Enigma - Gacy Simas

Paula e Rute são muito amigas, resolvem tirar suas férias no mesmo período e passá-las numa pequena cidade do interior. No velho e misterioso casarão onde ficam, a uns quilômetros da cidade, recebem a visita de dois desconhecidos: Filipe e Melissa. Com o desenrolar dos acontecimentos descobrem que os visitantes não são tão desconhecidos como pareciam.

Paula e Rute são pessoas diferentes, tanto no aspecto físico como na personalidade. Paula é cética e Rute sensível ao que se passa a seu redor.
Durante uma viagem de férias as duas se veem às voltas com um mistério. Numa casa antiga encontram um relógio antigo e parado. Rute não gosta de mexer no que está quieto e no que não conhece, já Paula não suporta ver aquele relógio lindo e misterioso sem funcionar. Ao tentar consertá-lo algo acontece.
À sua porta um casal de irmãos pede hospedagem, uma aura de mistério paira sobre eles, evocando descobertas surpreendentes.

Um livrinho super leve com apenas 80 páginas, mas que passa uma história meiga e singela.
Duas amigas tão incomuns que se veem de repente sugadas por um turbilhão de acontecimentos não tão fáceis de acreditar.

Gacy Simas consegue passar em poucas páginas uma história completa. Consegui sentir o ambiente, os cheiros, as emoções.
De forma clara e sucinta temos um livro agradável e super fácil de ler, com um toque de poesia e encanto.
Como conheço a autora Gacy Simas pessoalmente, pude sentir seu toque pessoal na delicadeza das palavras e seu tom poético na narrativa.
Um primor de livro, que só peca em alguns errinhos de revisão, mas nada que atrapalhe a leitura.

Dos pequenos poemas que encontramos no livro um consegue passar o que o livro traz de melhor.
Nas linhas do tempo

Como vento 
                                   que sopra,
como folhas
                                        que partem, 
como pedras 
                                          que esbarram
nas linhas do tempo.
      nossos destinos seguem.

Por ignorância
                                             ou proteção, 
o Mestre maior determina
                                             (visão presente):
o que fomos
                                     e seremos
depende do agora.

Nesse ritmo, 
                                                           desenrolam-se vidas
no grande tapete, 
                                                    no horizonte do tempo!
Recomendo!

5 comentários:

  1. Eu pensei numa hipótese para esses dois desconhecidos... Agora quero ler para ter certeza!Adorei a dica, Lena!
    Parece uma historinha meiga, singela, mas repleta de beleza e significado!
    Bjus,
    Náh

    ResponderExcluir
  2. Oi, Lena!

    Amei o poema que você colocou no post! Deixou a resenha delicada, fofa, parabéns!

    Bjs

    ResponderExcluir
  3. Oi Leninha!
    O livro parece ser bem interesante. Fiquei curiosa.
    BJs

    ResponderExcluir
  4. Ai, que delícia de resenha! Adoro livros curtinhos assim que conseguem passar coisas tão boas para a gente! Parece excelente =D

    ResponderExcluir
  5. Curiosa!
    O problema de ler suas resenhas é que elas sempre me deixam curiosa huahauhauha

    ResponderExcluir

Seu comentário é sempre bem-vindo e lembre-se, todos são respondidos.
Portanto volte ao post para conferir ou clique na opção "Notifique-me" e receba por email.
Obrigada!

Editoras Parceiras

Postagens Recentes

Visualizações

Últimos Comentários

Lançamentos