Cinquenta Tons de Cinza - E. L. James

Hoje, excepcionalmente aos sábados durante o mês de aniversário, temos a presença de Tícia, com a resenha de um livro para lá de comentado nas redes sociais e "sucesso" na blogosfera Literária, seja visto pelo lado positivo ou negativo.

Porém vamos deixar de papo e apreciar mais uma resenha da Tícia. Com vocês...

Cinquenta Tons de Cinza -  E. L. James

Sinopse:
Quando Anastasia Steele entrevista o jovem empresário Christian Grey, descobre nele um homem atraente, brilhante e profundamente dominador. Ingênua e inocente, Ana se surpreende ao perceber que, a despeito da enigmática reserva de Grey, está desesperadamente atraída por ele. Incapaz de resistir à beleza discreta, à timidez e ao espírito independente de Ana, Grey admite que também a deseja.



NOTA: para mim, é difícil falar de Cinquenta tons de cinza sem colocar algumas palavras... como posso dizer... um tanto quanto pejorativas no meio do texto. Se você se sente desconfortável com esses vocábulos impudicos, te aconselho a largar essa resenha pra lá e ir comer um chocolate!  ; )


Vocês não imaginam o quanto enrolei para encarar Cinquenta tons de cinza.
Eu sempre marcava uma data para essa leitura com o sentimento otimista de “agora vai!”, mas meu cérebro me conduzia para lugares distantes e lá estava eu distraída com outros livros.

Acredito que aconteceu comigo o mesmo que aconteceu com muita gente: ouvi tanto comentário negativo que simplesmente não conseguia engatar a primeira. Pelo contrário, ia de ré.
Analogia podre, mas ilustra bem a coisa toda.

Assim sendo, depois de muito preterir, lá fui eu enfrentar a tarefa que julgava ingrata, mas com uma expectativa baixa. Baixíssima. Baixérrima.
Acho que isso me ajudou porque, como eu não esperava nada, o que viesse era lucro.
E gostei, acredita? Mas falo sobre isso depois.

É quase redundante mencionar sinopse, já que todo mundo sabe do que se trata, mas, ainda assim, vou falar só um cadiquim da história.
Anastasia é uma universitária de 21 anos, virgem e um pouco ingênua (para muitos, infantil). Ela conhece o bilionário Christian Grey, e baba no cara. A atração é recíproca e eles iniciam uma relação baseada em sexo.
Mas tem um detalhe: Christian não faz amor. Ele fode com força e com toques de BDSM, um sadomasoquismo mais camarada.

Foder?
Sim, essa e outras palavras como “comer, trepar e meter” são frequentemente usadas pelos personagens e, como eu disse antes, se você se incomoda com linguagem chula, desista porque você não vai passar da centésima página.
Mas olhe o lado positivo: você contribuirá com a variedade linguística e seu léxico diversificará consideravelmente. O meu, por exemplo, está afiadíssimo. Depois desse livro, eu consigo construir um período composto por dez orações só de turpilóquios. Estou agradavelmente orgulhosa de mim mesma.

Bem, continuando, a relação segue um rumo diferente do previsto. Os dois começam a se apaixonar e Christian, um dominador compulsivo e repleto de traumas, não sabe lidar muito bem com essa emoção. Primeiro porque não a conhecia; segundo porque não se achava digno de tal sentimento e terceiro porque ele não me encontrou antes. Eu o ensinaria rapinho, com muita eficiência.

A partir daí, tudo fica meio instável, imprevisível e confuso. Ana quer mais de Christian, além de não aceitar as punições (fubecadas com direito a chicote, vara ou sei lá mais o quê) que dão extremo prazer a ele. E o que fazer diante dessa incompatibilidade se as emoções estão levando a melhor?
Eis o conflito.

A história é boa. Eu realmente gostei e consegui enxergar romantismo onde muitos só viram sacanagem. Fui envolvida pelo casal, pelos seus “dramas” e, mesmo com ressalvas, dei nota máxima.

