Escravas de Coragem - Kathleen Grissom

Belle já tinha problemas suficientes preparando a comida da casa-grande e cuidando para se manter longe dos olhos de D. Martha e de seu filho, Marshall. Eles não sabem que, na verdade, ela é filha ilegítima do capitão James Pyke, por isso imaginam o pior em relação à preferência do capitão pela escrava mestiça.
Ser responsável por uma menina meio doente que acaba de chegar à fazenda é um tormento do qual Belle não precisava. A garota parece incapaz de reter comida no estômago, mal fala, não se lembra de nada e, às vezes, é até meio assustadora, com sua cara de avoada. Além de tudo é branca e tem cabelos cor de fogo. Mas Belle sabe que, entre as pessoas que a acolheram, a cor da pele não significa nada e por isso acaba recebendo Lavinia de braços abertos. Esse é apenas o início da saga de uma família formada por laços que vão muito além do sangue. Uma história de coragem, esperança, força e amor à vida.

Quando pedi esse livro para leitura eu já imaginava que leria algo forte, pungente, até por se tratar de um livro que fala sobre escravidão e tudo o que fez parte dessa mácula da história, mas nada me preparou para tamanha dilaceração, me senti destroçada ao término da leitura. É muito sofrimento compactado em apenas 331 páginas.

Belle é uma mestiça, filha do Capitão Pyker, porém mantida como escrava em sua própria casa. Ninguém sabe de sua natureza e nem qual é sua posição na casa-grande. Sua vida nunca foi fácil — pois, apesar de seu pai ter planos para seu futuro, ele vai deixando o tempo passar sem tomar nenhuma atitude com relação a isso —, e aos olhos de sua esposa e filho ela não passava da “vagabunda do Capitão”. Isso mesmo! Todos na casa-grande pensam que Belle é amante do próprio pai.

Ela precisa urgentemente de sua alforria para ter sua liberdade, apesar de seu maior desejo ficar mesmo onde está: ao lado do Papa George, da Mama Mae, de seus filhos e amigos; e agora também ao lado da pequena Lavinia, uma menina branca que foi deixada aos seus cuidados pelo Capitão.

Lavinia chega até a fazenda Carvalhos Altos com apenas sete anos, desmemoriada e frágil, ela teria morrido se não fosse o carinho e os cuidados dos negros da casa da cozinha e da mestiça Belle. Sua trajetória de vida não seria nada fácil, mas ela vai galgando seu destino ao lado dos que ama, sempre frágil e amedrontada.

Duas personagens marcantes, fortes que, apesar de serem mantidas submissas nos seus papéis de escravas, têm suas vidas entrelaçadas na dor e nos poucos momentos felizes que vivenciam juntas. O livro é narrado sob suas perspectivas, e as duas vão ao longo da trama contando suas agruras e desalentos nessa triste história de luta e dor.

Momentos felizes são raros durante a leitura e quando eles acontecem vem logo seguidos por mais e mais problemas. A narrativa é realmente para quem tem coragem e fibra, pessoas frágeis e suscetíveis terão que ter muita força de vontade para chegar ao final da leitura, mas eu peço: não desista, a história em si vale muito a pena.  

O livro já começa com um prólogo instigante — pois a partir dele já se sabe que uma grande tragédia irá acontecer —, e assim prepara o leitor para uma leitura densa e que com certeza irá surpreender ao seu término. Eu realmente levei um susto, mas de maneira nenhuma me decepcionei com a história, já que sou apaixonada por dramas que me fazem repensar meus valores e conhecer um pouco mais sobre o sofrimento humano.

Escravas de Coragem é realmente um livro forte e comovente que deve ser apreciado não só pelos fãs do gênero, mas também por todo leitor apaixonado que se arrisca em leituras densas. Apesar de o mote estar relacionado a escravos e suas dores, o livro trata acima de tudo de amizade, amor, esperança, e até que ponto se pode amar sem olhar a cor de nossa pele.

Um prato cheio para quem gosta de um romance com um drama muito bem enraizado que dilacera e machuca, mas também ensina. Uma leitura que com certeza vai ficar na minha lembrança por muitos e muitos anos e que indicarei sem sombra de dúvidas para todo e qualquer leitor. Com certeza um dos melhores livros que li esse ano. Preparem o coração e os lenços!

16 comentários:

  1. Ei Lena

    Eu recebi este e Dançando em cacos de vidro, certeza que os dois vão me fazer chorar rs. Preparando para a choradeira, mas pela resenha já sei que vou amar aiai.
    bjs

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Compra logo algumas caixas de lenços, dois livros de moer, rsrsr
      Acho que você vai gostar sim de Escravas de Coragem, depois quero saber sua opinião.
      Bjs

      Excluir
  2. Lena, eu adorei a resenha, fiquei com vontade de ler, mas no momento meu psicológico tá fugindo dos dramas.

    Bjs

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigada Ju, realmente tem que se preparar para esse tipo de leitura.
      Bjs

      Excluir
  3. eu sou do tipo que prefere finais felizes, mas desde qdo coloquei os olhos neste livro, fiquei com vontade de lê-lo, é como se ele me chamasse, e mesmo fugindo de dramas esse com certeza vou ler.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Vai fundo Suene, depois me diga o que você achou!
      Bjs

      Excluir
  4. Oi!
    Eu ganhei esse livro num evento que a Arqueiro/Sextante promoveu aqui em Sampa. Desde então fiquei bastante curiosa em relação a ele. Gostei muito de ler sua resenha pois não imaginava que seria um livro tão denso. Não costumo ler dramas, mas com certeza vou ler este e com alguns pacotinhos de lenços do lado... rs
    Ótima resenha! Parabéns!
    Beijos

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigada Rose, acho que você vai gostar bastante da leitura. Que bom que você é precavida e já reservou os lenços, kkk
      Beijos e volte sempre!

      Excluir
  5. Adorei a resenha, há algum tempo tô querendo ler este livro e não consigo, mas tenho uma prima que leu, amou e tá no meu pè p ler.
    Agora nas férias com certeza lerei..

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Leia sim Rosa, você não vai se arrepender.
      Depois volta e me conta o que achou, combinado?!
      Bjs

      Excluir
  6. Leninha!
    Taí aí o tipo de leitura que gosto onde mistura romance e drama, onde podemos aprender e avaliar os sentimentos que levamos no decorrer de nossa própria história.
    E ainda mais quando envolve escravidão, inclusive de pele branca. Não vivemos essa época, entretanto, a escravidão ainda existe em várias partes do nosso país.
    Vou ter de ler de todo jeito.
    cheirinhos
    Rudy

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Com certeza esse é um mote que mexe com os sentimentos das pessoas.
      Bjs

      Excluir
  7. Leninha, que resenha sedutora, menina!
    Como sempre você nos deixa com água na boca.
    Parabéns, querida
    Bjks

    ResponderExcluir
  8. Eu li esse livro e fiquei comovida com a história. Super recomendo!!!!

    ResponderExcluir

Seu comentário é sempre bem-vindo e lembre-se, todos são respondidos.
Portanto volte ao post para conferir ou clique na opção "Notifique-me" e receba por email.
Obrigada!

Editoras Parceiras

Postagens Recentes

Visualizações

Últimos Comentários

Lançamentos