Divagações! Será que estou ficando Velha?!

Tem horas que fico pensando com meus miolos, acho que estou ficando velha!!!
 
Me sinto uma pessoa realizada, será que a vida poderia me dar mais, mais emoções boas, mais momentos inesquecíveis?!

Outro dia fui passear no centro da capital. Chegando lá na praça das fontes estavam tocando músicas lindas, nesse instante sentei abraçada ao meu marido e fui divagar, pensar no que eu tinha, nas minhas realizações...
Gente, como eu preciso de tão pouco para ser feliz, e mesmo assim me privo desses momentos mas, basta estar do lado de quem amo, ouvindo uma boa música, estar com saúde, para me sentir completa.
Mas ai me bate aquela sensação de que o tempo está passando, as pessoas estão evoluindo e eu estou aqui, ainda curtindo as coisas que passaram, mas convenhamos, não consigo me divertir como antes ouvindo músicas ruins. Seria pedir muito que os bares diversificassem?!
 
Sempre que saía a noite era a maior curtição, chegava sempre de manhã, e não era filho que me empatada de sair, sempre levei minha filha para bares, boates, shows, sempre achava um lugar vip para ficar com ela, mas hoje, a baixaria, a qualidade dos ambientes não propicia mais a mesma diversão, e nem falo da violência, essa nem ponho na mesa, por que podemos encontrá-la mesmo ficando em casa.
 
Ontem passei a tarde dançando, pensem o que quiser: 'Estou doida', mas me divertir dançando sozinha em casa, o Rock nacional anos 80 perturbou a vizinhança, mas não me importei, estava colocando para fora minhas frustrações, queria me divertir, e mesmo sozinha eu consegui.
 
É nessas horas que fico pensando no auge dos meus 37 anos (quase 38), acho que parei literalmente no tempo, ainda me sinto aquela mesma adolescente apaixonada, cheia de sonhos, porém mais madura consciente das coisas que fiz e que deixei de fazer.
E colocando na balança, não trocaria nenhum dia da minha vida por momentos juvenis, festas bobas, lugares quaisquer, sei ser seletiva, escolher bons lugares para passear, me sinto  as vezes 'culta' demais para ir a baladas de adolescentes, onde  rola (quase sempre), músicas de baixo calão, sertanejo universitário (que nem sei o que é realmente), música eletrônica, gente. Pára o mundo que quero descer!!!

Às vezes me perguntam o que vejo em ler?! Gente, ler para mim é mais que uma aventura, é viajar sem sair do conforto do meu sofá, é conhecer lugares que sei que nunca irei de verdade, é me distanciar um pouco dessa realidade cruel que fica do lado de fora da minha casa.


Então me pergunto, tanta violência, tanta coisa ruim acontecendo, tantas tragédias, e as pessoas ficam se preocupando no meu gosto por ficar em casa lendo?! Me poupem, me deixem viver por favor, sou mais ficar em casa, ouvindo boa música, lendo um bom livro do que correr o risco de sair e nunca mais poder fazer nada. Certo, estou sendo trágica, mas é essa realidade que nos espreita, prefiro não correr riscos desnecessários.

Ai volto ao ponto inicial, será que estou ficando velha?!
Será que ouvir músicas das décadas onde se tocavam boas músicas me torna menos sociável?!
Será que ler me torna reclusa?!
Ser seletiva nos lugares onde vou me torna metida?!
Que me desculpem quem curti as músicas do Vitor e Léo, Luan Santana, quem gosta de baladas eletrônicas, shows de rock pesado...
Eu prefiro mesmo um lugar tranquilo, um  som mais leve, músicas com boas letras, melodias suaves e apaixonadas. Prefiro devorar um bom livro do que me aventurar nas baladas onde a baixaria e vulgaridade correm soltas, posso estar sendo radical, ser muito antiquada mas essa sou eu, de forma clara e metódica.

Então tenho certeza, que apesar de saber que comentam que estou ficando velha, acho que qualidade ainda é uma coisa que devo manter na minha personalidade.
Sou assim, não quero e não pretendo mudar!

Foi ai que me veio uma ideia genial!!!
Vou organizar minha festa de aniversário, vou fazer uma super festa, onde vai rolar as minhas músicas, onde estarei rodeada de pessoas que viveram comigo as boas músicas, vou me divertir ao lado de quem tem os mesmos valores, as mesmas questões na cabeça.
Vai ser um dia especial, regado com boa comida, boas conversas e ótimas lembranças. (Se você é uma dessas pessoas que concordam comigo, sinta-se convidado)

Se estou ficando velha?!
Sim, acho que estou sim, mas graças a Deus vivi o melhor da música, vivi o melhor das amizades verdadeiras, vivi e ainda vivo, um pouco do passado, mesclando o que de bom ainda se pode achar nos dias de hoje!

