Nova colunista do Sempre Romântica!

É com imenso prazer que venho hoje apresentar a nova colunista do Sempre Romântica. Ela já é uma "velha" conhecida de vocês por que é minha parceira na coluna "Sessão da Tarde", mas como o próprio nome da coluna já diz, esse será um cantinho onde ela vai abrir seu coração. Mas espera, melhor ela se apresentar...

Com vocês: Vivi Lima


Aqui estou eu, a convite da Leninha para ser uma das colunistas do blog Sempre Romântica e, sabem do que mais?, sem a menor ideia do que fazer. 

A princípio, Leninha sugeriu que eu trouxesse as resenhas do Romance Gracinha pra cá. Para quem não sabe, Romance Gracinha (RG) foi, por durante três anos, o blog literário onde eu postava assuntos sobre literatura romântica. De início, acatei a ideia. Ora, porque não alimentar a sessão com produções prontas do RG? No entanto, a sedução do menor esforço não levou a melhor nessa. Relendo as resenhas, percebi que não me sinto mais representada nelas.

Ainda que sejam resenhas de minha autoria, e não as renego, não deixam de ser coisas passadas. Elas, assim como o próprio RG, fazem parte de um passado que respeito; cujas lembranças guardo com carinho, mas o tempo é sábio e, inúmeras vezes, tem me mostrado que nem sempre sou da minha mesma opinião. Sou assim mesmo: feita de circunstâncias. Sempre testando hipóteses. O que é extremamente libertador uma vez que, desse modo, sinto-me mais à vontade para fechar os ciclos e seguir em frente.  Valendo-me dessa "filosofia", não descarto o uso dessas resenhas aqui no blog da Leninha, desde que eu possa contextualizá-las à edição atualizada e revisada de mim mesma. Se isso acontecer, irei publicá-las novamente.

Isso posto, o dilema continua.  O que publicar na coluna em questão?

Sendo franca, não quero que as resenhas, novas ou velhas, sejam o carro-chefe da coluna. Tenho um blog que me faz feliz, onde também continuo escrevendo as minhas opiniões de leitura a modo lentíssimo. Não as arranco a fórceps como antes fazia. Finda a leitura, simplesmente me dou ao direito de não achar nada. Suspendo o juízo, dando tempo ao tempo, até que a interpretação surja em um momento oportuno. Se couber uma resenha, bem. Se não der, amém. 

Transportadas para a lógica comum aos blogs, essa dinâmica é totalmente contraproducente. Só cabe perfeitamente à minha agenda pessoal que se pauta por um ritmo cuja palavra de ordem é “relaxe"! O post desatualiza, mas a ideia fica.  Para vocês terem uma noção de como é isso na prática, as pouquíssimas resenhas que publico são retomadas constantemente para acréscimos, supressões e substituições. Não as tomo como prontas para um post fixo e delimitado, por exemplo. Talvez porque não ceda mais às pressões das atualizações periódicas. 

Nesse sentido, sempre achei ingrata a tarefa de quem bloga. Textos que levam dias para serem escritos são engavetados em arquivos digitais em menos de 24 horas. A memória digital pode ser cruel.  Porque não há tempo para que se alcance a compreensão do que foi lido. Tudo é mal transferido para o próximo clique. Essa atmosfera é tão contrária à leitura. Digo isso porque sou uma heavy user do hipertexto, das leituras erráticas entre uma multidão de abas abertas. Então, não nasceu hoje a compreensão de que a leitura feita com base nesse tipo de ansiedade  perde o fluxo.

Em mim, sobra a sensação de que algo está errado. Pois o que aprendi ao longo da vida, e sendo leitora desde cedo, é que a leitura é muito mais do que as paredes virtuais podem comportar. Basta calar a voz do mundo atribulado para a leitura mostrar o que é capaz de fazer em e para além de nós. No entanto, o que se vê muito por aí é a leitura sendo engessada, encantoada na rotina multitarefa do mundo digital e  do não digital. Isso mesmo. Afinal, quem nunca se pegou agindo no dia-a-dia off line como se estivesse abrindo um mar de abas simultaneamente?

