Conto: Confesso...

Stella...
Com está sendo difícil iniciar a escrita dessa carta, foram anos escondendo dentro de mim todos esses sentimentos. Sinto como se eu errasse todos os dias não me abrindo com você, e acredite, foram anos de omissão e culpa que me consumiram. Mas acho que não posso morrer sem que você saiba de tudo que escondi durante nossa longa vida juntos.

Talvez um dia você entenda o significado do meu silêncio, achei que foi melhor assim, nos poupou de sofrimentos. Mas acho que agora basta, estou cansado de perder as pessoas, e já que irei perder o que tenho de mais importante, você merece saber.

É muito mais fácil não saber das coisas de vez em quando, para você foi melhor. Viver a seu lado, compartilhando sua vida foi meu maior presente durante todo esse tempo, mesmo que eu quisesse mais...

Dividimos tudo desde a adolescência, os segredos de amores escondidos, as transformações que ocorreram em nossos corpos, os medos e as alegrias. Ser seu amigo foi uma dádiva, mesmo que eu carregasse em mim um amor tão grande, tão intenso, tão profundo por você. Te vi chorar por outro alguém, te consolei, te abracei, te dei o melhor de mim... Mas lá no fundo eu queria dizer que, eu sim, te amava, queria te abraçar e ser retribuído, confessar meu sentimentos.
Não sei o que me fez calar, te amar me bastava, estar com você me deixava feliz. Melhor um coração transbordando amor, do que um coração partido, não é verdade?!

Fui covarde, fui mesquinho e olha o que me restou? Fui um coadjuvante na sua vida, um mero acaso, um amigo presente mas sem vida própria, e engraçado, você nem mesmo notou.

Estou te escrevendo essa carta não para te fazer sofrer, mais para ser justo com meus sentimentos. Meu tempo com você está no fim, e não quero deixar essa porta aberta, quero fechá-la definitivamente. Novamente sinto que estou sendo um covarde, deveria te dizer isso olho no olho, mas não estando mais aqui, não ficarão arestas para aparar. Você saberá da verdade e ponto, acabou.

Deus me ensinou que as melhores coisas vêm com o tempo, e o tempo te manteve a meu lado. Fomos amigos, confidentes, cúmplices, mas nunca fomos inteiros, eu pelo menos não fui.

Pensar demais foi meu maior erro, e o pior foi não pensar em mim. Abri mão da minha vida e vivi a sua, esquecendo de mim.

Egoísmo é a palavra, sofri só de pensar em perder sua companhia, de perder seu sorriso, sua confiança e por isso não me abri. Fico imaginando se... Se eu tivesse falado do meu amor, se eu tivesse contado tudo; que te desejei como mulher, que sonhei em te beijar, que tocava você como um homem e não como amigo. Qual teria sido sua reação?! Melhor nem pensar...
Conjecturas, suposições, agora é tarde. Tarde para ter qualquer esperança, tarde para mim, tarde para nós.

A única coisa que peço é que você me perdoe pela omissão, perdoe não ter contado do meu amor, me perdoe por ter sido egoísta, me perdoe por esconder por toda uma vida os meus sentimentos.

Saiba que você me fez muito feliz, você foi tudo na minha vida e isso me bastou. Estou partindo com a sensação de dever cumprido, essa carta é só para você saber...

Te amei intensamente, não te tive talvez por covardia, sei que compartilhamos de um amor puro, mesmo que não aquele amor que eu desejava. Parto sabendo que sua vida valeu a pena, que você se permitiu viver intensamente, que dividiu comigo essa sua trajetória.

Peço que você continue, que não se sinta culpada, nem triste. Se permita me ver com outros olhos, seja você mesma, reaja.

Quando você estiver lendo essa carta já haverei partido, leve uma flor para mim, chore no meu túmulo, brigue, grite, não guarde nada dentro de você. Desabafe, se permita perdoar...

Fica aqui o meu adeus... Adeus amor, amiga, companheira, seja feliz, e do fundo do meu coração saiba, você foi a mulher mais amada do mundo, você sempre foi a dona do meu coração, ocupou cada espaço meu, e se existe vida após a morte, continuará sendo assim eternamente.

Lembre-se de mim como um amigo que foi 'seu' a vida toda. E se sentir minha falta, apenas lembre-se dos nossos momentos. De onde eu estiver estarei olhando por você.

Adeus! Um dia, quem sabe, a gente se encontra!
Pedro.

36 comentários:

  1. Lena, como eu lhe disse em privado, eu adorei o conto, mas não tenho certeza se gostaria de receber essa carta.

    Seria muito triste.

    Ainda vou ler um livro seu.

    Bjs

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Acho que receber uma carta dessas é algo surreal, mas acredito que muitos pensam como você Ju.
      Eu também não saberia dizer se gostaria de recebê-la.

      Quanto ao livro... quem sabe né?!

      Excluir
  2. Nossa, fiquei imaginando a reação dessa pessoa ao receber e ler essa carta e saber que tinha ao lado um amor verdadeiro, mas que por medo do mesmo nunca tiveram uma chance. Muito triste, vc sabe o ponto certo pra deixar nas palavras a emoção! Adorei como sempre!

    Beijo!

    P.S

    Leninha, quem sabe vc não escreve a reação da pessoa, em? Séria interessante e sei que vc ia escrever com perfeição!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigada por suas palavras Simone.
      Quem sabe esse seja o conto que teremos em breve uma sequência?!
      Fica a dúvida, será?!

      Beijinhos.

