Paixão sem Limites - Abbi Glines

Blaire Wynn não teve uma adolescência normal. Ela passou os últimos três anos cuidando da mãe doente. Após a sua morte, Blaire foi obrigada a vender a casa da família no Alabama para arcar com as despesas médicas. Agora, aos 19 anos, está sozinha e sem lugar para ficar. Então não tem outra escolha senão pedir ajuda ao pai que as abandonara. Ao chegar a Rosemary, na Flórida, ela se depara com uma mansão à beira-mar e um mundo de luxo completamente diferente do seu. Para piorar, o pai viajou com a nova esposa para Paris, deixando Blaire ali sozinha com o filho dela, que não parece nada satisfeito com a chegada da irmã postiça.
Rush Finlay é filho da madrasta de Blaire com um famoso astro do rock. Ele tem 24 anos, é lindo, rico, charmoso e parece ter o mundo inteiro a seus pés. Extremamente sexy, orgulha-se de levar várias garotas para a cama e dispensá-las no dia seguinte. Blaire sabe que deve ficar longe dele, mas não consegue evitar a atração que sente, ainda mais quando ele começa a dar sinais de que sente a mesma coisa. Convivendo sob o mesmo teto, eles acabam se entregando a uma paixão proibida, sobre a qual não têm nenhum controle. Mas Rush guarda um segredo que Blaire não deve descobrir e que pode mudar para sempre as suas vidas.

Difícil começar a resenha de um livro que eu gostei, mas pelo qual não morri de amores. Paixão sem Limites é um New Adult bem legal, com uma carga emocional bem mais trabalhada do que os livros que já li do gênero, se bem que foram poucos.

Temos aqui um livro que merece nossa atenção, personagens que, apesar da pouca idade, arregaçam as mangas, batalham, vão à luta, deixando para trás emoções conflitantes, obstáculos intransponíveis e que podem mudar a vida de qualquer pessoa, literalmente.

Blaire está sozinha no mundo, e, apesar de demostrar uma força interior latente, é bastante frágil.  Anos atrás perdeu sua irmã gêmea, há pouco perdeu sua mãe e agora segue um caminho que decididamente não escolheu; reencontrar seu pai que a abandonou quando pequena e nunca mais deu notícias. Se ela pudesse jamais teria procurado por ele, mas na atual situação não lhe resta outra alternativa.

Mas como já era de se esperar, seu pai não tinha mudado, não estava nem mesmo em casa para recebê-la, apesar de tê-lo avisado de sua chegada. E mais, chegar em um lugar estranho, sem conhecimento algum, com apenas 20 dólares no bolso, e encontrar de cara uma festa e um irmão postiço - lindo de morrer - e que literalmente não a desejava ali.

Rush é um bad boy, filhinho de papai, intrigante e profundamente enigmático. E com certeza não está de bom humor quando aquela garota linda chega à sua casa dizendo ser filha do “babaca” de seu atual padrasto. Ele não é o mocinho típico dos livros, tem seu lado selvagem e pragmático. Sabe que é desejado e tira proveito disso.

Muita coisa pode acontecer numa casa com aqueles dois personagens em plena ebulição. E pode acreditar, vai acontecer! A atração entre os dois é latente, e chega a soltar faíscas durante toda a leitura.

Com certeza um livro com uma história interessante, um bom passatempo para quem procura um New Adult envolvente e meio atípico, pelo menos foi assim para mim.

Como disse no inicio da resenha, não morri de amores pelo livro, mas a narrativa flui bem, as amarras e mistérios da história são bem plausíveis, mas meu gosto pelo drama pedia mais, e em outros momentos - tipo na parte do sexo -, pedia menos.

Blaire e Rush são personagens que decididamente gostei de conhecer. Rush é um cara que eu não gostaria de ter no meu mundinho particular, ele me fez recordar outro personagem polêmico de um livro que li tempos atrás, e que em alguns de seus atos superou em muito esse protagonista que não vou citar, mas acredito que muitos saberão quem é. [Risos]. Rush não tem muito senso, nem de responsabilidade, muito menos de moral.

