Uma Carta de Amor - Nicholas Sparks

Há três anos, a colunista Theresa Osborne se divorciou do marido após ter sido traída por ele. Desde então, não acredita no amor e não se envolveu seriamente com ninguém. Convencida pela chefe de que precisa de um tempo para si, resolve passar férias em Cape Cod. Durante a semana de folga, depois de terminar sua corrida matinal na praia, Theresa encontra uma garrafa arrolhada com uma folha de papel enrolada dentro.
Ao abri-la, descobre uma mensagem que começa assim: “Minha adorada Catherine, sinto a sua falta, querida, como sempre, mas hoje está sendo especialmente difícil porque o oceano tem cantado para mim, e a canção é a da nossa vida juntos.”
Comovida pelo texto apaixonado, Theresa decide encontrar seu misterioso autor, que assina apenas “Garrett”. Após uma incansável busca, durante a qual descobre novas cartas que mexem cada vez mais com seus sentimentos, Theresa vai procurá-lo em uma cidade litorânea da Carolina do Norte. Quando o conhece, ela descobre que há três anos Garrett chora por seu amor perdido, mas também percebe que ele pode estar pronto para se entregar a uma nova história. E, para sua própria surpresa, ela também.
Unidos pelo acaso, Theresa e Garrett estão prestes a viver uma história comovente que reflete nossa profunda esperança de encontrar alguém e sermos felizes para sempre.

Eu estava com saudades da escrita de Nicholas Sparks. Ele sempre dilacera meu coração com histórias de amor regadas com um drama pungente, e que me deixa sempre em frangalhos. Como todos sabem, eu sou fã ardorosa do autor e sempre consigo ver o lado bom nas suas histórias, ele é famoso por escrever finais trágicos para seus personagens principais, e por esse motivo se torna para muitos persona non grata.

Não consigo definir essa atração que ele exerce sobre mim, suas histórias são sempre intensas e me deixam absorta e prisioneira de suas tramas inquietantes e apaixonantes, e com o livro Uma Carta de Amor não poderia ser diferente.

Eu sabia de pronto o que aconteceria na história por já ter assistido o filme na TV, mas mesmo assim foi uma delícia me emocionar com a delicadeza com que são narrados os fatos. É notável a maestria do autor ao transformar algo devastador em uma lição de vida, tornando o trágico em algo de certa maneira, aceitável.

Theresa é uma mulher que já sofreu muito, principalmente com a traição do marido, e precisava se abrir novamente para a vida e para o amor. Mãe dedicada, batalhadora, ela encara a vida com garra e força, mas seu coração precisa do alento e da paixão que ela vislumbra nas palavras escritas por Garrett em suas cartas endereçadas à Catherine.

Garrett escreve com um sentimento único, ele transpassa em suas palavras um turbilhão de emoções que doem, tamanha sensibilidade e amor que transbordam nas linhas de suas cartas, sempre endereçadas à Catherine, seu amor perdido.

Criou-se uma curiosidade, uma chama de esperança no coração de Theresa, ela precisava conhecer aquele homem que conseguia escrever com tanto sentimento e paixão.

Um encontro que parecia destinado a acontecer, que se tivesse sido programado não teria dado tão certo. Theresa e Garrett são corações sofridos que se unem em busca de salvação, e é isso que torna a história tão prazerosa de se ler. Eu amei cada página — apesar de saber o desfecho da trama —, e me encantei mais uma vez com o desenrolar desse belo drama. Nicholas Sparks sabe exatamente onde apertar para deixar o leitor preso à sua história a ponto de verter lágrimas ao término da leitura.

Theresa e Garrett são perfeitos juntos, e tudo entre eles tem uma sintonia própria. Eles são passíveis de erros, pessoas comuns que se conhecem e se descobrem, e é lindo ver como eles se completam e se agregam. Torna-se até natural que o filho de Theresa, Kevin de 12 anos, se sinta tão à vontade vendo a mãe redescobrir o amor. Mais uma vez o autor acerta na mão ao envolver personagens familiares na trama e ao escrever uma relação tão saudável entre duas pessoas.

Seria absurdamente irrelevante recomendar a leitura, por mim, de um livro do Nicholas Sparks. Quem me conhece bem, sabe que indico todos os seus livros, mas essa história tem um algo a mais; as belas cartas descritas no livro são de uma doçura que é peculiar ao autor, ele com certeza é um romântico apaixonado e deixa transbordar em sua escrita toda essa paixão. As cartas que Garrett escreve para Catherine são perfeitas, poéticas e marcam pela sensibilidade e pelo amor entremeadas em cada uma de suas linhas.

Para quem assistiu ao filme fica a dica: entre de cabeça na leitura sem tentar relacioná-lo ao filme, assim você se deixará envolver pela verdadeira história de Theresa e Garrett sem a intromissão de fatos quem nem mesmo existem no livro. Não tem como não se lembrar dos protagonistas do filme durante a leitura, mas eu amei visualizar o Garrett como Kevin Costner. [risos]

Vale a pena ler... e que tanta emoção seja eterna enquanto dure!

