Conto: Foi Culpa do Amor

Sentada, olhando essas paredes brancas fico tentando lembrar como vim parar aqui, sei que não foi por livre e espontânea vontade, fui forçada a me excluir da sociedade...
De mãos e pernas atadas tento tapar os ouvidos dos gritos que vêm do corredor, gritos que eu mesma já dei por diversas vezes sem ninguém para ouvir.

Aqui nesse espaço sem janelas só a loucura me acompanha. Se eu conseguisse alcançar meus pulsos daria fim à minha angústia.
Então volto a pensar nos motivos que me trouxeram a esse lugar.

Dizem que foi o “Amor”, o desvairado amor que senti que me levou às portas da insanidade, a mergulhar nesse abismo sem fim, mas acredito que foram as tentativas de tirar a minha vida que me colocaram aqui.
O amor foi um dos motivos, um amor sem dosagem certa, alimentado com muitas sensações conflitantes, iludido com promessas vãs. Agora me vejo aqui, sem amor, família, amigos, só, entre quatro paredes e nenhuma janela.

Durante o tempo que me encontro aqui o amor nunca me visitou, nenhuma palavra chegou até mim, apenas horas de silêncio e dor.

Ninguém conversa comigo, passo horas sentada olhando um estranho que me obriga a falar, a me abrir, contar o que se passa em meu íntimo. Mas não quero falar com um estranho, queria falar com aquele que me fez vir parar aqui. Aquele que ocupa meus pensamentos, que me fez enlouquecer, que fez com que eu praticasse atos improváveis, que me fez amar de tal maneira que não fui capaz de suportar a perda.

Tento ver minhas mãos agora sem unhas, eu as arranquei com os dentes num de meus acessos de raiva. Lembro-me de mim antes do amor.

Eu era uma garota comum que sentia tudo intensamente, acho que desde sempre fui assim, me entregava sem reservas a todo e qualquer sentimento, os bons e os ruins também.

É minha culpa eu estar aqui, sozinha nessa sala sem móveis, somente uma cama para deitar. Tudo me foi tirado, qualquer objeto que eu pudesse usar para atentar contra minha vida novamente, sem janelas para poder olhar o horizonte. Mas também foi culpa do amor, aquele sem medidas e sem limites, destrutivo, aniquilador, pungente, que tomou conta de mim, me cegando para a vida.

Queria poder alcançar meus pulsos para acabar com meu sofrimento, mas estou presa, abraçada a meu corpo, olhando o vazio ao redor. Do passado só lembranças, na alma a tristeza e de você "Amor", nem uma visita.

Ouço gritos estridentes, mas agora eles são os meus...


50 comentários:

  1. Ai, Leninha, que angustiante!!!! Adorei.

    ResponderExcluir
  2. Amiga!

    Arrepiei toda agora. Ficou maravilhoso seu conto. Mas não quero amar nunca mais... vai q meus parafusos se soltam todos. rsrs

    ResponderExcluir
  3.  Esse angustiante é do verbo Gostei?!
    Obrigada pela visita Aline, bj!

    ResponderExcluir
  4. Uia! Muito legal e super sombrio.
    bjokas

    ResponderExcluir
  5.  Opa, não quero que você pense assim, amar é bom, essa ai é que é louca, kkkkk
    Adorei causar arrepios, bom sinal!
    Beijinhos!

    ResponderExcluir
  6. Gisele Carvalho Lopes9 de fevereiro de 2012 10:21

     fiquei angustiada

    ResponderExcluir
  7.  Esse angustiada é sinônimo de "Gostei"? kkkkk
    Estou adorando as reações que meu conto está causando nas amigas!

    ResponderExcluir
  8. Ai Lena fiquei sem fôlego agora... A forma como você escreve faz com que eu esteja dentro do corpo daquela mulher sentindo tudo o que ela sente.... é de arrepiar... Gostei...

    ResponderExcluir
  9. Nossa Lena...arrepiei...eu adoro histórias tristes,principalmente porque é depois desse tipo de leitura que eu paro pra analisar a minha vida e agradecer tudo o que me acontece,as coisas boas e as ruins. Amar é uma coisa muito boa,somos nós que complicamos,nosso egoísmo,imaturidade e outras cositas.

    bj

    ResponderExcluir
  10.  Vindo de você é mais que um elogio, foi bom tirar seu fôlego amiga!
    beijão to tamanho do mundo!

