E o Oscar de melhor livro do ano vai para...

Olá, eu sou a Beta, do Literatura de Mulherzinha. Por enquanto, tem sido um ano bem interessante, com alguns personagens apaixonantes, muitas histórias empolgantes e algumas surpreendentes. Uma delas faz parte de uma trilogia da Maya Banks. E foi a que eu escolhi para falar neste aniversário do Sempre Romântica.

O que o torna tão bom é que ele vira do avesso todos os estereótipos que nós já lemos em algum (vários) momentos da vida sobre “o macho alfa grego”: família, mandão, dominador, controlador, repleto de padrões morais elevados, lindo, gostoso... E um conjunto que seria perfeito, se a criatura não fosse um ogro toupeira tapada que você quer esganar ao invés de beijar (digamos que este tipo de personagem não está entre os meus indicados para leituras tranquilas e fofas – ainda mais se você for tipo eu, escorpiana surtada e facilmente irritável com este tipo de criatura). Sei que tem gente que lida melhor com este perfil – tão visto em livros da Lynne Graham e da Penny Jordan, mas eu fico muito feliz quando algo quebra o padrão.

E foi o que a Maya Banks fez em Rebeldia, o 2º livro da Trilogia Irmãos Anetakis. O motor da história é o amor de Isabella por Theron. E o fato de que tratou de fazer algo para que ele a notasse e se apaixonasse por ela. Um plano muito maluco, que consistia em enlouquecer a criatura com atitudes inesperadas, estar sempre por perto e atrapalhar tudo o que ele pudesse fazer. Como Theron é a versão gentleman do “grego típico” dos romances de banca, toda a graça da história é vê-lo não ter o menor controle sobre ele, sobre ela e sobre os acontecimentos. Eu tive crises de risos várias vezes ao longo da história, porque gregos sexies confusos ficam tão mais atraentes e sou totalmente a favor de garotas determinadas que vão à luta e não esperam acontecer milagres.

A capa é bonita, muito linda. Confesso que, quando li, não reparei se havia erros de tradução, porque a história me prendeu a ponto de não observar (por isso, se caso você ler e encontrar, me perdoe). E fico na torcida por mais histórias longe do padrão mocinha-panguá-lesada e do herói-dominador-cretino. O mundo girou e dá muito mais gosto ler tramas com personagens sejam inteligentes e articulados, lidando com a descoberta do amor na vida deles. :)

Ao Sempre  Romântica, parabéns por mais um aniversário. Neste mundo repleto de coisas e pessoas efêmeras, fico feliz em saber que a amizade permanece.
Tudo de bom e rumo a mais um ano!

Bacci!!!

10 comentários:

  1. Ah, está aí uma trilogia que eu quero muito ler. Me arrependi de não ter comprado quando saiu, mas acho que ainda consigo comprar pelo site da editora. Essa história parece ser o meu número, hehe!!!

    =)

    Suelen Mattos
    ______________
    ROMANTIC GIRL

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Eu cerquei os três na banca. Pode procurar, vale muito a pena. A Maya Banks pegou o estereótipo do grego que paira desde o início deste estilo de livro e mostrou como nem sempre precisa seguir a forma para ter um bom resultado. É uma trilogia totalmente recomendada! :)

      Bacci!!!

      Beta

      Excluir
  2. Ei Lena

    Nunca tinha ouvido desse, achei interessante. Da autora eu li faz séculos aquele dos Colters, estou chocada até hoje rsrs.
    bjs

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Fernanda!

      Também não conhecia a autora. Li dela o Obsessão, que é de livraria. E encarei mesmo a trilogia para ter mais ideia de quem ela é. Se todos forem assim, ela vai se tornar habitué aqui em casa :)
      Pode procurar os Irmãos Anetakis, vai valer a pena!

      Excluir
  3. Eu juro, a Beta me descreveu corretamente ao dizer... " escorpiana surtada e facilmente irritável com este tipo de criatura"... rsrs
    Toda vez que pego um romance, no qual o mocinho(que de mocinho não tem nada) é grego, tenho que fazer um ritual de paciência. Os gregos e suas mocinhas lesadas, despertam o meu lado violento "facin" "facin". Gostei de saber que existe um deus grego que foge do estereótipo ao qual sempre me deparo nas minhas aventuras literárias.
    Será que finalmente alguém decidiu criar uma heroína digna de aplausos? Essa com certeza preciso conhecer!
    Obrigada Beta, pela dica preciosa!
    Parabéns Leninha, pelo sucesso do blog!! S2

    Bjos!
    Ronevia Novaes

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ronevia, oba, mais uma escorpiana! Volta e meia encontro alguém da confraria que desabafa comigo por essa semelhança, a de não ter paciência com esse tipo de criatura.
      Pode pegar a trilogia da Maya Banks e se divertir como ela lidou com o "padrão grego macho alfa" e fez uma história deliciosa para a gente ler :)

      Excluir
  4. Beta!
    Muito bom poder ler um romance mais maduro em termos de personagens.
    O Grego perfeito para o meu padrão de leitora e a 'mocinha' um pouco mais complicada.
    O amadurecimento das escritoras românticas da Harlequin é muito bom de acompanhar. E se podemos dar boas risadas, romance completo.
    Valeu a indicação.
    cheirinhos
    Rudy

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ciao, Rudynalva!

      Pois é, graças a Deus, algumas autoras perceberam que o mundo girou e mudou e passaram a refletir isso nas histórias. Essa trilogia da Maya Banks é um ótimo exemplo. Pode buscar e conferir. Este segundo livro é muito bom, ri demais com as maluquices da Bella e Theron. Confira e depois diga aqui o que achou!

      Bacci!!!

      Excluir
  5. Gente em que planeta eu tô que ainda não li nada da Maya Banks?
    Eu adoro essa fuga a escritas clichês, porque não existem homens fáceis na vida real, então porque nos livros todos tem que ser tão fáceis né?
    E levando em conta as experiências da Vida a Maya super acertou, porque os Deuses gregos são sempre os mais complicados, mas é isso o que os torna tão interessantes e desejáveis e acho que isso agrega mais ainda a história e triplica o desejo de ler esse livro.
    Será que ainda o encontro no site da Harlequin???
    #CORRE

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Kris, "Gente em que planeta eu tô que ainda não li nada da Maya Banks?" foi a mesma coisa que eu me perguntei enquanto lia essa trilogia. Ela tem um jeito gostoso de escrever e quando cria uma história divertida, a gente agradece. Eu comprei os três na banca, não sei se estão disponíveis em sebos. De qualquer forma, se achar, compre porque vale a pena!

      Excluir

Seu comentário é sempre bem-vindo e lembre-se, todos são respondidos.
Portanto volte ao post para conferir ou clique na opção "Notifique-me" e receba por email.
Obrigada!

Editoras Parceiras

Postagens Recentes

Visualizações

Últimos Comentários

Lançamentos