Mas para chegar a isso, eu que tive que relevar algumas coisas que muitos não conseguiram, claro. E confesso que em alguns momentos me segurei pra não utilizar da “tática Sapoler de saltar páginas” de minha amiga Flaveth.

Então, algumas coisas me irritaram, hã? Imensamente, e todas vindas de Anastasia. Quer um exemplo? Eu te dou pelo menos três:

1) trejeitos insuportáveis => morder boca, revirar olhos e ruborizar. Cinco vezes a cada dois parágrafos é demais.
2) deusa interior X subconsciente => Alguém tinha que explicar para a autora que isso cansa quando mencionado pela terceira vez. Que dirá na 45387ª!
3) limitação nas interjeições => de agora em diante, quem falar “puta merda” perto de mim corre um sério risco.

Devo acrescentar ainda que durante minha leitura, oscilei entre a vontade de esganá-la por tanta chatice e, paradoxalmente, uma estranha empatia por seus conflitos. Ao contrário de muita gente, achei legal sua luta interna e bastante verossímil sua submissão aos caprichos de Grey, mesmo temendo e discordando de suas práticas. Conheço algumas mulheres que fizeram coisas bem piores por um homem.

E eu não poderia deixar de mencionar que muita gente reclamou da escrita. Entendo, aceito e respeito esse ponto de vista, mas eu tive uma opinião diferente. Vou me valer de algumas palavras do Alex do Skoob que, mesmo achando a história fraca, falou exatamente o que pensei sobre o enredo:

 “... ele passa uma sensação de história contada por alguém, com todos os erros, imprecisões e partes vagas que alguém poderia cometer ao narrar uma história. Tentado ler sem o crivo técnico da análise literária, a história soa tão realista quanto a descrição da primeira noite de sexo com o namoradinho novo da colega da mesa ao lado, na manhã de segunda no trabalho. É como se Ana quase pudesse ser a sua vizinha doce, comum e infantil aos olhos de todos”.

Para mim, foi exatamente isso: uma garota inexperiente e deslumbrada contando sua história, com toda a limitação de uma conversa vaga.
Ela é infantil, chata ou sem noção? Já vi personagens piores e isso não me fez desgostar da história.
Ajudou também deixar de lado análise literária, olhar crítico e até mesmo reflexões freudianas e moralistas como tenho visto por aí. Mesmo porque se eu o fizesse, seria a primeira pessoa a ser presa por falar abobrinha em doses cavalares.

No final das contas, eu realmente acredito que Cinquenta tons de cinza não é tão ruim quanto esculacham por aí e não é tão bom para que justifique tanto furor.
Se eu recomendo? Com certeza, desde que você inicie sua leitura sem pré-conceitos ou expectativas por um clássico digno de um Nobel literário.

E uma última coisa: as cenas eróticas são... alguém pode abrir a janela para entrar um arzinho???


31 comentários:

  1. Ótima resenha! Realmente o livro não é um primor da literatura, mas não é ruim como estão pintando! A trama não tem furos e é bem coesa. E a unanimidade é que todas queremos bater em Ana, mas ela não é de todo má! Como você disse, também já vi piores. rsrsrsrs.

    bjs

    ResponderExcluir
  2. Tícia minha filha vc contou? Eita paciencia!!
    E vou te falar, gostei do livro tbm. Não é assim aqueeeeeela Brastemp literária, mas é bom. E te digo mais: surtei com tanto "puta merda" tbm.

    Dorei a resenha. Bjus

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Alexis,
      "Não é assim aqueeeeeela Brastemp literária" é ótimo. kkkkkkk
      Esse livro é o típico que divide leitores, não tem jeito.
      Vc tb se irritou com os "puta merda"? Que bom que não estou sozinha nessa! kkkkkkk
      bjoooooooo

      Excluir
    2. Eu tô irritada demais com a Ana mordendo os lábios o tempo todo e o Grey mandando ela comer direito hahaah
      Mas ainda estou no começo do livro, preciso ver como vou ficar mais para frente!