    ResponderExcluir
  11.  Que bom que você consegue tirar sempre algo de bom das coisas tristes, sou igual a você, acho que tudo tem um propósito.
    Adorei sua visita, volte sempre!

    ResponderExcluir
  12. Unhas arrancadas me dão uma agonia IMENSA... quase paro de ler.. mas terminei em consideração a você.
    E o amor... amor mesmo não causa essas coisas não... é o que acho... (por Carol)

    ResponderExcluir
  13.  Que bom que você terminou a leitura, sempre prezo sua opinião Carol.
    Beijinhos!

    ResponderExcluir
  14. Eu já tinha lhe dito que achei esse conto muito perverso, mas como sempre muito bem escrito.

    Fiquei super agoniada com a história e morrendo de pena da personagem, tomara que ela melhore.

    Torcendo para que o próximo conto seja mais feliz.

    Beijos

    ResponderExcluir
  15. "Do passado só lembranças, na alma a tristeza e de você "Amor",
    nem uma visita."Que triste! Gostei do conto :)

    ResponderExcluir
  16.  Parece que os contos felizes não causam o mesmo impacto que o tristes, mas vou pensar em algo bem doce para o próximo conto.
    Adoro seus comentários, beijos doces e felizes.

    ResponderExcluir
  17.  Mas um sentimento: Tristeza!
    Conto angustiante, triste, agoniante, de causar arrepios e tirar o fôlego, ui to amando!

    Bj!

    ResponderExcluir
  18. Leninha, que coisa mais perturbadora, nossa, isto é amor ou já deixou de ser a muito tempo? Loucura,  o que leva uma pessoa a enlouquecer de verdade por conta de um amor? Como conviver com uma pessoa assim?Tenso, muito tenso, mas lindo!!!!

    Vanessa- Balaio

    ResponderExcluir
  19. Tenso e perturbador, adorei! kkkkk
    Adorei a visita e claro, sua opinião!

    ResponderExcluir
  20. Leninha, como sempre seu conto consegue me arrepiar ><

    Beijos, Nanie - Nanie's World

    ResponderExcluir
  21.  Consegui arrepiar a  Nanie, adorei!

    ResponderExcluir
  22. Oi, Leninha.

    Que conto foi esse, hein?!

    Fiquei penalizada pela personagem, porque sempre torço por um final feliz.

    Me lembrou daqueles filmes sombrios e de suspense! [risos].

    Apesar de angustiante, você sempre me cativa e me emociona com cada um deles.

    Não sei de onde você busca tanta inspiração, porque cada vez me surpreendo mais com o seu talento para a escrita.

    Te digo e repito, você vai longe!

    Beijos.

    ResponderExcluir
  23.  Obrigada amiga pelo carinho. Olha às vezes até eu me pergunto onde acho inspiração, todos os contos que escrevi sairam de uma vez só, de onde vem é outro assunto, kkk

    Quem sabe um dia com o incentivo de vcs eu tente escrever na real!
    Beijos com finais felizes para vc!

    ResponderExcluir
  24. Ei Leninha!
    Adoro seus contos (tem tempo que não leio um. rs). É triste e belo de se ler. As "tragedias" sempre marcam mais né?
    Parabéns!

    Beijos *.*

    ResponderExcluir
  25. Ei, Leninha, adorei o conto! Não dá para usar outra palavra para descrevê-lo: Angustiante! (Do verbo mais-que-goste-adorei!, ok? rsrsrsrsrs) Parabéns!

    ResponderExcluir
  26.  Obrigada querida, com certeza as tragédias marcam mais.
    Que bom que você curtiu, volte sempre!

    ResponderExcluir
  27.  Obrigada querida, eu que adorei sua visita, tava com saudades!

    ResponderExcluir
  28. Que forte Leninha....  Gostei.  Forte + intenso. 

    Bjs,

    ResponderExcluir
  29. Nossa, nesse você pegou pesado, Leninha! Gostei. Nem tudo é romance, né? Foi bem forte e intenso. Perturbador, eu diria. 

    E pensar que confundem tantos sentimentos com amor na vida real...

