Quero Ser Seu - Bella Andre

Olha a Tícia aqui de novo meu povo! Eu já estava com saudades amore, mas entendo sua vida corrida. Para brindar sua volta, depois de algumas semanas ausente, ela traz uma resenha que pode causar polêmica, porque ela escreve sua opinião velada sobre uma das autoras mais queridas da atualidade, Bella Andre.

Espero que todos entendam seu ponto de vista e não julguem de forma muito dura minha colunista querida, rs.
E lá vamos nós com...
Ryan Sullivan sempre gostou muito de Vicki, a quem conheceu na adolescência, quando ela lhe salvou a vida: no estacionamento da escola, um carro desgovernado só não o atropelou porque Vicki o empurrou para longe. Desde então, eles se tornaram melhores amigos — pelo menos, melhores amigos até onde um homem e uma mulher lindos e sedutores conseguem ser...
O tempo passou, Vicki casou-se e se separou, e Ryan seguiu sua vida de solteiro. Até o dia em que Vicki pediu-lhe um favor: será que Ryan poderia fazer as vezes de seu namorado para afastá-la de um homem mal-intencionado e pegajoso? Ryan não negaria esse favor a sua amiga, de forma alguma... Não só pelo carinho que nutre por ela, mas também por uma característica de sua personalidade: Ryan faz o tipo protetor (o tipo de homem com que toda mulher sonha em algum momento da vida). Agora, depois de brincarem de namorados, será que os dois conseguirão manter a amizade de sempre?

Não adianta.
Definitivamente, alguns autores são incompatíveis com a minha pessoa e entre nós existe um monstruoso e intransponível abismo literário. Dramático, mas é verdade. E olha que eu até tento já que de vez em quando um arroubo generoso me acomete e lá estou eu, toda otimista, dando mais uma chance a outros livros do cidadão.
Mas não rola.

A Bella Andre, por exemplo, se encaixa na coisa toda com uma precisão abissal.
Sim, eu sei que ela é queridinha por muitos e, por isso, a probabilidade de eu levar uma esculhambação dos fãs indignados é altamente provável. Mas, ainda assim, vou por pra fora toda a minha relação conturbada com as histórias desta autora.

Mas vamos do início.
Desta série, Os Sullivan, li três livros: simpatizei com dois e não fui com a cara de um. As histórias são até bonitinhas e romantiquinhas; porém, cheguei à inquietante conclusão de que ler Bella Andre está me deixando com um sério complexo de inferioridade.

Você já viu os personagens? Os mocinhos? A família Sullivan? O carteiro? O cachorro do vizinho? Todo mundo é legal, camarada e gente boa. O que é aquilo? Ninguém tem defeito?
Te juro que leio estes livros quase pedindo desculpa por existir já que, em comparação com todo mundo ali, sou o próprio mal encarnado.

Olhe o Quero ser seu e veja se não tenho razão.
O livro tem uma sinopse supimpa e mega atrativa. Assim que li, resolvi dar mais uma chance a Bella Andre, pois adoro histórias sobre reencontros.
Pois bem. Quase não vi diferença com os outros: um Sullivan lindo, gostoso, perfeito que se apaixona louca e repentinamente por uma mulher um pouco atormentada, com um passado e et cetera.

Tá, eu sei que o casal – Ryan Sullivan e Vicky – já se conhecia de outrora e blábláblá, mas os dois ficaram praticamente sem se ver por dez anos, oras! E quando se reencontram, é amor demais pra eu assimilar. Ryan? O cara mal encontrou a mulher e já estava programando o casamento, o futuro dos netos e, quiçá, dos tataranetos.

Daí, a trama continua de maneira previsível porque segue o mesmo esquema dos outros livros. Tudo bem. Eu até concordo que as histórias são fofas, mas esses mocinhos Sullivan são perfeitos além da conta, até mesmo para os padrões ficcionais. Não dá pra baixar o padrão, não?

Ah, e não poderia deixar de comentar sobre os personagens que são pessoas totalmente complacentes e afáveis. A família, os amigos, os vizinhos, enfim, toda a humanidade achou super normal esse amor avassalador brotar do nada. E, claro, fizeram tudo pra juntar as duas metades da laranja. E o resultado disso sou eu falando cafonices como essa e me chafurdando em uma espécie de auto-esculacho porque eu não sou legal como os Sullivan.
Só pode ser bullying.

Bem, é isso.
Quero ser seu não é ruim, é bonito. Para quem não se importa com esses detalhes ou gosta de um mocinho perfeitamente supimpa, é uma boa pedida. Até mesmo pra quem é meio cismado como eu, pode ser que goste. Só lendo pra saber, não é mesmo?

Recomendo?
Ah... sei lá.
Ainda tô pensando...