Blaire é sensível, sofreu muito na vida apesar da tenra idade, porém eu achei que ela podia, em alguns momentos, ter sido mais firme, pois nem bem começa o relacionamento entre os dois, ela logo cai de amores por ele, suportando ver coisas que decididamente eu não iria gostar nada de ver. E não recomendaria que fosse visto por ninguém.

O livro faz parte da série Too Far e seu final, é claro, fica em aberto, pedindo a sequência. Sinto que muitos irão surtar pela continuação. Eu, com certeza, pretendo ler, mas não estou desesperada para que isso acontece logo, até porque meu forte é drama.

A única justificativa, a meu ver, para não ter caído de amores por Rush pode ser devido a minha idade, ou por saber que a vida não pode ser levada assim como ele leva, e que a idade de Blaire é pouca demais para ter passado por tantas adversidades sozinha, sei lá. Devo estar ficando velha para esse tipo de leitura.

12 comentários:

  1. Gostar mas não morrer de amores é realmente algo complicado. Eu gostei da resenha mas senti que sua empolgação não estava lá no alto. Se o livro aparecer por aqui eu leio, senão...

    http://conversandodragoes.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Eu ando muito chata para leitura no estilo mais jovem, sou mais dos dramas densos e dilacerantes. Pode ser isso.
      Mas eu gostei do livro...

      Beijokas!

      Excluir
  2. Tenho lido boas resenhas desse livro. É uma pena que você não tenha gostado tanto assim. Isso fica nítido na sua resenha rsrs
    Ao contrario de você, eu ando meio cheia de dramas. Não aguento mais chorar haha
    Por isso tenho procurado livros mais leves.


    Ahhhh, lá no blog está rolando uma Gincana de Natal. A 1ª prova já está no ar valendo o livro A Casa de Hades do Rick Riordan!

    Beeijos, Dreeh.
    Blog Mais que Livros

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. O livro é legal, mas decididamente não foi escrito para o meu gosto.
      AMO DRAMA, kkkk
      Legal o lance da gincana, vou dar uma passadinha por lá.
      Beijos!

      Excluir
  3. Nossa concordo com o que você falou no final.Confesso que gostei do Rush só mais no finalzinho. Olha honestamente essas mocinha são muito faceis!!!!! To louca é pra ler o livro do Grant isso sim.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Vamos ver se o próximo livro me agrada mais.
      Bj Brenda!

      Excluir
  4. Ei Lena

    Já era para eu ter lido, mas acabei passando outros na frente. Estou curiosa porque tenho adorado os NA que eu li. Não sei se vou gostar mais do que vc, espero hehe, pq vc não se empolgou muito. Desastre iminente tbm está aqui na fila, estou louca para ler, mas não tive tempo ainda aff.
    bjs

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Depois me conta o que você achou, vou adorar saber!
      Bjs

      Excluir
  5. Oi Leninha,
    Li esse livro semana passada e, se alguém me perguntar se gostei, vou dizer: sinceramente não sei!
    Só o que sei é que me deixou deprimida, saí correndo para ler "Um Amor de Detetive", da Sarah Mason (um dos livros mais engraçados que já li) para recuperar meu astral.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Estranho os sentimentos que ficam depois dessa leitura.
      Beijos Nelma!

      Excluir
  6. Não acho que tenha sido a sua idade que seja a culpada por você não ter "caído de amores" pelo livro. Talvez seja mais questão de gosto mesmo. Eu ainda não o li, mas ele está na minha listinha.
    Bjs, Rose.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Sei lá, essa febre de amores juvenis não tem me agradado tanto quanto aos jovens e tal, deve ser idade sim, kkk
      Bjs Rose!

      Excluir

Seu comentário é sempre bem-vindo e lembre-se, todos são respondidos.
Portanto volte ao post para conferir ou clique na opção "Notifique-me" e receba por email.
Obrigada!

Editoras Parceiras

Postagens Recentes

Visualizações

Últimos Comentários

Lançamentos