Conto: Verdades


Já são 2 horas da manhã quando ele chega, percebo seus passos pela casa, viro na cama e volto a dormir. Mas alguma coisa está diferente, sinto um perfume diferente no ar, um cheiro de bebida... Sei que é normal que ele tome uma dose às vezes, mas estranho o fato de que ele ao tomar banho se deita na cama gelado e com os cabelos secos, isso nunca aconteceu...
Pergunto onde ele esteve e ele se contradiz, três respostas diferentes e nenhuma eu sinto ser verdadeira, ele veio banhado da rua e isso só tem uma explicação...
Minha vontade é gritar, acordar os vizinhos, pedir explicações, mas na minha inércia apenas me viro na cama remoendo uma angústia enorme.
Vejo as horas passarem, minha cabeça é um poço sem fundo de dúvidas, suposições, verdades.

Desde sempre fomos perfeitos um para o outro, seguimos nossas vidas sempre numa linha reta, sempre um apoiando o outro, mas de uns tempos para cá sinto que nossas linhas se afastaram, você criou um mundo onde não me cabe, tem seus compromissos, seus amigos, seu trabalho e eu fico sempre aqui, vivendo minha vida em prol da família, minhas novidades não te interessam, seus problemas e seus desabafos eu sou a única que ouve, parece que para isso eu ainda sirvo, pelo menos.


Sinto um aperto enorme no peito e um nó na garganta, e sei que não tenho ninguém para desabafar, até disso eu abro mão por você, de ter uma vida social mais ativa, não tenho amigos, vivo só, nessa minha vidinha.


Acho que chegamos num ponto onde nossas vidas têm que mudar, a minha pelo menos tem que tomar um rumo, você é e sempre foi minha razão de viver, mas sinto que posso ser substituída, que sou apenas a mulher que te espera em casa de braços abertos, quando na rua as mulheres são lindas, bem arrumadas, perfumadas, envolventes e sem compromisso.

Elas sempre vão estar lá para o homem que quiser tê-las, e pela maneira como você tem agido acho que já escolheu a sua. 
Não quero ser a vítima, até por que tenho minha parcela de culpa, quero apenas ser a que abriu os olhos e enxergou uma verdade que estava sempre lá na minha cara, e a vista de todos.
O sono não vem, consigo sentir em você um perfume que não foi o mesmo que você usou ao sair de manhã, seu sono é pesado, nem nota que eu não durmo você não me nota.
Não consigo nem mesmo chorar, acho que as lágrimas são apenas um escape, sei que essa dor é só minha, não quero que me vejam chorando. Você é o homem que amo, mas sinto que não sou mais o seu amor, você nem imagina o quanto dói isso, até por que você está alheio ao fato.

O dia amanhece devagarzinho, não consegui dormir, as obrigações de um novo dia me chamam, sei que ao acordar você vai vir me abraçar e tentar explicar o que aconteceu ontem a noite. Só me resta ouvir e tentar acreditar ou não.
Acho que dessa vez suas palavras doces, seus abraços não serão suficientes para me convencer.
As pequenas mentiras doem mais que as verdades atiradas  na nossa cara. 
Chega! Estou cansada.... Cansada das 'suas' mentiras, cansada de estar sempre aqui te esperando e acreditando em tudo, cansada da longa espera, cansada de tentar conversar e sentir você disperso, distante. Mas precisamos conversar sim, agora definitivamente!
 

22 comentários:

  1. As pequenas mentiras doem mais que as verdades atiradas na nossa cara. Menina adorei tudo que vc escreveu mais em especial esta frase!Onde vc acha tanta inspiracao eu quero kkkk.gostei mesmo

    ResponderExcluir
  2. Nossa amiga você me fez reviver sentimentos que estavam adormecidos a muito tempo..
    Impressionante a forma como você escreve... Você se vê dentro dele...
    Parabêns gostei muito!

    ResponderExcluir
  3. Nossa, Leninha... Você sempre escrevem histórias fortes assim...
    Adorei o conto, parabéns =D

    ResponderExcluir
  4. Leninha,

    mais um conto precioso pra encher de luz as nossas vidas.

    Tô vendo que nossa amiga vai chutar o pau da barraca hoje. Tudo isso com mta classe e educação.

    Quero um conto barraqueira viu? Estilo novela mexicana..risos...

    Que Deus te acompanhe sempre..

    Mais um conto que adorei...

    Bjos,

    ResponderExcluir
  5. Com mais esse já da pra montar e publicar um livro de Contos! Talento e carisma você já tem de sobra!
    Leninha faz uma capa para a capa do seu livro de Contos e coloca lá no skoob, tu deixa o link direto dos contos e quem se interessar pode ler, e nós amigos e seguidores faremos divulgações! pode ser uma boa, vai que alguém importante ler e gosta!
    kkkkkkk
    Adorei o Conto, como sempre foi lindo e emocionante!
    xeru!

    ResponderExcluir
  6. Oi Leninha, me pergunto como você consegue escrever assim.É muita emoção, é muita imaginação. Acredito que quando você está no ato da criação de seus contos você deva sofrer tudo isso. Pois eu que leu sofro, imagine você.
    Lindo, parabéns.
    Bju

    ResponderExcluir
  7. Sempre que você me diz que está escrevendo um conto, logo penso, Lá vai ela me emocionar novamente.

