Coração selvagem - Diana Palmer

Hoje teremos resenha de livro de banca da nossa querida Tícia. Ela nos brinda novamente com leitura da diva Diana Palmer. Sou suspeita para falar, pois amo essa autora e já deu para notar que a Tícia também né?! Então com vocês a diva absoluta e criadora dos ogros mais maravilhosos da leitura de banca... Diana Palmer

Coração selvagem -  Diana Palmer 

Sinopse:
Tess Meredith e Matt Davis cresceram nas belas planícies de Montana. Mas uma ameaça pairava sobre a forte amizade que os unia: o preconceito pelo sangue Sioux de Matt. Ao buscar a sorte em Chicago, com muito esforço ele conseguiu construir uma nova vida, ainda que atormentado pelo remorso de ter abandonado o amor de uma encantadora menina. Até que um dia Tess tem questões a resolver em Chicago. E mais uma vez ela fará parte do mundo de Matt, trazendo de volta o passado que ele tentara por diversas vezes enterrar. Assim como Matt, ela carregava as marcas do tempo. Tornara-se uma mulher madura, decidida a lutar por seus direitos na sociedade. Mas, acima de tudo, disposta a enfrentar qualquer tipo de hostilidade para ficar ao lado do homem cujo coração selvagem a conquistara…

Personagens: Matt Davis e Tess Meredith

Caros escrevedores-de-sinopses-de-livros,
Peço-lhes, por obséquio, não serem tão vagos nas sinopses. Minha capacidade de suposição ainda está no nível easy/café-com-leite e não no hard/Jedi.
Atenciosamente,
Eu

Pois é.
Assim que me deparei com Coração selvagem e sua linda capa primaveril, lá fui eu toda empolgada atrás da sinopse para saber do que se tratava, afinal, nunca tinha ouvido falar neste título.
Mas foi só ler o resumo que imediatamente passei de libélula esvoaçante para morcegona mal-humorada porque ele foi muito, mas muito chinfrim.

Só eu achei isso?
Eu sei que não estou muito confiável no momento porque as férias vêm estimulando meu cérebro a operar no modo coma-profundo e, com isso, minha habilidade interpretativa está num avançado estado de letargia crônica, mas... poxa! Custava ser mais claro, seu escrevedor-de-sinopses-de-livros?!

Enfim...
Como não sabia muito que esperar da história, comecei a cogitar hipóteses baseadas na minha experiência com os outros romances de Diana.
Pensei: provavelmente teremos mocinho jumento com DNA de toupeira, mocinha virgem que pode ou não ser pisoteada, que pode ou não ter atitude, que pode ou não me irritar, que entrará ou não na minha lista de “mocinha pamonha”.

Bem, não temos mocinho cavalo e nem mocinha pamonha. Virgem sim, mas besta não. Aliás, de besta, Tess não tem nada.
Sim, é um livro de Diana, eu conferi.

A história é ambientada no final do XIX para o XX, ou seja, é um histórico. E como ainda não haviam publicado históricos da diva por aqui (ou publicaram e eu estou patetando?), fiquei empolgadíssima com a novidade.
E tamanho entusiasmo foi largamente satisfeito porque a história é muito boa.

Vamos a ela:
Tess e Matt eram amigos quando jovens. Ela era loira, branca e ele um índio Sioux. Em função de algumas coisitias, Matt decide ir para Chicago tentar a vida e não carrega a moçoila que, muito esperta, já estava babando rios caudalosos no indiozão.

Mais de uma década se passa e o pai de Tess morre. Adivinha o que ela faz? Vai atrás de Matt que, nesse meio tempo, juntou grana e se tornou dono de uma agência de detetives.
Em Chicago, ela vai morar na mesma pensão que ele e os dois continuam tudo na base da amizade.
Por uns tempos, claro.
Aaaaaaaaí, no meio da história, entre bandeiras, gritos e passeatas, acontece um crime. Esse é, principalmente, um dos conflitos que impulsiona a narrativa. Quem matou? E por quê?

