Conto: A Briga


Eu senti que dessa vez peguei pesado, sabia que tinha extrapolado, a discussão começou por um motivo simples, mas tomou proporções grandiosas, me vi gritando, falando coisas que guardava há tempos dentro de mim, acabei falando o que não quis, e senti que te magoei muito. A princípio você retrucou, mas logo em seguida ficou calado olhando para mim como se não me conhecesse, sua expressão passou de surpreso a perplexo.
 
Joguei coisas na sua cara que nem são de tudo verdade, disse que não me sentia feliz, que me sentia só, mesmo com você do meu lado, que meu desejo por você diminuiu, que às vezes não tenho nem mesmo vontade de te beijar, claro que esses momentos são aqueles onde a distância é quase palpável entre nós dois, mas a gente junto consegue superar.
 

Não consegui chorar, a raiva era maior, minha vontade era te colocar para baixo, te fazer se sentir igual como eu me sentia naquele momento, e acho que consegui.  Você apenas olhou para mim, abaixou os olhos e saiu.
Estranhei sua atitude por que sempre que brigamos você vai para o quarto, toma um banho, se deita e dorme e no dia seguinte resolvemos as coisas, mas agora aqui sozinha nessa casa enorme me sinto vazia e bastante preocupada.
Às vezes sei ser tão má, tão chata que nem mesmo me suporto, mas você sempre dá um jeito, me faz sorrir, você me acalma.


As horas estão passando e já consigo pensar com mais calma, magoei você isso é fato, e não faço nem ideia de como pedir desculpas, não sei por onde começar. Tenho que consertar as besteiras que eu disse, mas acho que mesmo assim, alguma coisa se quebrou e esse é meu maior medo... De que dessa vez você não me perdoe, que você me deixe, que você leve consigo meu coração.
A manhã se aproxima e nada de você voltar, meu coração parece uma pedra de gelo, não consigo coordenar meus pensamentos, minha respiração está pesada, sinto que alguma coisa aconteceu...
Escuto o barulho das chaves na porta, depois de algumas tentativas ela se abre, nem acredito no que meus olhos veem... Você está em pedaços, sujo, com o rosto machucado, é evidente que brigou, seus passos atrapalhados pela sala, um forte cheiro de bebida impregna o ambiente, corro em sua direção, mas você se esquiva, me afasta, continua caminhando aos tropeços em direção ao quarto, de repente se volta, olha em meus olhos e fala com a voz embargada pelo álcool:


-Você está conseguindo fazer o que ninguém no mundo seria capaz, me afastar de você!


Então segue para o quarto...


Sento-me na primeira cadeira que alcanço - meu corpo parece pesar uma tonelada - e faço a única coisa de que sou capaz de fazer nesse momento, chorar!
 

22 comentários:

  1. Como perguntei no MSN, porque vc escreve coisas tão tristes?? Aff

    Lena, achei lindo o conto, quantas vezes situações assim acontecem e nem mesmo nos damos conta, esquecemos o quanto as palavras são fortes.

    Espero que ela consiga pedir perdão e que ele aceite. Assim talvez o próximo conto seja mais feliz.

    Bjs

    ResponderExcluir
  2. Leninhaaaaaaaaaaaa, nossa você escreve muito bem!

    É triste, mas esse é o seu style. Conseguiu passar a emoção e você está de parabéns.

    bjokas

    ResponderExcluir
  3. Leninha,

    estou me tornando repetitiva..risos...

    Que conto heim? Quanta tristeza e realidade vc consegue transmitir.

    Até o cheiro da bebida consegui sentir.E estou com um aperto grande no coração. Imaginando se eles farão as pazes...risos

    Adorei....

    Parabéns...

