Conto: Sem Perdão


A pergunta que não cala em meu coração: Por quê?

Como foi capaz de fazer isso comigo? Você era a coisa mais importante que eu tinha na vida, era meu tudo, meu universo, meu amor...
Você quebrou meu coração, estou dilacerada, machucada, já nem tenho mais lágrimas. Minha dor é na alma...

Confiei minha vida em suas mãos, meu futuro não existia sem sua companhia. Você agiu como um covarde, me apunhalou pelas costas, matou minhas esperanças.

Minha vontade é arranhar seu rosto com minhas unhas, te bater até não ter mais forças, te machucar assim como fui machucada...

Vendo você aqui, agora, na minha frente implorando por perdão não me comove. 

"Mentiroso, enganador, traidor!", grito aos quatro ventos!

Éramos parte um do outro e me sinto despedaçada, como uma flor sem pétalas, murcha, sem vida.
Não adianta implorar, não suporto nem mesmo ouvir sua voz, você para mim morreu. Quero que recolha suas coisas e não volte nunca mais, me deixe aqui com minha dor.

Não fique de joelhos, não chore, não quero olhar em seus olhos...

Não encoste em mim, não me toque, sujo, vil, sinto repulsa por você.
Saia, por favor, não me faça chamar por socorro, nada aqui mais te pertence... 
Não me venha com essa história, por que não pensou nisso antes de me trair? Não acredito em suas mentiras.

Pode ter certeza que vou encontrar outros braços para me acalentar, minha boca vai encontrar outros lábios para beijar...
Como assim não posso falar isso? Claro que posso. Me sinto livre agora, foi sua culpa, você me traiu, não eu...

Amor?! Você pensou nisso quando se entregou?! Você pensou nisso quando beijou outra pessoa, você lembrou de mim quando estava nos braços dela?! Você lembrou?!

Vá embora, por favor. Já chorei tudo que tinha que chorar... Não encoste, eu imploro, levante-se! Não, já disse para não me tocar.
Não adianta dizer que vai sentir minha falta, não acredito em nada do que diz, quem mente uma vez vai mentir sempre, você jogou fora nossa vida juntos!
...

(lágrimas, soluços, lágrimas).

Me solte, não quero mais seus beijos! Vá embora, eu já disse!

...
 
Dura? Sem coração? Má? Essa sou eu? É assim que você me vê agora?

Poupe-me, estou agindo certo te tirando da minha vida. Traição não tem perdão, se aconteceu é por que você não me amava mais... Não me diga que foi coisa de momento, se rolou é por que você desejava isso. Vai viver com ela agora, ela deve ter te deixado feliz. 
Está satisfeito? Era isso que você queria?.

Eu não te quero mais! Estou te apagando agora da minha vida, depois que sair por aquela porta não tem mais volta, acabou para sempre.

Vou precisar te expulsar? Saia daqui, desapareça, não suporto nem sentir seu cheiro, vá embora, agora...

(A porta bate com um estrondo).

De um lado, silêncio... Lágrimas... Desolação...

 Do outro... 












29 comentários:

  1. Leninha, seus contos são sempre tão recheados de sentimentos! É incrível - eu sempre me sinto arrepiada ao lê-los.
    Dessa vez, apesar de não estar escrito, eu posso escutar o marido dando suas desculpas, tentando convencer a mulher.


    Eu confesso que em alguns momentos fiquei com pena do cara... mas acho que no fundo ela está certa!


    Enfim, parabéns pelo conto e não deixe de escrevê-los!

    ResponderExcluir
  2. 1-você deve ter assistido muita novela mexicana.
    2- AH SIM! Agora sei porque você curte tanto drama. Nem nos contos você deixa de ser dramática. rs
    3-Cadê a foto da joelhada no saco que você tava me pedindo hoje cedo no Twitter? Eu muito teria chutado esse patife no meio das... *cof-cof* berinjelas dele. Ou tocado o dito com uma vassoura. #violenta

    ResponderExcluir
  3. Lilian, vou te contar um segredo...
    O conto foi inspirado numa música latina, bem versão novela mexicana, kkkk
    Adoro drama mesmo, gosto do que mexe comigo, que me dilacera, então... Não poderia escrever nada menos que um grande drama, kkk

    Ah, quanto a joelhada, achei melhor deixar na imaginação, kkk

    ResponderExcluir
  4. EU SABIA! SABIA! Tinha que ter um latin lover inspirando esse conto.

    Poxa, decepcionei. Entrei aqui esperando a joelhada no saco. *mentira*
    2012/6/13 Disqus

    ResponderExcluir
  5. Agradeço o help Nanie, e olha... A ideia do diálogo foi o que quis passar realmente, acho que consegui né?!
    Deixa comigo, não pretendo parar de escrever, até porque às vezes ouvindo uma música, vendo um filme a inspiração brota e as palavras quase pulam da minha cabeça, se não escrever acho que morro!
    Beijo grande!

    ResponderExcluir
  6. Oi Lena!

    Menina, está inspirada no drama, hein? kkkk

    Eu concordo com a Lil, eu teria dado uma bela joelhada kkkkkk

    Bjs!

    ResponderExcluir
  7. Sempre inspirada no drama, kkk
    Eita meninas bravas, joelhada neles, kkkkk

    ResponderExcluir
  8. Leninha,

    Nossa, uma mulher tem vontade de matar e morrer numa situação dessas, né?
    Vc pediu uma análise, então vamos lá! Sem dúvida sua veia é o drama, com um tom antigo de colocar as palavras e os sentimentos, não que antigo seja ruim gosto muito. O texto me transportou para um romance de época, na minha imaginação o cenário seria século XIX e os personagens estilo Senhora de Machado de Assis.
    Acho que se quisesse ampliar a história num contexto de época ficaria excelente!
    Parabéns!
    Bjks,
    Maribell
    PS: Espero que eu não tenha escorregado muito na maionese na análise, rsrs...