Sou feliz assim, e não vou mudar!

27 comentários:

  1. Lena, idade é algo tão relativo. Acredito que além do corpo ou mesmo dos anos que vivemos somos pessoas que gostam não do que está na moda e sim daquilo que nos faz bem.

    Não se preocupe com os que os outros pesam e sim com aquilo te deixa feliz. Seja dançar sozinha em casa, seja passar o dia lendo, seja ficar com amigos ou mesmo só com a família.

    Eu adoro meus momentos sozinha, como também adoro os momentos que encontro pessoas que me fazem bem, aquelas que sabem como penso e me respeitam por isso.

    Hoje o mundo valoriza coisas supérfluas e quando diferimos do Geral somos consideradas pessoas "estranhas".

    Sou feliz do meu jeito e não vou mudar pelos outros, seja feliz do seu jeito e deixe que o mundo a conheça assim.

    Saiba que te adoro exatamente como você é.

    Amo muito tu.

    Beijos

    ResponderExcluir
  2. Então se sentir isso é se sentir velha, já envelheci faz tempo...rs
    Bjos

    ResponderExcluir
  3. Acredito que está mais que certa!Faça sua festa, divirta-se com sua família, com as coisas que gosta. Não ligue para os que não compreendem porque viajamos tanto nos livros, apenas quem lê entende...Quanto a esse sentimento, de deslocamento, de distanciamento para com as outras pessoas isso não é coisa de idade, mas diferença de valores, de pensamento...
    Às vezes, também penso que estou ficando velha, mas acredito que quanto mais lemos, mais conhecemos sobre nós mesmos e sobre o mundo em que vivemos e isso nos distancia daqueles que desconhecem e por isso mesmo não valorizam tanto suas vidas...Divertem-se apenas quando a arriscam...
    kisses

    ResponderExcluir
  4. Oi Leninha!
    Velha nada! Eu tbm sou assim,mais reclusa e seletiva, faz parte do crescimento como pessoa. Tenho amigas com a minha idade que continuam querendo viver como adolescentes. Todo mundo acha patético esse comportamento.
    Aí ficamos pensando: Se sou reclusa e exigente...me acham velha e anti-social. Se sou extrovertida e gosto de balada...me acham patética.
    Quer saber? Faça o que lhe dê prazer.
    Bjs

    ResponderExcluir
  5. Lena,parabéns pelo texto, é ótimo.
    Também sinto que não tenho mais disposição para muitas coisas. Mas não creio que isso seja estar velha, é você se adaptando às coisas ao seu redor do seu modo. Também prefiro ficar em casa lendo um bom livro, adoro o conforto da minha casa.
    Aproveite sua festa. Será maravilhosa.
    Beijos

    ResponderExcluir
  6. Leninha, adorei esse texto!
    Eu sou uma pessoa que nasci velha, porque só tenho 22 anos e sou mais ou menos como você se descreveu. O porém é que nunca me encaixei na minha época, curto músicas mais antigas e detesto lugar bagunçado...
    Enfim, gosto de tranquilidade como você =)

    Opa, festa de aniversário da Leninha?! Eu quero ir \o/ hahahaha

    ResponderExcluir
  7. Amiga,

    O texto está lindo!
    E não se preocupe, vc não está envelhecendo sozinha, eu me identifico com tudo q vc falou. Então, estamos juntas nessa.

    ResponderExcluir
  8. Somos todas doidas, flor. Assino onde? Você não está só nisso, tah? Também penso igualzinha à você, minha gêmula! kkkkkkk, bjs.

    ResponderExcluir
  9. ei Lena, adorei o texto, muito bom mesmo.
    Acho que também estou ficando velha, pois não curto essas músicas de hoje e adoro ler e ficaria em casa o dia todo lendo, kkk.

    beijos.

    ResponderExcluir
  10. Concordo com você! Estou prestes a completar 20 anos e, muitas vezes, sou a mais "esquisita" entre as pessoas da minha idade por não querer perder o meu tempo em lugares com música ruim (aqui SÓ toca esses sertanejos que não dão), gente interessada em quem fica com mais gente, pessoas superficiais que precisam estar conectadas com tudo pra se sentirem legais...
    Onde estão aqueles valores de antes? Onde ficou a satisfação com as coisas pequenas da vida? Ninguém mais dá valor a um pôr-do-sol, a um dia claro, ao vento... Tah, estou bem natureza hoje, mas é verdade!