      Excluir
    3. Oi Andrea,
      nem me fala desses trejeitos. Isso vai ter o livro inteiro, infelizmente.
      E outra coisa: até a página cento e poucos, a história enrola um pouco, porém, depois, a coisa melhora.
      Mas pode ser que vc vai entrar pra turma que não dá conta e abandona o livro, né? Espero que vc consiga superar esses detalhezinhos insuportáveis e continue. Eu tenho uma amiga que não aguentou e já até trocou o livro. rsrsrsrs

      bjoooooo

      Excluir
  3. Este livro esta dando mesmo o que falar .... e cada comentário que leio fico ainda mais indecisa kkkkk Acho que é por isso é "tons de cinza" se fosse preto ou branco ficaria muito mais facil decidir ou nao pela leitura .. rsrs

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá "Estrelas",
      Eu tava como vc, na dúvida e acabei gostando. E se de repente vc não gostar, pelo menos, vc sai da dúvida. ; )
      bjooooooo

      Excluir
  4. Ticia, sua 'léxica':


    Então vc não usou o SAPOLER? A leitura dos sapos? kkkkk pula...le...pula..le... kkkkk parabéns! Eu não consegui...mas engraçado as partes que te incomodaram, pra mim não fizeram tanta diferença assim não... O QUE NÃO GOSTEI??? foram as senas de ...... vc sabe ne....
    "Mas minha filha! vc não sabia que esse livro tinha isso?" Sabia, claro que sabia, mas mesmo assim achei pesado.

    Mas posso comentar, posso??Posso???? La vai:

    1- Pra mim, as melhores partes do livro, são as trocas de e-mail. São fofos demais, genteeeeeeeeee
    2-Não tinha analisado que a escrita era infantil porque a personagem É INFANTIL! Bem pensado amiga!
    3-50 Tons de cinza é ruim? Depende do ponte de vista e... PONTO FINAL!
    4-50 tons mais escuro eu gostei mais que o primeiro, acho que talvez vc tb.
    5-AMEI SUA RESENHA 'LÉXICA'



    bjao

    obs: obaaaaaaaa vou ter sessão de sabado!!!!!!!! com a TICIA!!!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Flá!
      Eu quase tive um AVC com tanto puta merda, deusa interior com pompom,inconsciente olhando sob os óculos ou morder o rai da boca. Que bom que não te incomodaram pq tem isso o livro inteiro, né? kkkkk

      As cenas de sado realmente cansam. Concordo. Aliás, tanto sexo fica até chato. E vc sabe que do meio pra lá, foram nessas cenas que eu quase usei seu sapoler?

      As trocas de e-mail são fofíssimas mesmo. Tb gostei. Não incluí na resenha pq esqueci, acredita? Mea culpa. kkk
      Tô lendo os 50 tons mais escuros e tb tô gostando. Até mais do que esse.

      Resenha léxica é ótimo... kkkkkkk

      bjoooooooooo

      Excluir
    2. kkkk

      hei sua fofa! Aguardo seu proximo resenhão no sabado

      bjão

      Excluir
  5. OI Regina.
    Querer sovar a Ana é básico, né? kkkkkk
    Mas eu gostei dela (fora o rai da deusa interior que me provocou ânsias assassinas), eu achei a criatura bem corajosa.
    Vc disse tudo: a trama é bem amarrada, tb não vi furos. Por ex, estou lendo o tons mais escuros e não há contradições ou coisas mal escritas.
    Enfim, é gosto, né?
    bjooooooo

    ResponderExcluir
  6. Adorei a resenha, mas ainda estou naquele momento "ler ou não ler..." mas acho que vou acabar lendo sim. Beijo

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Isabella,
      sei como é esse momento “leio o rai do livro ou não?”. Eu fiquei por meses assim. Por que vc não começa a ler? Se não gostar, larga o livro e segue adiante sem remorsos! Kkkk
      bjooooooo

      Excluir
  7. Nossa também senti calor só de imaginar as cenas quentes!!! Pela sua resenha eu gostaria que ele fosse um pouco mais romãntico, mas como nada é perfeito.....
    Ainda não me decidi se gostaria de lê-lo ou não, mas mesmo assim achei muito interessante.