    Bjos,

    ResponderExcluir
  4. NOssa que clima tenso leninhaaa
    Ameeeei pq vc conseguiu descrever exatamente como são as brigas entre um casal. É sempre carregado de acusações mentirosas sópra magoar o outro. Mt lindo, ameeei, parabéns! Está a cada semana melhor, Leninha!!!!
    beijosss

    ResponderExcluir
  5. Menina ja aconteceu quase assim comigo,neste conto vir minha vida passar.
    Adorei mesmo!!!!!

    ResponderExcluir
  6. Adorei como sempre, seus contos estão ficando cada vez mais lindos, cotinue assim trazendo pra gente contos maravilhosos como este!

    Tem que ter continuação! Please!!!!!!!!!

    kkkkkk

    xeru

    ResponderExcluir
  7. Lindo, Leninha! Tua escrita extravasa o conteúdo da alma mesmo. Por isso todo esse côro em uníssono de identificação. Tens muita matéria-prima confessional para burilar ainda, seja de ti, do outro e do mundo. Dedica-te a isso. No mais, desejo-lhe sucessos. E, como sempre, meus parabéns!

    Beijocas

    ResponderExcluir
  8. Quero receber direitos autorais...kkk
    O bom de brigar é a reconciliação, é bom demais..rs
    Adorei o conto..kk, lembra alguma coisa,,rs
    Bjos

    ResponderExcluir
  9. recebi esse conto de uma amiga minha e acredite
    adorei seu conto, vc consegui prender a atençao e nos deixou com expectativa de uma continuaçao
    obrigada pela leitura!!!!

    ResponderExcluir
  10. Nossa... q triste...

    http://conversandocomdragoes.blogspot.com/

    ResponderExcluir
  11. Ai amiga, triste e real!

    Não preciso comentar o que você já sabe...

    beijos

    ResponderExcluir
  12. Lindo texto, Leninha. Triste, mas lindo.
    Bjs
    Alê

    ResponderExcluir
  13. Caramba Leninha, que texto lindo e triste! Você escreve super bem, põe toda a emoção em suas palavras e por isso, quase me fez chorar.
    Parabéns por mais um conto. =)

    Bjus
    http://viciadospelaleitura.blogspot.com/

    ResponderExcluir
  14. Adorei seu conto, escreve muito bem mesmooooo :)

    bjsss

    ResponderExcluir
  15. Adorei Leninha! Um conto cheio de sentimentos, me emocionou viu! Bjo e parabéns!

    ResponderExcluir
  16. Nossa, adorei!!!
    Muito real, acho que é real!!!
    e agora? só resta chorar?
    Quantas emoções num só conto!
    Parabéns!!!!!
    Tenho vindo aqui nos últimos tempo e a cada visita me surpreendo. É um prazer estar aqui.
    Beijos

    ResponderExcluir
  17. Gostei, principalmente porque em certos momentos dá a impressão de ser uma carta que a narradora nos lê antes de entregá-la (ou não).

    ResponderExcluir
  18. Lindo conto, lena!
    Que lindo! Adorei! Apesar de muito triste...
    Você precisa escrever contos com finais felizes... Mas finais felizes não marcam a gente como contos como esse, né?
    Bjus,
    Náh

    ResponderExcluir
  19. Oi, Leninha.

    Como sempre você consegue tocar-nos de alguma forma, com seus contos tristes e, ao mesmo tempo, pungentes.

    Mas, como toda mulher, prefiro finais felizes! (risos).

    E esse terá uma continuação?

    Espero que sim!

    Continue assim, querida!

    Que você vai longe!

    Beijos.

    ResponderExcluir
  20. Nossa me surpreendo com cada conto que leio por aqui, pois é rela demais, e é isso que o torna tão interessante e único.Parabéns adorei....beijokas elis

    ResponderExcluir

Seu comentário é sempre bem-vindo e lembre-se, todos são respondidos.
Portanto volte ao post para conferir ou clique na opção "Notifique-me" e receba por email.
Obrigada!

Editoras Parceiras

Postagens Recentes

Visualizações

Últimos Comentários

Lançamentos