    E também concordo que não tem mais músicas como as dos anos 80! Posso ter nascido na década de 90, mas as dos anos 80 são MUITO boas! Aliás, a maioria das que eu ouço são dessa época, bem calmas, românticas, com uma melodia especial..

    Acho que você não está ficando velha. O que acontece é que as pessoas estão caminhando pra uma direção que não conseguimos aceitar como boa, porque somos felizes demais nas nossas direções..

    Beeijo! ;3

    ResponderExcluir
  11. Vc naum tá ficando velha naum!!! E naum se preocupe eu tb parei no tempo, eu tb danço sozinha essas mesmas músicas!!!

    http://conversandocomdragoes.blogspot.com/

    ResponderExcluir
  12. Lindo, Leninha! Primeiro de tudo, amo textos reflexivos. Além de romancista, você está me saindo uma bela cronista. O texto me lembra essa música de Caetano Veloso; "Eu pus os meus pés no riacho e acho que nunca os tirei"...nosso passado é assim...nos acompanha ao longo da vida, nos molda, nos forma, nos conforma. Idade? Apenas dígitos. A identidade, não. Essa é forjada no caráter contado pelo tempo da mémoria e da sabedoria. Relembrar o passado é uma solenidade que marca o encontro entre a nossa alma e a nossa memória. A exemplo de Caetano, deixe o rio correr e não tire os pés de lá, não!


    Beijocas
    PS: Amo as músicas dos anos 80. São referenciais, riozinhos musicais que até hoje correm dentro de mim.

    ResponderExcluir
  13. Oi, Leninha.

    Você se superou dessa vez! Amei esse texto de reflexão e, querida, tudo o que você escreveu sou "euzinha". Assino embaixo também, como a Carla Blackhawk, a Doidinha querida, disse: "Todas estamos no mesmo barco"!

    Me sinto dessa mesma forma, os anos passam e a vida vai se esvaindo, mas o que importa para nós é o nosso caráter, a nossa personalidade e, acima de tudo, a nossa integridade, que faz parte do nosso ser, no fundo do nosso âmago.

    Não importa o que as pessoas dizem ou pensam da gente. Queremos é ser feliz da maneira que for, seja lendo um bom livro, curtindo uma boa música, dançando, sonhando, sozinha ou acompanhada de pessoas queridas.

    Sou uma pessoa tranquila, gosto do conforto e do aconchego do meu lar. Assim como você, também sou seletiva e reclusa! Não há nada melhor do que isso.

    Essa frase sua, encaixou perfeitamente em mim, porque penso dessa forma, já que no meu caso é uma forma de distração, de entretenimento:

    "Gente, ler para mim é mais que uma aventura, é viajar sem sair do conforto do meu sofá, é conhecer lugares que sei que nunca irei de verdade, é me distanciar um pouco dessa realidade cruel que fica do lado de fora da minha casa."

    Sou apaixonada pelas músicas dos anos 80. Tenho saudades dessa nossa época amiga, porque temos a mesma idade. Bons tempos! Nunca gostei de músicas agitadas, especialmente as de hoje. Prefiro músicas calmas, românticas, baladas, instrumentais.

    Concordo com a Vivi, que a idade é relativa, sendo apenas mais um complemento em nossa vida, o importante é a experiência que os anos vividos nos concedem!

    Não estamos ficando velhas e, sim, amadurecendo!

    E persistindo nos nossos princípios e valores.

    Oba! Festa! Que delícia! Vai ser um sucesso, com certeza!

    Beijos.

