História de um grande amor - Julia Quinn

Hoje tenho o prazer de apresentar Tícia com a resenha do romance de banca História de um grande amor.
Tenho esse livro há muito tempo e nunca tive vontade de ler, mas agora, depois da resenha tão bem humorada da queridaça Tícia, minha vontade é largar os livros de livraria e correr de volta para minha estante de romances de banca.

Quer saber o porquê dessa vontade?! Leia a resenha.

Inglaterra Dia 2 de março de 1810:
Hoje, eu me apaixonei...

Aos dez anos de idade, Miranda Cheever não dava sinais de que fosse se transformar numa bela mulher. E mesmo com tão pouca idade, ela aprendeu a não alimentar expectativas de encontrar um grande amor... até àquela tarde em que Nigel Bevelstoke, o charmoso e atraente visconde Turner, beijou sua mão e disse que um dia ela cresceria e seria uma jovem linda e cativante, tanto quanto era simpática e inteligente. E foi nesse dia que Miranda soube que amaria aquele homem para sempre...

No meu último post, Para cada leitor um livro... ou não, eu fiz uma pequena lista enumerando pormenores que afastam certos livros do caminho da luz. E tais detalhezinhos me fazem correr léguas dessas histórias ou abandoná-las com um prazer colossal e retumbante.

Mas tem o outro lado também, claro. Há situações em que um livro pode atrair meu interesse com a força do verde-neon-power e isso acontece por diferentes motivos: sinopse promissora, capa chamativa, comentários empolgadíssimos e até mesmo bafafá em torno do bixim... se o negócio rendeu facções literárias hostis entre os ledores, lá estou eu querendo me enfiar no meio da negoçada toda.
Para fomentar o tumulto, sabe como é...

História de um grande amor, no entanto, não me atraiu por nenhuma dessas razões. Pelo contrário: essa capa meio orgástica me irrita, meu conhecimento sobre Julia Quinn é diretamente proporcional ao que sei sobre o Flashdance Equino, a sinopse não tem nada demais e este livro claramente não está bombando de forma a instigar minha saliente curiosidade.

Acredita que foi o título que me pegou de jeito? História de um grande amor...
Não me pergunta o porquê, mas eu definitivamente cismei que insultaria meu lado romanesco se deixasse passar um livro com um nome desses.
E não é que a história é fofa?

Imagina um casal que se conhece desde sempre? Sim, Miranda e Tuner já são amigos há anos e o romance entre eles vai acontecendo de forma gradual, sem esses ímpetos apaixonados e injustificados que me brocham, tão críveis quanto nota de cinquenta na minha carteira lá pro final do mês.
A trama é simples, mas nem por isso, menos encantadora. Miranda é amiga desde pequena de Olívia, irmã de Tuner. Órfã de mãe e com um pai ausente, ela se relaciona com os Bevelstoke como se fossem sua própria família e, no processo, se apaixona secretamente pelo mocinho aos dez anos de idade.
Os anos passam, o tempo voa, a poupança Bamerindus não continua numa boa e o sentimento de Miranda permanece o mesmo. Contudo, eis que o impensável e indesejável advêm... Tuner se casa.

Imagina a angústia da garota? Se fosse comigo, eu ia rogar tanta praga pra mulher que ela, por puro mau olhado, morreria seca e arreganhada. Mas como não foi pessoal e eu sou uma pessoa incrivelmente magnânima, apenas lamentei tamanho sofrimento da mocinha. Ela, por sua vez, continuou sua vida, com o coração partido.
Até que a talzinha bate as botas, já vai tarde.

É... Tuner fica viúvo. Porém, o charmoso, engraçado e bem humorado homem pré-casamento dá lugar a um cara cínico diante da vida e das mulheres. Já pensou o que vai sair disso aí? Uma mulher apaixonada que sabe o que quer e um homem desiludido, avesso a compromisso?
Pois é. A história vai seguindo esse rumo, com direito a encontros, desencontros, ciúmes e cenas bem humoradas. Foi muito fofo ver Tuner se render ao amor de Miranda pouco a pouco. Mas foi sofrível também por que... ô homem teimoso! Em alguns momentos, ele me lembrava aqueles mocinhos-jumentos da minha diva Diana Palmer.

Mas o livro também tem alguns pontos negativos. Alguns dos diálogos, por exemplo, eram excessivamente extensos, desnecessários, me dando a impressão de que os personagens falavam a mesma coisa só mudando as palavras. E como minha atenção é equivalente a de uma criança de dois anos, eu logo me distraía pensando em coisas relevantes como a velha indagação sobre o ovo e a galinha.

Gostei. Gostei mesmo.
Não foi o maior amor – como afirmou o título – que já li e nem uma história inédita, mas sinceramente me apaixonei pelo casal; principalmente a mocinha que, embora estivesse fora dos padrões de beleza da época ou tivesse seus problemas cabeludos, não dava chiliques e nem se deixava abater, pelo contrário.
E a escrita de Julia Quinn... bem, faz jus à fama.

Recomendo?
Ôxi! Que só!