E vou te contar, tudo isso tem se tornado um baita anticlímax para mim.

É preciso pausa, fôlego descansado, para a leitura fluir.

Vejam bem, eu não estou aqui levantando uma bandeira anti-resenhas, anti-blogs, e seja lá o que for. Nada disso. Estou compartilhando a minha experiência pessoal que, por isso mesmo, não é o monopólio da verdade. Estou apenas justificando a minha escolha por um “blogar” que leve em consideração o contexto físico e emocional em que me encontro. Do tipo sem pressão, principalmente da minha parte.

Sendo assim, vou tocar a coluna falando das coisas que ando vendo, ouvindo, sentindo e vivendo. Tudo dentro do contexto da matéria literária, mas sempre seguindo a cartilha do tipo sem pressão, principalmente da minha parte (momento bis). Estejam à vontade para trocar um dedinho de prosa comigo. Aceito sugestões de temas também. Se houver, dentre as sugestões, assuntos nos quais eu tenha algo a dizer, o post é garantido.

Sem mais, espero aprender muito por intermédio do convívio com vocês.

Até a próxima vez.


Por Vivi Lima, numa vibe muito mais aberta a ouvir do que falar.

 
Onde estou: 


21 comentários:

  1. Passando rapidinho, pois estou de saída. Adorei participar.  Obrigada por ceder espaço aos meus palavrórios e divagações, Leninha. Beijocas!

    ResponderExcluir
  2. Bem-vinda Vivi!

    Traga bons temas para a gente debater.

    bjokas

    ResponderExcluir
  3. Obrigada, Tonks! Espero trazer coisas que nos façam refletir. Nesse texto mesmo, já coloquei alguns insights interessantes para discussão. ;)

    ResponderExcluir
  4. Arrasem, girls! E vamos em frente, SEMPRE!

    ResponderExcluir
  5. Seja bem-vinda, Vivi! Vou aguardar os próximos posts!

    Beijos, Nanie - Nanie's  World

    ResponderExcluir
  6. Seja bem vinda nessa coluna especial Vivi!

    Bjokas

    ResponderExcluir
  7. Oi Vivi, seje muito bem vinda, adoro novidades sempre , beijinhos.

    ResponderExcluir
  8. Demorei mas cheguei! rs
    Adorei a novidade Vivi! Desejo-lhe muitas resenhas para discussão e reflexão.
    Bom, vc sabe que sou sua fã né? Então, vou estar sempre que possível acompanhando a sua coluna no blog da querida Leninha que teve a excelente idéia em te chamar!
    Parabéns as duas!!!

    Beijos

    ResponderExcluir
  9. Lili, querida, obrigada por sempre me acolher com carinho. Suas palavras sempre me servem como incentivo. ;)

    ResponderExcluir
  10. Imagina amiga. Precisamos de alguém assim como você na blogosfera literária. Sempre sincera, verdadeira, trazendo textos que incentiva ricas discussões e informação! Você fez muuuuuuuita falta!
    P.S só sinto não ter tido essa idéia da Leninha antes... hahaha
    Beijos

    ResponderExcluir
  11. seja bem-vinda, Vivi!!!

    ResponderExcluir
  12. Oi, Vivi.

    Seja bem-vinda! Será maravilhoso ter sua presença abrilhantando o cantinho tão especial da querida Leninha.

    Já conhecia seus textos do RG e, com sua sensibilidade, tenho certeza que trará muitas novidades e temas para debates e discussão, sempre com muita diplomacia e reflexão.

    Sucesso!

    Beijos.

    ResponderExcluir
  13. Maria Ester, muito obrigada, querida. :)

    ResponderExcluir
  14. Olá, Carla! Guardo as suas boas-vindas em meu coração. Obrigada, querida. :)

    ResponderExcluir

Seu comentário é sempre bem-vindo e lembre-se, todos são respondidos.
Portanto volte ao post para conferir ou clique na opção "Notifique-me" e receba por email.
Obrigada!

Editoras Parceiras

Postagens Recentes

Visualizações

Últimos Comentários

Lançamentos