    ResponderExcluir
  14. Somos da mesma geração, amiga, e o problema atual é que há uma escassez de conteúdo nas músicas que a maioria da população ouve. A medida que o tempo passa, há uma diminuição de sentimento e um acréscimo de sensualidade com doses de vulgaridade nos chamados "sucessos" do momento. Lembro que na minha época de adolescente, décadas de 80-90, os rocks nacionais tinham um cunho romântico e político também, dando gritos de alerta para assuntos como ditaduras, revoluções, alienação de massas, desmatamento e etc. Basta ver as letras das músicas do Cazuza, Legião Urbana, Plebe Rude, Heróis da Resistência e tantos outros. Atualmente há o culto da aparência perfeita com corpo turbinado/sarado e sex appel nas alturas. Eis o cerne de tudo.
    Existem cantores muito bons como Lenine, Zeca Baleiro e Vanessa da Mata; muita banda boa com movimentos culturais como Nação Zumbi, Cordel do Fogo Encantado e Água de Quartinha. Mas o que é bom não chega a mídia pq poderá acordar o povo da alienação. E ainda hoje, em pleno Século XXI, ainda há no país o desejo de manter o povo alienado, pois assim o interesse de poucos sobrepujará uma nação inteira.
    Quanto mais vejo a onda de hoje de livros superficiais e músicas vazias, mais agradeço a Deus por não fazer parte disso. E sim, prefiro ser demodê a seguir uma onda de aparências e quase nenhum conteúdo.
    Então, seja feliz como sou, não ocupe seus olhos com a onda de livros impostos por editoras com o intuito de vender e lucrar e enm ocupe seus ouvidos com músicas que não dizem absolutamente nada ao cérebro e nem tocam a alma. Ser feliz é ouvir o que quer, ler o que quer e crescer com isso sem cair em modismos vazios. Bjos.

    ResponderExcluir
  15. Concordo em tudo com vc ( quer dizer, menos com o rock pq adoro rock kkk)
    Está difícil. Música ruim, lugares cada vez piores.
    Para relaxar e sentir como é bom estar vivo, faço muitas coisas bem parecidas com vc.
    Eu sempre faço festas de aniversário em casa, e com a seleção de músicas que eu gosto e meus amigos, sempre apreciam muito.
    Então Leninha, vc, eu e muitos dos que conheço, estamos ficando velhos, por sermos contra esses modismos e porcarias ( em todas as áreas) que estão por aí.
    Adorei seu texto!
    bjs
    Rosana

    ResponderExcluir
  16. Leninha do céu, eu me sinto como voce, tb tenho meus 35 anos, então somos da mesma geração né, que na minha opinião é a melhor, com conteúdo, com força pra lutar pelos ideais, com gana de conhecimento, enfim, tenho certeza que o tempo bom que vivi na minha adolescencia, não voltará mais, mas tenho o prazer de guardar comigo, recordações maravilhosas daquela época, portanto se estamos envelhecendo (e isso acontece mesmo) temos a honra de ter vivido os melhores tempos e temos muito o que contar aos nossos filhos! Adorei o seu texto! Bjo!

    ResponderExcluir
  17. Leninha, se um dos sintomas de ficar velha é amar ficar em casa com meus livros e na internet, estou já sou velhaça!!! Amo tudo isso e acho difícil de mudar!!

    ResponderExcluir
  18. Do alto da minha vassoura, pergunto: onde assino? (só com a ressalva de que Victor e Leo é mt melhor do que boa parte da música feita atualmente, então salve-os da chibata kkk)

    ResponderExcluir
  19. Se isso que você descreveu é estar ficando velha, entaõ eu nasci anciã!!

    Adorei o seu post, e ele é muito verdadeiro e real. Quantas vezes pensei que estava vivendo em outro mundo, por gostar de coisas simples, como a minha família, meu lar. Quantas vezes disseram que estava ficando louca só porque estava cantando Chove Chuva do Biquine Cavadão bem alto.
    Acho que isso não envelhecer, é apreciar o que é bom, saber o que escolher, saber o que faz bem para o coração.
    Existem pessoas que se negam esses prazeres, pensando "O que será que fulano vai pensar de mim?"
    Eles não sabem o que estão perdendo, kkk

    Adorei o seu post. Se isso é envelher, então você é a pessoa mais feliz do mundo, pois está envelhendo com amor. Sentimento que está em falta hoje em dia.

    Bjs

    ResponderExcluir
  20. Estou totalmente de acordo com suas palavras, e pra mim não é que sejamos ou somos velhas...(tenho 23 anos), simplesmente o mundo para nós é diferente, temos uma mente culta como você mesmo diz. As festas hoje em dia perderam mesmo a diversão, o pessoal esqueceu o senso do que é certo e errado fazer em publico. Então eu realmente prefiro a companhia de um livro, musicas boas e os amigos. Sou como você descreveu. Desejo que seu aniver seja maravilhoso, se eu pudesse estaria ai, afinal musicas, amigos, conversas e petiscos é tudo de bom. E deixa eu te contar uma coisa, meu irmao mais novo agora tem 20 anos ele vivia saindo em festas, e se "divertindo", de uns tempos pra cá ele me deu uma alegria enorme, começou a se interessar por literatura e a sair com os amigos certos, então nem tudo está perdido, é só o tempo dessa geração amadurecer para ver o que realmente é bom..beijokas elis!!!