; )

12 comentários:

  1. Ai gente esse foi o primeiro livro que li da Julia e posso dizer? não tem como não se apaixonar!
    a história de Miranda cativa porque ela é uma moça forte e determinada!
    o amor entre o casal vai nascendo e se fortalecendo página a pagina! http://felicidadeemlivros.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Thaila.
      tb adorei a Miranda, ela é exatamente desse jeito. É o primeiro da Julia que leio, mas já estou com outros na lista de vou ler.
      bjooooooo

      Excluir
  2. oi eu só nova aqui , mas eu vou fala pra vcs eu adei esse livro . tenho ele e amo de coração ele , é uma historia de amor linda , eu chorei muito

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Tatiane,
      bem-vinda! A história é muito bonita mesmo e gostosa de ler, né?
      bjoooooooo

      Excluir
  3. Oi!!!
    Amei a resenha!! Mas amei mesmo, em plena madrugada acordei meu irmão diante do mal olhado (sim, risada de uma dama digna de O Diário da Princesa, só que sem a chance de aprender bons modos ingleses hahaha)
    eu gostei do livro, da ideia. Faz muitos e muitos meses que não pego um romance de banca e me deu vontade agora ♥ (ainda mas diante de seu comentário sobre a diva Diane Palmer, pensamos igual quanto aos mocinhos jumentos ahahah)
    um abraço!
    Pan
    http://pansmind.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Pandora,
      então vc deve ter uma risada como a minha. kkkkkkkkkkkkkk
      Diana Palmer é tudodibão né? Tb adoro.
      Leia essa história, sim, ela é bem fofa!
      bjoooooo

      Excluir
  4. Este foi o primeiro da Julia que li e isso é alguma coisa já que ela é a minha autora de romances históricos românticos favorita. As "sequências" What Happens In London..." e "Ten Things I love About You"são legais mas não superam a história de Miranda. Eu adoro essa heroína! Pretendo um dia comprar a versão original- e conferir se a "falecida" não fez nada. De qualquer forma, é um dos meus romances favoritos. :)
    bjs!
    Thaís

    http://umaconversasobrelivros.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  5. Tenho uns 4 livros da Julia Quinn, mas não li nenhum! acredita? Pode falar... é uma vergonha! rsrs
    Adorei a resenha Ticia, e fiquei com vontade de conhecer a historia. Vou criar vergonha na cara e ler logo um de meus livros. kkk
    Bjs

    ResponderExcluir
  6. "História de Um Grande Amor" é um dos meus romances de banca favorito... Eu ri com a Miranda menina, me apaixonei junto com ela por um Tuner jovem, que tão bem soube tocar o coração de uma garota. Em alguns momentos eu esbravejei com um Tuner mais velhos e cínico, e no fim me emocionei com a rendição dele ao amor de Miranda.
    Eu acho uma história singela e tocante!
    Adorei a tua resenha, ri horrores lendo-a.

    Bjos!

    ResponderExcluir
  7. Eu amei o começo da história, mas li ela em e-book e isso me irrita tanto, agora estou correndo atrás do livro físico, pois me sinto muito melhor com o conforto de um livro de verdade em mãos.
    Mas eu não consigo achá-lo em nenhum site, e temo ter que recorrer ao e-book novamente, alguém poderia me ajudar?

    ResponderExcluir
  8. Uma coisa que eu simplesmente sou bem chata em sinopses de livros é a personalidade de quem está escrevendo, e meu deus! vc é uma fofa, ri demais!
    enfim, o primeiro livro da julia quinn que eu li foi o duque e eu (e oh livro buunitoo viuu)
    aí não parei mais. To sem tempo ultimamente e parei no quarto e não sei se lerei esse, mas enfim, vou continuar procurando livros de época pra ler :)

    ResponderExcluir
  9. Só eu que não gostei? Talvez seja pq eu tinha grandes expectativas pra ele, pelo título tbm! Ou não.. O prólogo é um sonho! E aí dps de um tempo eu me vi forçando o término da leitura. [AVISO PARA POSSÍVEIS SPOILERS] Pra mim faltou um balde de amor próprio pra essa mocinha! Sério, ela passa o livro todo mendigando o amor dele! E ela derrama amor em cima dele, tudo que ela pensa é nele! Ai, odeio quando as mocinhas não se valorizam! E ele era totalmente indiferente a ela! Um mosquito zumbindo ao redor e ela pela casa dele dava na mesma. Dps ela fica toda animadinha pq ele tem que se casar com ela, e dps de mais rejeição ela vai com ele fácil fácil.. e a pior parte de todas pra mim é quando ela diz que nem tá feliz pelo nascimento do filho dela pq eles estão afastados! Acho que nem preciso explicar pq isso é um absurdo. ah não, da pra mim não! O final do livro tenta redimir as coisas mas pra mim não deu certo. No fim das contas, o amor dele ficou meio forçado,já que ele tinha pq tinha que amar ela de volta e ela ainda se expôs mais ao ridículo e o amor dela ficou entre infantil e um pouco obsessivo. Enfim, minha opinião. Desabafei. Kkkkk Beijo meninas

    ResponderExcluir

Seu comentário é sempre bem-vindo e lembre-se, todos são respondidos.
Portanto volte ao post para conferir ou clique na opção "Notifique-me" e receba por email.
Obrigada!

Editoras Parceiras

Postagens Recentes

Visualizações

Últimos Comentários

Lançamentos