Adorei a mocinha. Se você acha que ela é daquele tipo que leva a vida na costura e do bordado, reveja seus achômetros. Tess tem profissão, é sufragista de carteirinha e ainda defende ferrenhamente os direitos femininos até o último fio do frizz capilar.
E essa modernidade toda vai colocá-la em alguns maus lençóis.
Já Matt é um fofo. Cabeça dura em alguns momentos, mas muito protetor e carinhoso com Tess. Fora o fato de o cara ter uma pegada que certamente contribuiu para o início do aquecimento global.

O romance entre os mocinhos foi muito lindinho porque Tess é mega sincera nos seus sentimentos. Se ela quer, ela quer e ponto final.

Gostei. Primeiro histórico da Diana que li e realmente gostei.

Mas em uma escala de 1 a 10, eu dou 9.
Por quê?
Porque não teve um ogro.
Acho que acostumei...
Vai entender...

Recomendo demais da conta!
; )

12 comentários:

  1. Ticia, sua ogrete

    kkkk

    Indio e aquecimento global tudo junto e misturado! Nao vai prestar! rssss

    Muito bom mesmo! Amei sua resenha! Parabens. Dei boas risadas!

    bjo

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. ô Flá!
      É, junta Indio com aquecimento global que não presta mesmo não. kkkkkkkkk
      Ah, Flá! Vamos rir, né?

      bjooooooooooooo

      Excluir
  2. Ai eu sou muito fã da Diana, gosto até dos livros ruins dela, leio tudo o que é lançado titia Palmeirão e este livro foi nota 10 para mim ;)
    Bjs,
    Pati

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. É pati,
      Diana é Diana, tem jeito não.
      Eu tb saio lendo tudo dela e mais um pouco.
      Fãs, né?

      bjooooooooo

      Excluir
  3. Oi, Lena e Tícia!

    haha Não tem como não rir das resenhas da Tícia! Me fez querer ler esse livro!

    Beijos,
    Inara - lerdormircomer.com.br

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Inara,
      pode ler, o livro é uma delícia, super levinho. Vc vai gostar.

      bjoooooooooo

      Excluir
  4. Esta foi boa, faltou um ogro, kkkk Mas é verdade, acabamos nos acostumando com eles.
    Bjs, Rose.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Então... sinto falta de ogro, ms tenho vontade matar cada um deles enquanto tô lendo! kkkkkkkkkkkk

      bjooooooooo

      Excluir
  5. Oi, Ticia.

    Acredita que nunca li nada da Diana?
    Mas começarei brevemente, pois estou com dois dela aqui.
    FEBRE DE PAIXÃO e ROMANCE IMPOSSÍVEL.
    Agora a dúvida é, por qual começar? rsrsrsrs.

    Beijos.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Carla,
      Vc tá brincando que não leu Diana!!!! Faz isso não, mulher!
      Tem muito tempo que li Febre de paixão e lembro que gostei. Romance impossível tb é bom.
      Mas sabe qual é meu preferido? Fora da lei. tenho doidera com esse livro. Se der, leia tb! ; )

      bjoooooooo

      Excluir
  6. Que delicia de resenha!! Comecei a ler este livro agora e pena que o mocinho nao e um maucinho porque tb amo ogros de paixao! Mas vou ler mesmo assim... Sua resenha me animou!!! Ah e livro da dp qye me ganhou de verdade foi homem da lei! Li duas vezes e nao me canso!! Chorei nas duas vezes, fira fmda lei tb e otimo!!! =D

    ResponderExcluir
  7. Que delicia de resenha!! Comecei a ler este livro agora e pena que o mocinho nao e um maucinho porque tb amo ogros de paixao! Mas vou ler mesmo assim... Sua resenha me animou!!! Ah e livro da dp qye me ganhou de verdade foi homem da lei! Li duas vezes e nao me canso!! Chorei nas duas vezes, fira fmda lei tb e otimo!!! =D

    ResponderExcluir

Seu comentário é sempre bem-vindo e lembre-se, todos são respondidos.
Portanto volte ao post para conferir ou clique na opção "Notifique-me" e receba por email.
Obrigada!

Editoras Parceiras

Postagens Recentes

Visualizações

Últimos Comentários

Lançamentos