história de amor, por assim dizer, entre o Coronel Aidan, um homem reservado e que põe a honra acima de todas as coisas; e Eve, uma mocinha inteligente, frágil e que precisa de proteção, mesmo que não admita isso.

O romance entre os dois me lembrou os meus queridos romances históricos de banca, aqueles cheios de clichês e cenas fáceis de aceitar, mas, infelizmente, achei a narrativa um pouco morosa e lenta, porque demorou a me pegar.

Não é um livro ruim, longe disso, acho que a química não rolou comigo, sei lá. Eu esperava uma leitura mais ágil e humorada, como foi com as leituras de Lisa Kleypas e Julia Quinn, mas acho que Mary Balogh é mais sucinta, mais introspectiva, por assim dizer.

Com certeza a autora tem muito a oferecer com sua série. Acho que irei gostar do livro do irmão mais velho, o Duque Bewcastle. Acredito que a série vai ser interessante de conhecer, pois Ligeiramente Casados deve ter sido apenas um pouco do que vamos encontrar durante a leitura, porém, como disse acima, ainda bem que tenho uma pausa entre a publicação de um livro e outro, assim terei novamente gás para acompanhá-la.

Um bom romance de época, uma história de amor que pega aos poucos e que teve um final lindamente narrado, queria ter encontrado mais a dinâmica daquele final durante toda a leitura.

14 comentários:

  1. Ih, querida, eu adorei esse livro, mas acho que você tem razão, a família do coronel é meio fria mesmo... Talvez esquente com os novos volumes...
    E, um duque sempre é um duque, não é mesmo?
    Bjks

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Torcendo fervorosamente por isso, adoro todo e qualquer livro de época, até os de história verídica. Não quero deixar de ler essa série, sou brasileira e não desisto nunca!
      bjs

      Excluir
  2. Ah Leninha, eu me entusiasmei taaaaanto com esse romance. Eu adorei! Achei o Coronel tão herói sabe, tão fofo, e o final... foi uma das declarações de amor mais lindas que já li.
    Quanto à frieza da família, eu adorei... acho que quando eles esquentarem, vai ser perfeito. Queria ler o próximo já!!!
    Rsrsrs.
    Gostei muito de ler sua resenha.
    Bjos

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Também amei aquele final Nelma, queria ter visto mais daquele romantismo durante a leitura, só achei que faltou MAIS.
      Tomara que o trem esquente mesmo. #oremos

      Obrigada e volte sempre!
      Bjs

      Excluir
  3. Nossa essa série prometem, amo romance de época e essa parece ser ótima, cada resenha que leio desse livro me deixa ainda mais ansiosa pra conferi essa história.

    ResponderExcluir
  4. Bem Leninha!
    Não li nada da autora ainda, entretanto sou totalmente arrebatada pelos romances históricos e com toda certeza darei uma chance ao livro.
    Cheirinhos
    Rudy
    http://rudynalva-alegriadevivereamaroquebom.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Dê uma chance sim Rudy, só por ser histórico já vale a leitura.
      Bjs

      Excluir
  5. Ah, eu adorei!! Já comecei me encantando pela capa. Adoro quando a capa tem relação com a história, e consegue identificar totalmente a mocinha com a figura.
    O romance dos dois foi realmente meio frio, mas não se pode esperar uma paixão arrebatadora de duas pessoas desconhecidas. A relação deles foi sendo construída e no final eu acreditei realmente que havia amor entre o casal. Adorei!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Avaliando tudo que você disse acho que chego a seguinte conclusão: Tô doce pra caramba, querendo romances em cada página ou apaixonada demais, rsrsrs.
      Bjs Cris, bom te ver aqui!

      Excluir
  6. Olá, Leninha!

    Acho que essa frieza dos Bedwyn em relação a outras famílias de romances históricos ocorre porque são mais próximos de como eram as famílias do século XIX. Há sim, personagens e situações caricatas como as que ocorrem nos livros de Julia Quinn e Lisa Kleypas, como as pessoas que são adotadas e cuidadas pela Eve, mas são em menor quantidade por causa dessa proximidade.
    Pelo que dizem por aí, o Duque de Bewcastle vai render um livro e tanto se mantiver a personalidade que ele mostrou nesse primeiro livro. Só que o livro dele é o último da série, ou seja, vamos ter que esperar muito para saber quem vai ser o par dele (ou melhor, quem vai aturar ele).

    Um abraço!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Vamos aguardar mesmo Leti, mas que venha com a mesma personalidade. #Oremos

      Excluir
  7. Estou querendo ler esse livro faz tempo. Espero não me decepcionar.

    ResponderExcluir
  8. Estou querendo ler esse livro faz tempo. Espero não me decepcionar.

    ResponderExcluir

Seu comentário é sempre bem-vindo e lembre-se, todos são respondidos.
Portanto volte ao post para conferir ou clique na opção "Notifique-me" e receba por email.
Obrigada!

Editoras Parceiras

Postagens Recentes

Visualizações

Últimos Comentários

Lançamentos