    ResponderExcluir
  9. Com certeza o drama é que me faz feliz...
    Adoro quando o que escrevo faz a pessoa viajar, mesmo qeu seja para uma outra época, onde o texto se encaixaria melhor.

    Vou pensar seriamente na sua dica sobre o contexto histórico, e olha, faz muito sentido com meu gosto.

    Adorei sua opinião, volte sempre Marilbell!

    ResponderExcluir
  10. Ai Leninha!!!
    Como você é! Eu estava totalmente do lado dela o tempo todo! Ai você vem e coloca essa ultima imagem do pobre sentado desolado do lado de fora, mesmo sabendo o quando ele errou fiquei com pena!!!
    Lindo como sempre o seu conto, você tem o dom garota! Tem que correr atras de fazer um livro de contos, para deixar todas nós orgulhosas por participar disso com você!
    Adorei!

    ResponderExcluir
  11. Essa foto entrou mesmo para podermos ver o outro lado... Matei né? kkkk

    Obrigada por suas palavras, quem sabe eu resolva escrever mesmo, pode deixar que a dedicatória e agradecimento vão ocupar pelo menos 3 páginas, kkk

    ResponderExcluir
  12. Leninha!!

    Parabéns pelo seu dom! Escreva, continue escrevendo, faz bem pra alma :D
    Quanto à última foto .... Achei foi muito bem feito pra ele hahaha *risada maligna* rsrs


    Bjosss

    ResponderExcluir
  13. Adorei a risada, kkkk
    Obrigada pelas palavras, vou continuar escrevendo sim, sempre...

    ResponderExcluir
  14. Adorei Le... Eu não ia ler agora, mas comecei e não consegui parar. É um texto intenso e no momento de raiva vc não quer saber de nada. Eu teria as mesmas atitudes que ela.... E acho que mesmo depois. Sou escorpiana e sou dura, mesmo sofrendo e querendo de volta, eu não volto atrás. Adorei de verdade! Parabéns amiga pelo texto!

    ResponderExcluir
  15. Do outro? (#curiosamodeon)

    Uau, isso que é mulher de atitude :(

    Ótimo conto.

    Bjss

    ResponderExcluir
  16. Que bom que você gostou Ni!
    Na hora da raiva tenho até medo de mim, mas no caso de uma traição, só mesmo estando na pele para sentir.
    Não quero passar por isso, não quero sentir essa emoção, coitado de quem estiver na minha frente, kkk

    ResponderExcluir
  17. Disfarça, agora que percebi ser um homem e não ela.

    Em 13 de junho de 2012 14:31, Disqus escreveu:

    ResponderExcluir
  18. Oi, Leninha.

    Você sabe como me senti lendo esse conto ontem em primeira mão.
    Você me deixou com o coração no mão. [risos].
    Você sempre arrasa, até mesmo na escolha das imagens que diz mais do que mil palavras.
    Continue assim que você vai longe e sabe que sou sua fã número 1.
    Bjs.

    ResponderExcluir
  19. Obrigada Carlinha, você sabe que mora no meu coração não é?!
    Sua opinião sempre em primeira mão me deixa sempre animada em escrever, mais e mais...

    Obrigada Fãzonha, beijão!

    ResponderExcluir
  20. Definitivamente sem perdão. Concordo com vc rsrsrs
    Amiga, adorei o conto. Explosivo, quase visceral de tão emocionado :-)

    ResponderExcluir
  21. Que bom que você gostou Luka!
    Bom ver você aqui, tava com saudade!
    Beijão!

    ResponderExcluir
  22. Uau! Una chica muy furiosa jorrando um monólogo desesperado e aflito. Leninha e sua verve dramática. Dessa vez, pegou fogo!...rs Gostei da junção do texto escrito e do texto visual. Boa ideia! Ah, sou fã da música latina, acho-as incrivelmente passionais, tal como o conto. Para o próximo conto, sugiro um fado....hehehe

    Parabéns, amore!

    ResponderExcluir
  23. Acho intrigante como os melhores contos são sempre aqueles que contém uma emoção desesperada.
    Beijos :)

    ResponderExcluir
  24. Nunca tentei ouvir um fado para ver se me inspiro, mas vou tentar...
    Adoro saber sua opinião sobre o que escrevo Vivi, obrigada por sempre vir aqui e comentar.
    Beijo grande!

    ResponderExcluir
  25. Lena, as vezes fico pensando de onde vc tira inspiração para escrever esses contos... hahaha


    Qualquer dia recebo a noticia que vc decidiu escrever um livro, eu ia amar.


    Beijos

    ResponderExcluir
  26. Nem eu sei Ju, nem eu sei!

    Não se surpreenda se esse dia chegar mais rápido do que vc imagina.
    Leninha divagando...

    ResponderExcluir
  27. Nossa isso foi intenso demais. Foi uma boa representação da fúria que sentimos ao sermos traídas e enganadas por mentiras e atitudes traiçoeiras. Já pensou em escrever uma fanfic? Vc iria se divertir muito.


    bjs no core

    ResponderExcluir

Seu comentário é sempre bem-vindo e lembre-se, todos são respondidos.
Portanto volte ao post para conferir ou clique na opção "Notifique-me" e receba por email.
Obrigada!

Editoras Parceiras

Postagens Recentes

Visualizações

Últimos Comentários

Lançamentos