    Beijinhos.


    Leila.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Leila,
      Sabe o que acontece com esse livro? O romantismo está ali, mas vc tem que ler nas entrelinhas porque, a princípio, frisa mais o sexo mesmo. O romance vai ficando mais evidente na medida em que a história passa.
      O Cinquenta tons mais escuros, por exemplo, é mais romântico. Pelo menos até a parte que eu li, né? Kkk
      bjoooooo

      Excluir
  8. Olá Tícia!


    Não tenho interesse de ler esse livro, não por causa das cenas quentes e o BDSM, mas por outras coisas. Mas adorei sua resenha! :) Comecei a lê-la por curiosidade (porque é sobre o "famoso" Cinquenta tons...), mas depois que comecei a ler não consegui parar.rsrs... Sua resenha ficou maravilhosa e é impossível parar de lê-la antes de chegar ao final. Me diverti com ela e simplesmente adorei o modo como você falou da história! Parabéns!

    Bjs!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá Luna,
      Poxa, obrigada pelos elogios! ; )

      Se não é seu estilo, é complicado forçar a barra, né? Eu, por exemplo, não sou muito chegada nesses livros “hot” em excesso. Normalmente eu passo longe deles, mas esse... não sei se foi a falta de expectativa ou se, independente disso eu ia apreciar a leitura, mas o fato é que gostei.
      Vai entender...
      bjoooooooo

      Excluir
  9. Ei Ticia, adorei sua resenha, super divertida. (como sempre). E aí, gostou da sua nova fotinha e da assinatura? Beijos.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Leninha!
      Poxa, adorei a foto e a assinatura. Ficaram lindas, como todo o blog, aliás.
      Muito legal fazer parte disso tudo!
      bjoooo procê!

      Excluir
  10. NÃO LEIAM ESSE LIVRO! NÃO LEIAM! AAAAAAAAAAAAAH!!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá "Tudo que odeio no mundo"!
      Já deu pra perceber que esse livro é uma dessas coisas, né? kkkkkkkk
      50 tons é assim mesmo, ou gosta ou não gosta.
      bjoooooooooo

      Excluir
  11. Eu achei 50 tons ruim demais. A escrita acabou com qualquer "simpatia" que eu tivesse pelo livro. Poucas vezes vi algo tão pessimamente escrito. Simplesmente não deu, achei tudo muito enfadonho, sem graça.
    Mas, sabe, apesar, d'EU não ter achado péssimo acho que as pessoas tem que ler pra tirar as próprias conclusões.

    bjos

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Sweet,
      É verdade. Também acho que a pessoa deve ler para ter uma opinião, já que gosto varia tanto. Olha só nós duas: eu gostei e não tive nada contra a escrita; você não gostou e teve tudo contra escrita.
      Vc chegou a ler o 50 tons mais escuros? Ou só de cogitar a hipótese te dá arrepio? Rsrsrsrs

      bjooooooooo

      Excluir
  12. Comentário de Paula: Bem, em primeiro lugar, parabéns pela resenha. Diverti-me muito com seus comentários, percebi coisas que na leitura não havia me dado conta (como a quantidade de "Puta merda" que tinha no livro, por exemplo) e aprendi um novo termo para uma coisa que eu realmente fiz no livro: eu Sapolei! ;D Masss, foi apenas para ver se a Helena se dava mal, depois eu voltei e continuei... Outra coisa em que concordo contigo é sobre a Ana. Às vezes eu ficava louca com ela!
    Agora, uma das coisas que eu mais gostei na leitura dos dois livros da série - deixando de lado o lindo e mais tarde incrivelmente romântico Grey - foram os e-mails deste casal! Divertidíssimos! Adorei cada um!
    Parabéns pela resenha! Adorei!
    Abraços!

