Sinal de alerta!

Às vezes não conseguimos perceber o quanto o tempo está passando rápido, o quanto temos mudado, e como temos deixado o tempo agir em nossas vidas.

Não tem como não notar uma ruga, um cabelo branco, um cansaço maior no dia a dia. Difícil é perceber que estamos mais intolerantes, centrados, mais convictos das nossas opiniões. 
E me olhando dias atrás fico pensando que talvez o tempo tenha agido de forma dura comigo, talvez o tempo tenha me estragado um pouco.

Essa era minha visão do mundo: os dias estão passando e eu estou cada dia melhor, presunçosamente melhor do que os outros.

Foi então que levei um baque da vida e tomei como um alerta. Parei e pensei em mim como uma pessoa diferente, me olhei de fora para dentro e percebi o quanto eu estava intransigente, de como eu agia de forma impensada, andava nervosa e tinha momentos que nem eu me aguentava de tão insuportável e chata que estava.

Hoje eu me pergunto: Gente, como eu deixei o tempo me tornar tão amarga, tão ranzinza e inflexível? Até minha expressão facial era dura e austera.
Eu me sentia tão segura de si que nem olhava à minha volta; eu me bastava, nada mais tinha importância, apenas o meu mundo particular com muros intransponíveis.

Acabei afastando as pessoas que amo. Ouvia com frequência sobre o quanto eu estava chata, parei de receber convites para sair, não queria estar do lado de pessoas alegres, me fechei num mundo só meu. E hoje, eu percebo como eu estava solitária!

Foi preciso levar um tapa do tempo para me alertar e dar o devido valor até às mínimas coisas. Clareei minha mente, deixei músicas romperem as barreiras dos meus ouvidos e chegarem até meu íntimo, abri os olhos e respirei um ar que até então não chegava aos meus pulmões. Senti-me sufocar, me afogar em tristeza, mas não conseguia chorar, por mais que eu tentasse. Passei dias sem conseguir ler uma página de um livro, queria estar sempre com alguém do lado, não queria me sentir só, queria vozes, sorrisos, sons, músicas, barulhos.

Mas o tempo, implacável tempo, passa!

Aos poucos fui me dando conta do que estava ao meu lado, da falta que eu fazia para as pessoas e para mim mesma, que mesmo estando presente eu estava tão cheia de mim, e ao mesmo tempo tão vazia e solitária, que era como se eu estivesse ausente.

Agora e devagar me permito respirar mais livremente, já ouço o que se passa ao meu redor, já me deixo ver, porque eu tinha parado de viver em comunhão. Voltei à minha rotina de leitura, mas agora já consigo abandonar um livro para passear, sair à noite, me divertir, aprendi a sorrir com o coração e com os olhos e não apenas com os lábios.

Estou voltando aos velhos hábitos de convívio, conseguindo ser eu, inteira, completa e até um pouco melhor do que eu era. Estou sabendo lidar melhor com os fatos e com a minha realidade. Sei que ainda tenho muito que aprender sobre mim e sei também que tenho muito a desfrutar da vida ao lado das pessoas que eu amo. Espero melhorar a cada dia, me abrir mais para o mundo, me deixando contagiar pela vida.

Agora eu reconheço que eu estava sentindo falta de mim!

Você que está lendo esse texto vai um conselho: Não espere o tempo te estapear para despertar pra vida, cada minuto é crucial, e amanhã pode ser tarde para viver!

25 comentários:

  1. Amiga, deu até vontade de imprimir este texto e deixar num lugar que eu veja sempre. Nunca me identifiquei tanto com algo como me identifiquei com estas palavras, parecem até que foram escritas para mim.... Infelizmente hoje me vejo da mesma forma, mas estou tentando voltar a ser eu mesma....

    Beijo, Vanessa.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. É bom despertar para a vida de vez em quando.
      Vamos acordar pra vida amiga!
      O tempo passa e não podemos ficar para trás.

      Beijos!

      Excluir
  2. Pois é. Eu também andava assim. Ainda passo a maior parte do tempo na minha própria companhia, mas deixei de me trancar nesse meu mundo. A gente fica velha e percebe o quanto perde tempo com coisas que não tem importância nenhuma...

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. A gente nem percebe que se fecha num mundinho particular né Lil?!
      Nossa companhia é boa, mas é bom acordar para o mundo lá fora também. O tempo passa e não podemos ficar vivendo sem sentir.

      Beijokas!

      Excluir
  3. Lena, que texto revelador e realista.

    Acabamos nos fechando nas nossas certezas e razões e esquecemos que sempre existe algo a ser aprendido.

    E o tempo, esse passa voando.

    Bjs

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Pois é Ju, passa voando mesmo.
      Passa ainda mais rápido quando esquecemos de viver., e quando vemos, já foi...

      Bjs

      Excluir
  4. Leninha, que texto lindo!
    Eu sou a pessoa que você estava se tornando. Mas eu sou essa outra pessoa, sabe?! Não deixo de fazer coisas ou encontrar pessoas, mas sou bastante chata e gosto da minha solidão.
    É estranho me enxergar assim... ao mesmo tempo, não queria ser diferente. É engraçado, assustador e quase inexplicável. Rs
    Não passo todo o meu tempo na solidão ou trancada em casa. Eu saio, vejo pessoas, socializo. Porém, são poucos aqueles com quem eu me sinto à vontade e, honestamente, quase nunca são pessoas da minha idade. Gosto de pessoas mais velhas, mais centradas, que curtem programas diurnos, na natureza. Que curtem sair para bater um bom papo (e com a cabeça no lugar - nada de bebedeiras!). Às vezes, é difícil se encontrar no mundo. Para mim, ao menos, é bastante.

