A Passagem - Justin Cronin

Esse livro ainda consta como não lido na minha estante, mas também 816 páginas me assusta enormemente e ainda estou pensando com carinho se leio ou não...
Mas a Tícia leu, e hoje ela traz empolgadíssima essa super resenha.

Com vocês... 
A Passagem - Justin Cronin

Sinopse:

Primeiro, o imprevisível: a quebra de segurança em uma instalação secreta do governo norte-americano põe à solta um grupo de condenados à morte usados em um experimento militar. Infectados com um vírus modificado em laboratório que lhes dá incrível força, extraordinária capacidade de regeneração e hipersensibilidade à luz, tiveram os últimos traços de humanidade substituídos por um comportamento animalesco e uma insaciável sede de sangue. Depois, o inimaginável: ao escurecer, o caos e a carnificina se instalam, e o nascer do dia seguinte revela um país – talvez um planeta – que nunca mais será o mesmo. A cada noite, a população humana se reduz e cresce o número de pessoas contaminadas pelo vírus assustador. Tudo o que resta aos poucos sobreviventes é uma longa luta em uma paisagem marcada pelo medo da escuridão, da morte e de algo ainda pior. Enquanto a humanidade se torna presa do predador criado por ela mesma, o agente Brad Wolgast, do FBI, tenta proteger Amy, uma órfã de 6 anos e a única criança usada no malfadado experimento que deu início ao apocalipse. Mas, para Amy, esse é apenas o começo de uma longa jornada – através de décadas e milhares de quilômetros – até o lugar e o tempo em que deverá pôr fim ao que jamais deveria ter começado. A passagem é um suspense implacável, uma alegoria da luta humana diante de uma catástrofe sem precedentes. Da destruição da sociedade que conhecemos aos esforços de reconstruí-la na nova ordem que se instaura, do confronto entre o bem e o mal ao questionamento interno de cada personagem, pessoas comuns são levadas a feitos extraordinários, enfrentando seus maiores medos em um mundo que recende a morte. 



Falar de um livro como A passagem é uma tarefa complicada, porque as palavras simplesmente não dão conta de expressar o quão sensacional é a história, ou tudo o que ela me imprimiu desde a primeira até a última página.
Ao invés de lutar com as letras, seria bem mais fácil se minhas sensações e emoções pudessem ser infundidas no papel, pois, sem dúvida alguma, foram inúmeras e intensamente sentidas.

Tudo bem. Fui abstrata e vaga, e eu mesma estou com vontade de me chutar para ver se falo com objetividade, mas é que o livro me inspira a ser absorta desse jeito. Fora que ainda estou sob o impacto da leitura.

A passagem superou minhas expectativas não só pela trama bem construída, mas também pela sua pluralidade temática. E essa variedade torna difícil classificá-lo como suspense ou terror já que também nos deparamos com muita aventura, ação e até romance ao longo da história.

Sei que alguns podem se revoltar e confabular uma emboscada contra a minha pobre pessoa, mas, ainda assim, não posso deixar de dizer: depois de tanta fantasia açucarada e sublimada em volta de bruxos, vampiros, lobisomens e não sei mais o quê, é bom ver novamente “monstros” de verdade, na sua essência, sendo guiados pelo instinto próprio de sua... Como posso dizer?... Anomalia. E isso, certamente, produzirá audíveis “What hell is that?” em sua mente o tempo todo.

A sinopse fala um pouco do que podemos esperar, mas é válido lembrar que um livro desses, com suas excelentes 816 páginas, é muito mais amplo do que só aquilo que o resumo nos apresenta.
A história vai mostrar, em um tom sutilmente crítico, os últimos dias de um mundo já caduco - às voltas com sua própria destruição - e no que ele se transformou anos depois: resquícios, escombros, lembranças, com uma humanidade drasticamente reduzida a quase zero, escondida em lugares fortificados, tentando sobreviver aos “seres monstruosos” que ela mesma criou, os chamados virais, fumaças ou vampiros.

Mas não vai achando que você vai se deparar com um Edward Cullen lá não, viu? Quer dizer, a não ser que seja uma versão dele pós-atropelada 458 vezes e meia por um trem de São Paulo. Lotado. Tipo hora do rush. E de frente.

Bem... E nesse contexto, temos um grupo de personagens que se destacam e com quem criamos uma empatia tão profunda que nos vemos chorando, rindo, nos assustando ou nos amedrontando junto com eles. Você se torna parte do grupo. E esses personagens tão cativantes entram de cara em uma missão, percorrendo as ruas e cidades infestadas pelo inimigo; enfrentando perigos e situações inimagináveis, tudo escrito em um estilo veloz e envolvente. 
Tem que ter fôlego para aguentar o tranco, viu?

Para quem gosta do estilo ou vai ter o bom senso de encarar A passagem, um aviso: você vai se empolgar. Mas a boa notícia é que vem por aí o segundo livro (Eu não falei que era uma trilogia? Malditas séries que me deixam viciada!). A continuação, The Twelve, já deve estar chegando até nós. E, como sou uma pessoa declaradamente obsessiva, já estou indócil por uma informação de quando o teremos em terras tupiniquins."