    Lena que pena que o amor as vezes mude, que aquilo que no inicio valia para os dois lados, simplesmente deixe de existir para um dos dois.

    Lindo seu conto e como sempre é um prazer lê-lo;

    Beijos

    ResponderExcluir
  8. Oi Leninha, Tudo bem?
    Quanto tempo que não passo aqui no blog, tbm 01 mês sem note x.x é tenso x.x

    Mas então, eu amei seu conto
    Confesso que fiquei arrepiada IUHSAIUHSUHSAUISA

    Lindo conto viu amada, vc escreve mto bem =)
    Adorei viu
    Parabéns flor

    Bjs

    Lu

    Bookaholic Fairy

    ResponderExcluir
  9. Oie Leninha!
    Gosto do drama que você põe nos seus contos!
    Afinal, nada na vida são apenas flores!
    Adorei!

    ResponderExcluir
  10. Muito legal!

    Gostei da temática e de como o texto foi desenvolvido.
    PARABÉNS!!!

    Beijinhos...
    www.viajenaleitura.com.br

    ResponderExcluir
  11. Olá, Flor. Seus textos são tocantes, sim. É bom vê-la se dedicando à escrita e compartilhando esse processo de aprendizado conosco. A temática dá mesmo pano pra manga. Um material e tanto para um romance. Parabéns, queridaça. Notei que no primeiro parágrafo, você começa o texto falando com leitor. No restante, o diálogo é transferido para os personagens. A narradora fala com ele e para ele. Pergunta: Foi intencional?

    Como sugestão, que tal deixar o texto mais sugestivo de modo que o leitor fique intrigado e se pergunte: Será que ele sabe que ela sabe? Deixe o leitor deduzir e tirar as suas conclusões. E nesse sentido, o texto ficaria melhor transposto para a terceira pessoa. O narrador imparcial deixa ao leitor a responsabilidade da escolha por um dos lados. Experimente ainda deixar as frases mais curtas. Opte sempre que possível, pelo ponto final. Receita infalível para dar ritmo ao texto. Você verá como texto ficará mais elegante. No quesito emoção, o texto está com tudo! E com muito boa prosa. Beijocas

    ResponderExcluir
  12. rapaz se fosse comigo,eu dava umas porradas nesse cabôco, onde já se viu chegar 2h da manhã, com cheiro de bebida. não dou pra ser amélia não.

    ResponderExcluir
  13. EI Lena, você já pode montar um livro memso de contos,
    seus contos estão cada dia melhores.
    Achei esse bem bonito. ^^

    beijos.

    ResponderExcluir
  14. Adorei. Sempre emocionante. E sempre termino com aquele gostinho de querer continuar a leitura para ver como vai acabar. Que tal uma segunda parte?

    bjokas

    ResponderExcluir
  15. Oi, Leninha.

    Adorei sua nova história, que mais uma vez teve o dom de emocionar-me.

    Por outro lado, a temática me fez lembrar de um personagem do livro "Questões do Coração". Quando le-lo, você saberá do que estou falando. :)

    Queria uma continuação.

    E reitero os que todos disseram acima.

    Que tal investir e publicar um livro com esses contos?! Seria maravilhoso que todos pudessem compartilhar desse seu momento escritora, uma das suas inúmeras facetas. :)

    Beijos.

    ResponderExcluir
  16. Olá Lena!


    Lindo mesmo! Envolvente e emocionante... Me fez lembrar de coisas não muito agradáveis... mas é muito lindo. Adorei!


    Bjs!

    ResponderExcluir
  17. Oi, Lena!

    Seus contos são maravilhosos!

    Adoro a emoção que transmitem! Parabéns!

    Bjs

    ResponderExcluir
  18. Credo, tá acontecendo exatamente isso com uma amiga muito querida. Direi a vc o que disse a ela: cata o cara de jeito e encosta na parede.
    Que dureza passar por isso... e vc escreve bem demais.

    Bjo

    ResponderExcluir
  19. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  20. Olá, Minha Querida!!!

    Escrever, escrever e escrever, essa é a única opção para quem quer desenvolver essa tal de "veia literária", que vc apresenta ter em seus contos. Acho que seus textos são muito bons, pois tocam o leitor, cativam. Não esqueça, porém, de deixar as frases mais curtas. Use mais do ponto-final ou mesmo do ponto-e-vírgula, para deixar o texto menos cansativo, mais fluído.

    Beijos.

    ResponderExcluir
  21. Oi! Hoje vim te convidar para conhecer uma campanha mega importante!
    Te espero no Caminhar: http://precisocaminhar.blogspot.com/2011/06/ela-doa-seu-amor-para-as-criancas.html

    Bj
    Beta

    ResponderExcluir
  22. Le,
    Quantas mulheres vivem assim né? Mas sabe concordo com a personagem está na hora de ver as verdades para depois não se arrepender e ser tarde.

    Adorei como sempre....Parabéns!!!!!

    Beijoaks elis!!!

    ResponderExcluir

Seu comentário é sempre bem-vindo e lembre-se, todos são respondidos.
Portanto volte ao post para conferir ou clique na opção "Notifique-me" e receba por email.
Obrigada!

Editoras Parceiras

Postagens Recentes

Visualizações

Últimos Comentários

Lançamentos