11 comentários:

  1. Ei Lena

    Eu não assisti ao filme, e quero ler, mas não tenho nenhum dele da Arqueiro ainda, super atrasada aff. E sempre acaba lançando algum que eu quero mais na verdade. :P
    bjs

    ResponderExcluir
  2. Vou pegar emprestado uma palavra sua e responder o que foi esta leitura para mim: o livro dilacerou meu coração, chorei rios de lágrimas no final da leitura. Foi o meu primeiro livro do autor anos atrás, então eu não estava preparada para o final dele.
    Bjs, Rose

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Adoro a palavra "dilacerou", até porque é isso que os livros do NS fazem comigo.
      Bjs

      Excluir
  3. Lena, foi o primeiro filme inspirado num livro do autor que assisti. Na época me acabei de tanto chorar, ainda mais que passou na época de fim de ano, imagine, né?

    Queria ler o livro só pra conferir se a emoção será a mesma. Alguns livros do Sparks me marcaram muito. Adoro!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. A emoção é ainda maior, mas acredito que se perde um pouco para quem assistiu o filme. Surpresa é sempre mais dilacerante, rsrs

      Beijokas amore!

      Excluir
  4. Eu assisti o filme e odeio finais trágicos. A resenha está linda, mas eu não quero ler esse livro. rsrs

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Dá uma chance ao livro Miriam, quem sabe você gosta!!

      Obrigada e volte sempre!

      Excluir
  5. Oi Leninha, tudo bem?
    Mais uma fã de NS, presente! o/ rssrssrr
    Os livros dele acabam comigo mas não adianta..AMO! ahahahaa
    Eu tenho esse filme em casa mas não assisti ainda (pq tá no áudio em francês e eu realmente não curti =/ rsrs)...na vdd já vi na Globo zilhões de anos atrás então realmente não lembro exatamente da história...agora que não vou ver mesmo! haahahaha
    Mas claro, já sei como termina... só não exatamente com quem mas...mesmo sabendo, a gente sofre...ai como sofre! rsrssr
    Eu vi "Um homem de sorte" primeiro e depois fui ler...fiquei agoniada do mesmo jeito pensando: "não acredito que mudaram tanto assim o final do filme?!" no fim era o mesmo mas me agradou da mesma forma...outros filmes que acabei vendo antes de ler, acabei gostando mais do filme como "Querido John" (o final é mais "otimista" rsrs) e "Um amor para recordar" (oooodiei o Landon no início do livro! hauaahua)
    Ouvi um "boato" uma vez que o NS tem um equipe que escreve seus livros, ele passa o "enredo" e a equipe produz em larga escala, por isso saem tantos livros dele por ano...será verdade? Fiquei meio decepcionada com isso, não consigo acreditar...embora algumas levas não tenham me agradado tanto e não tem tanto da sua essência como "O casamento" (é fofo mas ñ é NS) e "O milagre" (tb não é NS mas a sequencia definitivamente retoma NS! ahahah) e "O Melhor de Mim" (definitivamente esse é NS mas não me agradou tanto =/ )
    O que vc acha, será mesmo verdade?
    Perdoe o comentário enooorme mas quando eu começo a falar de algo que gosto, já viu né....a prosa rende! hehehehe
    Bjão ;-)

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Bem-vinda ao fã clube, kkkk
      Acredito que lendo o livro você vai sentir mais as emoções, mesmo que recorde o final, a intensidade que o NS põe na história deixa a gente mortinha.

      Dos livros que viraram filme eu digo que gostei mais dos livros, Um homem de sorte eu achei mais que estava para Uma mulher de sorte, no filme, kk
      O livro Querido John quase acaba comigo, já o filme eu detestei, sem emoção nenhuma, aff

      Não acredito nesse lance de outras pessoas escreverem para o NS, acho que ele está em cada uma de suas histórias. O Milagre foi o livro mais fraquinho que li do autor, acho que faltou o drama que fielmente ele traz na sequência, parece que o livro foi cortado ao meio, rs.

      O Melhor de mim me fez ficar agarrada ao livro um tempão depois que terminei a leitura, tamanha intensidade de emoções que senti, amei.

      Não perdoo o comentário enorme, eu agradeço, rsrs, adoro conversar com pessoas que amam meu autor preferido. Seja sempre bem-vinda e por favor, volte sempre!

      Bjs

      Excluir

Seu comentário é sempre bem-vindo e lembre-se, todos são respondidos.
Portanto volte ao post para conferir ou clique na opção "Notifique-me" e receba por email.
Obrigada!

Editoras Parceiras

Postagens Recentes

Visualizações

Últimos Comentários

Lançamentos