      Excluir
  3. Uma carta dessas é muito linda e muito cruel. Não teria coragem de escrever nem de ler, se recebesse alguma.

    Ficou lindo o conto, Leninha ;)

    ResponderExcluir
  4. Oxê menina,

    Inspirada, hein?
    Confesso que se o cara não estivesse partindo dessa pra melhor eu mesmo daria cabo da vida dele se me mandasse uma carta dessa. Mas o texto ficou perfeito. Que venham muitos contos by Leninha por aí, senti saudade deles.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. kkkkk, só tu mesmo para bater num moribundo, kkk
      Também estava sentindo saudade de escrever, e que a inspiração não me abandone1

      Beijos Lita!

      Excluir
  5. Ainnn Leninha... que aperto no ♥ lendo essa carta... =( Texto incrível, como disse a Juliana Vicente, eu também não gostaria de receber uma carta dessas não... ia chorar meses.
    Parabéns minha linda!
    bjus
    Ju - Surtos Da Juleka
    @JuDivaClois

    ResponderExcluir
  6. Que aperto no coração em ler essa carta, não queria receber uma dessas :/

    http://des-conversando.blogspot.com.br/ Da uma passadinha lá no meu? Se gostar segue e comenta em algum post, beijos linda *-*

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Triste né?
      Depois passo lá no seu blog, obrigada pelo convite.
      Beijos...

      Excluir
  7. Oi, Leninha.

    Comentando aqui novamente, porque meu comentário não apareceu. :(

    Quase tive um choque ao ler este conto hoje e por coincidência a temática é a mesma do livro que estou lendo e que está me deixando com o coração na mão.

    Menina, você devia publicar os seus contos, onde cada dia você me surpreende com essa sensibilidade única que você transporta para o papel. Invista nesse dom.

    Se precisar de revisão, pode contar comigo. rs.

    Beijos.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oba, já arrumei até revisora, agora o livro sai!
      Obrigada amiga por suas palavras, você sabe que sua opinião é valiosa para mim, beijo enorme!

      Excluir
  8. Nossa, Leninha, muito lindo o seu conto! Me deixou arrepiada...
    Não pude não imaginar essa mulher recebendo essa carta e sofrendo com o conteúdo!

    Beijos,
    Nanie

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Que bom que consegui te arrepiar Nanie, kkk
      Também tentei me colocar no lugar de Stella e não gostei.
      Vou tentar escrever a sequência, será que consigo?!

      Beijos.

      Excluir
  9. Leninha, o homem morreu mesmo?

    ResponderExcluir
  10. Puxa vida! Belas palavras, mas receber uma carta dessas me tiraria o chão!
    É simplesmente um conto realista e cheio de sentimentos >.< apesar de triste adorei!
    -Emocionada-
    Parabéns pelo conto!

    ResponderExcluir
  11. Muito lindo o conto. Mas acho que não gostaria de receber uma carta dessa não,muito triste. Fiquei imaginando ela recebendo, realmente muito cruel.
    Adorei o conto Leninha.
    Beijos.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigada Natali, fico feliz que você tenha gostado!
      Bj e volte sempre!

      Excluir
  12. Moça, adorei o conto, é uma coisa que não sei escrever, até arrisco fazendo crônicas, poemas e poesias, mas conto ainda não.

    Parabéns.

    José Agenor
    http://blogagenor.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  13. Não tenho palavras exatas para falar sobre isso... Eu queria falar tudo isso para uma pessoa mais como falar ? acho que não dá Kkk' Parabéns, você sabe escrever e expressar o Amor em cada frase que você coloca aí. Parabéns mesmo.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigada André, olha, não tenha medo de expressar seus sentimentos, não deixe que seja tarde demais.

      Eu sempre digo: O não você já tem, não custa nada arriscar, vai que a resposta é sim?!

      Beijinhos e volte sempre!

      Excluir
  14. Que bela expressão!

    A carta é triste,mas sua expressão nos faz mergulhar no mar de diversos sentimentos.

    Parabénssss!

    Bjos

    ResponderExcluir
  15. Belo texto carregado de melancolia. Enquanto lia, fiquei imaginando o que teria trazido essa inspiração, o gatilho das emoções... Muito curiosa, né? Rs... Parabéns!
    Bjks!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ai Maribell, nem sempre tem um gatilho, apenas sai!
      Obrigada por sua presença aqui no Sempre Romântica, volte sempre!
      Beijos.

      Excluir
  16. LEninha, sua terrorista



    Que é isso? ele se matou? morreu? e os dois//???? afereessssssssssssss

    Uma palavra: Sublime
    Duas palavras: maldade sua!


    kkkkk

    bjin

    ResponderExcluir
  17. Nossa!
    Que carta é essa?
    Com certeza o tipo de carta que ninguém quer receber.
    Leninha amei o texto e acho que você deveria nos dar uma continuação para saber como foi a reação de quem recebeu a carta.
    Muito bom mesmo.

    http://lisos-somos.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigada Déborah, estou pensando seriamente no caso.
      Essa sequência tem que ser the best.
      Beijinhos!

      Excluir
  18. Onde está o livro, Leninha? AMEI o conto e acho que dá um romance maravilhoso.

    Beijos,
    Laís

    ResponderExcluir

Seu comentário é sempre bem-vindo e lembre-se, todos são respondidos.
Portanto volte ao post para conferir ou clique na opção "Notifique-me" e receba por email.
Obrigada!

Editoras Parceiras

Postagens Recentes

Visualizações

Últimos Comentários

Lançamentos