    ResponderExcluir
  30. Mais um conto muito especial da nossa querida Leni.
    Só posso dizer que já senti algumas dessas coisas, essa dor imensa e angustiante que parece que vai sufocar, que faz com quê tenhamos vontade de acabar com tudo, mas aí paro hoje e me pergunto: Será que realmente foi amor?
    Será que o amor faz isso com a gente? nos destrói a esse ponto? Isso é amor!? NÃO ACHO.
    Ao ponto de não querermos viver!?? E onde fica o nosso amor por nós mesmas!?? Ela tem de vir em primeiro lugar, não acredito que se possa amar aos outros sem amar a si mesma primeiro.

    Seu post foi como uma luz Leni, para avaliar um pouco as situações da vida.

    Bjs!

    Faby - Blog Adoro Romances de Aracaju

    ResponderExcluir
  31. Gostei bastante. Bem forte e intenso. Muito bom! 

    Bjos!

    ResponderExcluir
  32. E não é que dizem que o amor é forma mais elevada de loucura? Leninha, uma das coisas boas que percebi ao ler o texto é que vc não tem medo de se arriscar e de buscar inspiração nos recônditos mais medonhos e perturbadores da experiência humana.  Faça disso a sua matéria-prima, garota. Muito  bacana!

    ResponderExcluir
  33. Ehhh Lena!

    Sempre arrebentando nos contos!

    Bjs

    ResponderExcluir
  34.  Que bom que você gostou!
    Beijinhos e apareça mais por aqui!

    ResponderExcluir
  35.  Verdade, muitos vivem intensamente qualquer sentimento e mascaram com os nomes que melhor lhes convém, será amor, obsessão?! Só mesmo quem sente pode dizer.
    Bom ver você por aqui, volte sempre!

    ResponderExcluir
  36.  Que bom que você gostou Thaís, bom ver você aqui no blog, volte sempre!

    ResponderExcluir
  37.  Adorei suas palavras, nem tudo na vida é romance mesmo, como disse a Lilian abaixo, então por que não ousar num lado existente em tantos por ai, não é?!
    Concordo que o amor é uma das formas mais elevadas de loucura, por ele pessoas são capazes de tudo, matar ou morrer, quer coisa mais louca?

    Você sabe que sua opinião é muito importante né amiga?!

    Beijão no coração!

    ResponderExcluir
  38. Né Vivi? Adoro quando alguém arrisca novos voos na escrita. Leninha mandou benzaço. 

    ResponderExcluir
  39. Que história triste,o amor não pode fazer o mal,só o bem.

    E nós conhecemos, e cremos no amor que Deus nos tem. Deus é amor; e quem está em amor está em Deus, e Deus nele.1 João 4:16 

    Bjs
    Luciane Oppelt

    ResponderExcluir
  40. Ok, ok... rolou uma loucura básica, no mais sombrio da alma dessa pessoa aí. Adorei o conto e quase surtei por aqui!!!

    ResponderExcluir
  41.  Que bom que você gostou Vanessa, vindo de você é mais que um elogio.
    Beijinhos e volte sempre!

    ResponderExcluir
  42. Profundo, Leninha! Gostei bastante. Interessante pensar no estado que a garota chegou.Mas eu não acredito que foi o AMOR q a deixou neste estado e sim a falta de...
    O tal sujeito pode ter descontrolado a cabeça dela, mas falou o amor próprio, faltou o amor de amigo e o amor familiar para segurar a sua angústia, não acha?! rs

    Beijinhos,

    Carol*

    ResponderExcluir
  43.  Quem compreende a mente humana, não é verdade?!

    ResponderExcluir
  44. eu amo muito o meu marido tem hora que eu acho que vou acabar assim de tanto que eu amo ele

    ResponderExcluir
  45. eu amo muito o meu marido tem hora que eu acho que vou acabar assim de tanto que eu amo ele

    ResponderExcluir
  46. Intenso e instigante. Lindooooo. Parabéns!

    ResponderExcluir
  47. Intenso e instigante. Lindooooo. Parabéns!

    ResponderExcluir
  48. Melhor que eu já li, você começa e não consegue parar, muito bom!

    ResponderExcluir

Seu comentário é sempre bem-vindo e lembre-se, todos são respondidos.
Portanto volte ao post para conferir ou clique na opção "Notifique-me" e receba por email.
Obrigada!

Editoras Parceiras

Postagens Recentes

Visualizações

Últimos Comentários

Lançamentos