; )

14 comentários:

  1. kkkkkk.
    Amei sua resenha, embora eu ame a Bella Andre. Adoro o romance açucarado dela. Sério. Não tenho crise de diabetes nem nada.
    Mas entendo isso. É como a série da Lisa Kleipas (Os Hathaways, publicado pela Arqueiro), que todo mundo ama e eu não. Mas leio assim mesmo. Mas não amo!
    Viva a diferença, e, principalmente, a honestidade!!!
    Bjos.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Pois é, Nelma.
      Tem umas autoras que não tem jeito, né?
      Eu não adoro a Bella Andre, mas não desgosto totalmente. O Só tenho olhos pra vc, por ex, foi o que mais gostei. E vou ler os outros pq tenho mais 2 dela. Vai que eu gosto?
      Viva a diferença mesmo, sempre vou defender isso. rsrs ;)
      bjoooooo

      Excluir
  2. kkkkkkkkk... adorei sua resenha também...
    Gosto de Bella Andre, porém nunca ponho expectativas sobre os livros dela.
    Acho os Sullivan fofos, encantadores e tenho de concordar que às vezes tudo acontece rápido demais, mas eu gosto, não ligo, normalmente pego para ler depois de uma leitura mais densa para aliviar meus neurônios da pressão anterior e sempre cai como uma luva para esse relaxamento tão necessário.... rsrs
    Ainda não li Quero Ser Seu, mas ele está lá na minha estante...
    Aguardando que meus neurônios sejam fritos mais vezes para que eu continue lendo na sequência... rsrs
    Bj
    http://livrosromanticos.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Eu te entendo Raíssa.
      eu tb tenho algumas autoras que servem pra desestressar meu sistema nervoso que, por alguma leitura tensa, ficou encarquilhado. Se vc gosta de Bella Andre, vc vai gostar desse, tenho certeza.

      bjooooo

      Excluir
  3. Tícia meu amor, eu não fio bravo por você não gostar dos livros da Bella, mas não diga para a autora mudar os Sullivans, isso não!
    Bjs!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Imagina!! Já tô pensando em mandar um e-mail pra Bella Andre pedindo pra baixar um cadim o padrão dos personagens. Assim eu não me sinto tão miserável. kkkkkk
      kkkkkkkkkkkk

      bjoooooooo

      Excluir
  4. Tícia, sua 'bulinista'


    Humfff, que foi isso? miguinha! kkkk

    Olha so: Bella Andre é mesmo uma agua com açúcar e serve só pra sonhar mesmo! Eu não ligo tb! Rssss E viva a diferença! Ebaaa

    Entretanto, um aviso: doce demais enjoa!


    Amei sua resenha, tava com mega-hiper-super-ultra saudades

    beijoca

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Né, Flá.
      De vez em quando eu sumo mesmo, quando a coisa aperta. Vida de professor é uma miséria.

      Nem me fala, essas histórias cujos personagens são muito legais me fazem perceber o nível da minha ruindade. kkkkkkkkk

      bjoooooo

      Excluir
  5. Ei Ticia

    hahaha eles são fofos porque são perfeitos, homem imperfeito a gente já tem em casa! E tenho dito!!!
    Então eu babo nos Sullivans e achei tão fofo ele gostar dela desde a adolescência, sei lá, acho que pode acontecer sim, desencontros e tal, eles nunca ficaram juntos e sempre se gostaram. hehe

    bjs

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Pois é, Fernanda.
      Pra mim, eles são fofos além da conta e eu gosto de mocinho um politicamente incorreto. kkkkk

      O problema não foi eles se gostarem ('gostarem' e não amarem) desde a adolescência, mas no fato da quantidade de amor que veio tão repentinamente. Se a autora tivesse construído a relação aos poucos, com o sentimento crescendo progressivamente, ficaria crível pra mim.

      Mas de todo, até gostei da história, é fofa. ; )

      bjooooooooo

      Excluir
  6. kkkkkkkkkkkk eu super concordo com vc, achei sua resenha perfeita, esse livros mais água com açúcar tem seus momentos de ser lidos, tem uma finalidade hahahha, essa série, pra mim, está sendo tudo q vc falou, gostei de alguns, outros não, mas continuo lendo pq não gosto de abandonar assim rsrrs... bjos

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Débora,
      exatamente! Esses livros melequentos têm de ser lidos em doses homeopáticas.
      O "Só tenho olho pra vc" eu gostei, achei o melhor de todos. A relação dos mocinhos foi super crível pq eles já se conheciam e conviviam um com o outro.
      Bem, o negócio é ir tentando, né? kkkkkk

      bjooooooooo

      Excluir
  7. Olá, gostei muito do seu posicionamento e concordo. Sei que vão me julgar, mas eu explico: Tem autora que sai da banca, mas a banca não sai dela. E a Bella é uma delas. Veja bem; o texto é super corrido, o amor meio que aparece de um dia para o outro e aquilo tudo que vc disse. Esse tipo de livro rápido, e romance aguinha com açúcar geralmente são caracterizados como livros de banca( depende da editora), e tem um preço mais acessível e o enredo é bem rápido, sem muito espaço para definições e demonstrações extensas de personalidades e relacionamento. O preço de livros desse tipo livro( autora que sai da banca, tipo Bella) está ficando mais caro enquanto deveria ser cobrado o mesmo que um livro de banca, no máximo 10,00(minha opnião) Enfim, Tícia, estou indo nos Sullivans em doses homeopáticas , leio um, daí um mês ou dois leio outro... Beijos

    ResponderExcluir
  8. A resenha mais inteligente que vi dessa autora!!! Ela não desce de jeito nenhum e olha que eu tento, juro que tento!!! Livro após livro fico imaginando ela me surpreender como a Julia Quinn, mas nada! Pelo amor de Deus esse é o século XXI não? Será que não poderia ser um pouquinho, e digo só um pouquinho mesmo realista? Adorei seu ponto de vista, reflete o meu!

    ResponderExcluir

Seu comentário é sempre bem-vindo e lembre-se, todos são respondidos.
Portanto volte ao post para conferir ou clique na opção "Notifique-me" e receba por email.
Obrigada!

Editoras Parceiras

Postagens Recentes

Visualizações

Últimos Comentários

Lançamentos