E outra coisa: ao ler A passagem, é garantido que você economize uma grana com exames cardíacos. Ora, se você sobreviver a esse livro, meu amigo, seu coração é macho e está apto a enfrentar qualquer bizarrice que vier.
O meu, por exemplo, já está até mascando abelha...

Recomendadíssimo!

; )

11 comentários:

  1. Assim que vi a Lena divulgando esse resenha, tive que clicar e conferir o que você achou do livro que na minha opinião é fabuloso.


    Adorei sua resenha, pois consegui me identificar com cada sensação que você teve. Esse livro teve um impacto tão profundo nas minhas emoções que enquanto lia não consegui diferenciar realidade de ficção.


    Estou ansiosa para ler a continuação, mas como li esse livro em 2010, antes de ler The Twelve, irei reler A Passagem, pois esse livro merece ser lido e relido.


    Beijos

    ResponderExcluir
  2. E minha vontade de desvendar essas 816 páginas só aumenta!!

    ResponderExcluir
  3. A maioria amou esse livro. Ele está na minha listinha (enorme) faz um tempão rsrs
    Adorei a resenha :-)

    ResponderExcluir
  4. Ta minha listinha enorme também Luka, um dia, talvez, quem sabe, eu arrume um tempo...

    ResponderExcluir
  5. Tenho esse livro, mas a quantidade de páginas me fez coloca-lo no final do monte..porém vc está tão empolgada que acho vou passar ele na frente dos outros, parece muito legal.....pena que as continuações das séries demorem tanto para ser publicadas..então pinta essa angustia pela continuação da estória...Enfimmmm fazer o que?...bjs

    ResponderExcluir
  6. Eu sou suspeita pra falar desse livro. Todas as minhas amigas me falam que tenho uma tendencia viciosa de escolher para mim livros com mais de 800 paginas que nem todo mundo tem coragem de enfrentar! kkkkkk, mas ka entre nós eles sempre são os melhores. A Passagem é aquele tipo de livro que você ler e depois não consegue expressar em palavras o quanto ele é bom, o ideal é a pessoa em questão ler e ver com os próprios olhos. Ele é muito rico em detalhes e você se pega sempre imaginando o que faria se fosse você no lugar deles!
    Bom, acho que ja falei demais, espero que todos leiam e venham aqui pra contar que a quantidade de paginas não foi suficiente!
    Ah, quero pra ontem The Twelve estou entrando em desespero de tanta ansiedade! kkkkkkkkkk
    Adorei o post Ticia, me fez querer ler novamente!
    Bjs Leninha!

    ResponderExcluir
  7. Um livro que vale à pena ser lido e uma resenha que vale à pena ser comentada.
    Confesso que tive medo, no inicio da leitura, de me decepcionar. Mas empolguei e cada minuto lido eu me apaixonava mais e mais. É uma estória meio Stephen King, meio Pittacus Lore.
    Quem ainda não leu, encare de frente e leia.

    ResponderExcluir
  8. Oi, Tícia.

    Você descreveu em poucas palavras tudo o que eu senti lendo este livro.
    Foi profundamente impactante e, quando concluí a leitura, fiquei com o enredo em minha mente por uns meses tendo terríveis pesadelos com os virais. hahahahaha.

    Quando cheguei ao final, quis morrer com aquele parágrafo. Como assim? Terminar desse jeito. Se tornou o meu livro favorito!

    Já estou há dois anos ansiando pela continuação e torcendo para que seja tão bom quanto este. Haja ansiedade pela espera, hein!

    Beijos.

    P.S.: Leninha, você está esperando o que para lê-lo! Vá ler AGORA! É daqueles que te prendem desde o início. As 816 páginas passam num piscar de olhos. Você nem sente que leu tudo isso. Fica ansiando por mais. ^^

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Este comentário foi removido pelo autor.

      Excluir
    2. Carla Fernanda, faço minhas suas palavras. Li este livro no inicio de 2011, e até hoje estou aguardando o lançamento de segundo como se tivesse acabado de ler. Fato, 816 paginas passam q vc. nem sente tal o nivel de tensão e expectiva da leitura.
      Tenho esperanças que o policial que retirou a menina do laboratorio de alguma maneira tenha sobrevivido - ok., se passaram 90 anos, mas o q vou fazer se o livro me pirou?.

      Excluir
  9. Oi adorei sua resenha!.. muito obrigado, me fez se interessar pelo livro....mas vc já leu o livro reverso escrito pelo autor Darlei... se trata de um livro arrebatador...ele coloca em cheque os maiores dogmas religiosos de todos os tempos.....e ainda inverte de forma brutal as teorias cientificas usando dilemas fantásticos; Além de revelar verdades sobre Jesus jamais mencionados na história.....acesse o link da livraria cultura e digite reverso...a capa do livro é linda ela traz o universo de fundo..abraços. www.livrariacultura.com.br/scripts/resenha/resenha.asp?

    ResponderExcluir

Seu comentário é sempre bem-vindo e lembre-se, todos são respondidos.
Portanto volte ao post para conferir ou clique na opção "Notifique-me" e receba por email.
Obrigada!

Editoras Parceiras

Postagens Recentes

Visualizações

Últimos Comentários

Lançamentos