    ResponderExcluir
  21. Leninha,

    que texto lindo...

    Parabéns!

    Vc tá escrevendo cada vez melhor.

    Em relação ao seu texto, não tem música melhor que a dos anos 80.

    Alem de marcar uma epoca, tinham letra e falavam ao coração.

    Sinto falta de musicas que toquem minha alma, que enlevem o meu espirito, que me façam feliz.

    Não sou uma das pessoas que entende de musica, meu gosto é bem comum.

    Adoro forró(com letras!), rock anos 80, sertanejo(Zezé e cia, Luan).

    Se ficar velha é sentir falta do passado, então ja estou velha de bengala na mão...risos...

    Que seu aniversário te faça ainda mais feliz com pequenas coisas, pois são elas que fazem a diferença.

    E que aos 38 anos vc possa acrescentar uma informação na folhinha.

    "- Fiz amigos virtuais que me amam !"

    Bjos,

    ResponderExcluir
  22. Estamos ficando velhas...rs

    Mas quem nasceu nos anos 70 pegou uma boa fase né? Eu nasci nos anos 80 e peguei ainda o restinho...

    Mas gosto mesmo é dos anos 50, deve ter sido mara! rs

    bj

    ResponderExcluir
  23. Então somos duas velhas, amei minha adolescencia e curto essas músicas até hj, eu falo que nasci na geração errada que queria ter vivido a adolescencia nos 70 ou 60...os jovens de hj não tem cultura ou na verdade a cultura deles se difere da nossa que é bem mais rica. Quando eu saio em balada vou em bares que tocam músicas dos anos 70, 80 e 90 e me diverto bem mais do que em outras baladas, a festa de aniversário de duas amigas foram em uma dessas baladas com direito até xuxa, rs
    Gostei do seu texto, vc escreve super bem.
    Beijinhos

    ResponderExcluir
  24. leninha ! se for assim ja estou caindo aos pedaços, rsrs deixa disso so porque somos diferentes da maioria não quer dizer que não curtimos as coisas do nosso jeito so temos uma maneira diferente de ver as coisas, e acho sim que estamos com os olho mais abertos do que a maioria deste povo . viva sua vida querida, seja feliz eu sei que ja é, mas não custa nada desejar mais uma vez. adorei o seu post.bjkss.

    ResponderExcluir
  25. Oi!

    Prazer, sou Matusalém!
    Então, também sou uma múmia ambulante, gente, e como sou.
    Se for para ir nessas festinhas descerebradas escutando essas porcarias, fico em casa. Um bom livro, minhas músicas de qualidade (nada de funk, nada de sertanejos chorões e desafinados, nada de música de rave), gente que eu gosto e que gosta de mim. Ou então aquelas reuniõezinhas em que só se sabe falar da vida dos outros, tô fora!
    Oh, como é bom o sossego e a introspecção!
    Sei que falam que sou metida à besta, que me acho melhor que os outros, que sou anti-social... bobagem! Sou o que sou, só não sou o que os outros querem que eu seja!
    Belo texto!

    Bjos!

    ResponderExcluir
  26. Eu tinha escrito um texto enorme, mas ele se foi...

    De qualquer forma, Leninha, o saudosismo nada mais é que um bairrismo temporal. Não sei se isso é bom ou ruim.

    E quanto a chegarmos lá e parecer que falta algo, John Green soltou o seguinte:

    "a única coisa melhor que o primeiro beijo é a expectativa que antecede o primeiro beijo"

    ;-) Parabéns pelo texto maravilhoso.

    ResponderExcluir
  27. Oi Leninha!!
    Acho que sou velha faz tempo, porque NUNCA tive paciência para baladas! Eu e meu namorado ficamos enroscados no sofá, lendo juntos, cada um com seu livro. É tão gostoso ^^
    Ah, sua festa de aniversário parece que vai ser tão divertida! :D
    Beijos

    ResponderExcluir

Seu comentário é sempre bem-vindo e lembre-se, todos são respondidos.
Portanto volte ao post para conferir ou clique na opção "Notifique-me" e receba por email.
Obrigada!

Editoras Parceiras

Postagens Recentes

Visualizações

Últimos Comentários

Lançamentos