    aqueleromance.com
    romancescontos.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Paula!
      PoiZé.
      Precisa de tanto puta merda? kkkk
      Eu uso o sapoler da Flá direto. lê... pula... lê... pula. mas dessa vez não fiz isso. Pq? Queria acompanhar a escrita pra entender pq o pessoal fala tão mal.

      Mas, enfim... opiniões, né?
      Eu esqueci de mencionar os e-mail, acredita? Tb achei muito divertido. Eram partes bem leves no meio de tanto tons de cinza.

      Obrigada pelos elogios!

      bjoooooooo

      Excluir
  13. Oi, Tícia!
    Adorei sua resenha, a primeira que eu li de muitas que conseguiu valorizar o livro pelos pontos positivos, e apesar dos pontos negativos não se juntou ao senso comum de muita gente para criticar somente o livro.
    Você conseguiu descrever exatamente o que eu senti em relação ao romance, e porque não, o amor entre o casal.
    Parabéns pela sua imparcialidade e por você se livrar de pré conceitos adotados por muitos blogs, fico feliz em saber que sigo um blog que mantém a mente aberta e sem moralismos infundados.
    Beijos!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Carolyne,
      obrigada pelas palavras! Realmente não vi o porquê de tanto massacre, mas enfim... Gosto é um troço complicado, né?
      Que bom que vc gostou, que venha o terceiro!
      bjoooooooooooo

      Excluir
  14. Claire vê seu futuro transformado quando seu grande amor sofre um acidente. Com isso, as verdades começam a ser reveladas e ela, moça do século XIX, tenta decidir se dá chance a um novo amor ou se constrói sua vida de maneira independente. Porém, toda escolha tem suas consequências e diga-se: emocionantes consequências.
    "A Casa dos Boswell" é um romance erótico capaz de sacudir qualquer cabeceira.

    https://www.amazon.com.br/dp/B00DT57QZK
    http://pt.scribd.com/doc/151996037/A-Casa-Dos-Boswell-Danielle-Nelson

    ResponderExcluir
  15. Tícia, estou encantada por suas resenhas. Já viajei na net atrás de resenhas de sua categoria e não encontrei nada próximo. Amei e odiei cada palavra sua sobre 50 tons. Primeiro por que sou muito fã. E mesmo tendo como base literária (diga-se livros de cabeceira) clássicos da magnitude de Insustentável Leveza do Ser e O Velho e o Mar, acredito que a autora merece todo o crédito de levantar uma bandeira (somos mulheres e gostamos disso tbm). Não sei explicar e para quem critica o livro não consigo rebater. Apenas digo que gostei e gosto. Pronto. Me tocou, atingiu algo que nós mulheres não adimitíamos nem mesmo sozinhas.
    Enfim, parabéns pela coragem! Estamos juntas na defesa de 50 tons!

    ResponderExcluir
  16. Gostei muita da tua resenha. Quase fui ler o livro, mas ainda não dá. Já iniciei uma vez e não passe das primeiras dez linhas se não me engano ( já faz tempo que pensei em lê-lo). Não gosto de BDSM, teve um livro que eu estava lendo e estava perfeito, super fofo e tal, até ele (o mocinho) levar a mocinha para um quarto/masmorra cheio de coisas sadomasoquismo. Larguei o livro na hora! kkkk

    ResponderExcluir

Seu comentário é sempre bem-vindo e lembre-se, todos são respondidos.
Portanto volte ao post para conferir ou clique na opção "Notifique-me" e receba por email.
Obrigada!

Editoras Parceiras

Postagens Recentes

Visualizações

Últimos Comentários

Lançamentos