    Acho que já fugi completamente do seu texto, né?! Desculpe por isso ><

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Te entendo perfeitamente Nanie. Eu estava me tornando uma ilha, sem contatos, sozinha no meu mundo virtual, sempre dona da razão, me perdendo num mundo tão cheio de vida e eu sozinha.
      Acordei!
      Espero que seu mundo seja mais divertido, o meu está se tornando.

      Beijo enorme!

      Excluir
    2. Obrigada, Leninha ^^
      O meu mundo é divertido à minha maneira. Felizmente não vivo em uma ilha, não me isolo completamente. Sou um tanto mais solitária, de poucos amigos e pouca bagunça, mas é um mundo divertido! :)

      Excluir
    3. Amigos eu tenho muitos, mas eu estava muito só mesmo num mundo repleto de pessoas. Acredito que essa seja a pior solidão. E mais, estar do lado de pessoas que te amam e simplesmente ignorá-las, deve doer.

      :)

      Excluir
  5. Ei Lena

    Ótimo texto, serve até para distribuir na empresa como dica comportamental rsrsrs. Adorei :)
    Engraçado que não te imagino desta maneira, te vejo sempre divertida e no meio da turma como na bienal rsrs.
    bjs

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Eu sou assim Nanda, divertida, alegre, mas de uns meses para cá me isolei de tal maneira que parei de olhar ao redor, e isso foi sentido mais pelos que estão vivendo o dia a dia ao meu lado. Estava esquecendo de mim de verdade.
      Mas estou de volta, agora bem mais centrada e aberta para a vida.

      Bjs

      Excluir
  6. O texto traz ensinamentos de grande valor. De fato, é preciso mente e espírito abertos para identificar em nós possíveis pontos de melhoria. Basta manter-se alerta e avante para não deixar as bençãos passarem batido. Elas estão aí...a olhos vistos. Bastar despertar o olhar para enxergá-las. Tudo isso vem para aprendizado. E, como o texto demonstra, você tem usado de sabedoria para inverter contextos desfavoráveis em momentos de luz. Não podia ser diferente, afinal, disposição para crescer e ser feliz você tem de montão. Beijocas

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigada pelo carinho sempre Vivi. E como diz o ditado: crescendo e aprendendo!
      Beijo enorme!

      Excluir
  7. Oi Leninha, que lindo texto, e que ensinamento nos passa. É uma pena que as vezes não temos tempo de perceber o quanto estamos perdendo.
    Bjs, Rose.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigada Rose, e realmente é uma pena, já que não sabemos o dia de amanhã.
      Bjs

      Excluir
  8. Oi Lena!
    Estou em um momento parecido, onde não aguento mais ver as pessoas se afastando e eu, cada vez mais, me fechando no meu próprio mundinho.
    Aos poucos, estou tentando me abrir mais, e ver o mundo com outros olhos.
    Não adianta, algumas vezes, deixamos o momento nos levar, e quando percebemos estamos sozinhos... Mas precisamos deixar o que nos faz mal de lado, e apenas procurar o que nos alegra \o/
    bjks!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Cuidado Ká, afaste-se das pessoas ruins, mas não crie um muro a seu redor, abra-se para a vida, o dia de amanhã não nos pertence.

      Seja feliz!
      Bjs

      Excluir
  9. Parece que esse texto foi feito pra mim, eu hoje vejo que estou muito isolada, mais isso foi por causa de umas coisinhas que me aconteceram e me fizeram "fingir" ser forte. E sabe o que é pior? É tomar a iniciativa, é acordar pra vida. Sei que ainda tenho tempo, sou nova, tenho muito pela frente mas sei que as experiências que os outros da minha idade já tiveram e eu ainda não tive vai me fazer falta lá na frente. Mais aí é que tá, nunca é tarde para recomeçar ou no meu caso, começar! :-\

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Força nathay, nãos e arrependa do que não fez, vá à luta e conquiste seu lugar ao sol.
      Nunca é tarde para começar, como você mesmo disso.
      Beijokas!

      Excluir
  10. Me fez lembrar uma época triste da minha vida que ficou para trás Graças a Deus!! É isso minha amiga.... Vamos sorrir para vida e vivê-la com intensidade!! Beijos!!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. É isso aí amiga, quem vive de passado é museu, kkk
      Amo você!

      Excluir
  11. Às vezes as pessoas dizem que se fecham para evitarem sofrer por uma desilusão amorosa. Mas creio que aconteça isso por outras pessoas também ao nosso redor. Não queremos ser criticadas ou somos muito críticas com as pessoas. Daí a necessidade de ser leves como você mencionou no seu texto. Mas, tenho hoje a certeza de uma coisa ao menos. É não se importar mesmo com o que dizem ou pensam da gente. Ao mesmo tempo que o modo como as pessoas dirigem suas vidas só tem a ver com elas. Eu não tenho nada com a vida das pessoas. A partir disso ficamos mais leves e descontraídos. Penso que a questão pode ser essa tbm. Pois cmg foi assim. E passamos a nos aceitar e aos outros tbm. Bjs querida

    ResponderExcluir
  12. Muito bem escrito. Muito bem colocado seu texto, aí ficamos pensando. Bem podia escrever um livro. Obrigada por excelente texto. Bjs

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigada você Cinai.
      Quem sabe um dia rola esse livro, né?! kkkk

      Excluir

Seu comentário é sempre bem-vindo e lembre-se, todos são respondidos.
Portanto volte ao post para conferir ou clique na opção "Notifique-me" e receba por email.
Obrigada!

Editoras Parceiras

Postagens Recentes

Visualizações

Últimos Comentários

Lançamentos